Pedro Parente divulga vídeo em defesa de reajustes diários dos preços dos combustíveis

Foto: Divulgação (José Cruz / Agência Brasil)

Executivo afirma que medida “não foi uma escolha caprichosa da diretoria”, e é fundamental para que a empresa possa lidar com a sua participação no mercado

ALEXANDRE PELEGI

Em um vídeo na internet, compartilhado por executivos da Petrobras, Pedro Parente, presidente da estatal, faz uma defesa enfática da política de reajustes diários dos combustíveis nas refinarias da Petrobras.

Parente afirma que a medida “não foi uma escolha caprichosa da diretoria”, e é fundamental “porque ela nos dá a chance de poder lidar melhor com a nossa participação no mercado”.

Por conta da greve, o governo levou a Petrobras a reduzir a frequência dos reajustes do combustível por um determinado período, em troca do pagamento pela União dos prejuízos causados à empresa.

No vídeo, Parente afirma: “Quando a gente faz reajustes mensais, a gente corre o risco, fica exposto a uma perda de participação de mercado, que foi ruim para a empresa quando a gente observou nos últimos meses de 2017.”

Parente cita o caso do diesel, que no fim do ano passado levou a participação da Petrobras no mercado do país a cair para 67%, mesmo com a empresa tendo quase 100 % da capacidade de refino no Brasil.

Parente declarou ainda que a empresa tem “técnicos muito bem preparados” para tratar das taxas de utilização das refinarias, e que ele não interfere nisso:

Eu não tenho o poder de definir a carga nas refinarias, isso é um sistema bastante complexo, uma coisa que foi feita na empresa, que procura otimizar a nossa produção em todas as refinarias em função da demanda, em função do tipo de óleo, em função do que a gente consegue vender no mercado interno, o que a gente então exporta, portanto essa história que eu defino a carga na refinaria, pessoal, não acredita não“.

A política de reajustes diários de preços da Petrobras começou em meados do ano passado. A estatal visava rentabilidade, seguindo as cotações dos valores internacionais. A decisão contrasta com a postura adotada por gestões anteriores da estatal, de controle governamental dos preços que, entre outras coisas, visava o controle da inflação.

Outros executivos da Petrobras também gravaram vídeos em defesa da política de preços da estatal.

GREVE DOS PETROLEITOS NÃO AFETOU A PRODUÇÃO, AFIRMA PETROBRAS

Nesta quinta-feira a Petrobras afirmou em nota que a greve dos petroleiros foi encerrada em 95% de suas unidades. A estatal disse ainda que não houve impacto sobre a produção e, portanto, não há qualquer risco de desabastecimento.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Gilvan disse:

    A gente tinha que parar de exportar Petróleo e parar de importar a gasolina, por mais que a demenda seje grande e a petrobras não desse conta de refinar tudo, é muito mais conveniente. So assim o brasileiro toma conciencia e usa o transporte público e para de poluir. So assim também a gente se torna um pouco mais nacionalista e damos mais atenção a tecnologia nacional.

Deixe uma resposta