Empresas de ônibus em São Paulo autorizadas a operar com 40% da frota no entrepico

Só trólebus funcionam integralmente, mas rede foi reduzida ao longo dos anos

Trólebus operam com 100% da frota, mas só há 200 na cidade toda

ADAMO BAZANI

A Prefeitura de São Paulo informou há pouco que a São Paulo Transporte – SPTrans autorizou as empresas de ônibus colocarem 40% da frota no horário de entrepico desta sexta-feira, 25 de maio de 2018, por causa dos impactos da greve dos caminhoneiros.

Segundo nota da prefeitura,  100% da frota de trólebus está em operação, mas dos 14,5 mil coletivos da cidade, apenas 200 são trólebus.

A medida é necessária para garantir que a frota esteja operacional no fim da tarde e noite. Em virtude da greve nacional dos caminhoneiros, que afeta o abastecimento de combustível para o sistema municipal de transporte, as empresas estão com baixo estoque de óleo diesel. A frota de trólebus está 100% operacional.

 Em negociação mantida pela administração municipal com a Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos, ficou acertado que, à diferença do que ocorre normalmente, a CPTM e o Metrô vão manter 100% de suas frotas em operação no período de entrepico para compensar a ausência de parte dos ônibus.

 O rodízio municipal de veículos está suspenso durante todo o dia.

A Prefeitura conversa com representantes dos caminhoneiros e de empresas de transporte de cargas para fazer valer a liminar concedida pela Justiça, que garantiu o abastecimento de combustível para os serviços essenciais da cidade.

A Prefeitura lamenta os transtornos causados à população e ressalta que nenhuma manifestação, por mais justa que seja, pode afetar o direito de ir e vir das pessoas.

A empresa Transwolff, da zona Sul de São Paulo, teve de recolher toda a frota de mais de 1,2 mil ônibus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: