Frota em operação no Rio de Janeiro cai ainda mais no final da tarde por causa da falta de diesel

Sistema de transporte rodoviário de passageiros opera com 72% da frota, segundo o Rio Ônibus

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

A frota de ônibus em operação no Rio de Janeiro caiu ainda mais no final da tarde desta quarta-feira, 23 de maio de 2018, por conta da falta de diesel ocasionada pela paralisação dos caminhoneiros.

Segundo informações do Rio Ônibus, o sistema de transporte rodoviário de passageiros opera com aproximadamente 72% do total da frota na capital.

Pela manhã, apesar do desabastecimento de combustível na cidade, aproximadamente 80% da frota estava na rua. O número de veículos caiu em razão da pouca quantidade de óleo diesel para abastecer os veículos.

O Rio Ônibus alertou que, caso a situação não seja normalizada o mais rápido possível, há risco de paralisação total do sistema.

“As empresas consorciadas estão empenhando todos os esforços para que a população não seja prejudicada, chegando até a abastecer os coletivos em postos de gasolina comuns, mesmo com o preço do óleo diesel superior ao habitual” – informou o Rio Ônibus, em nota.

O sistema de transporte público que serve à capital fluminense consome, em média, 764 mil litros de combustível diariamente, segundo informações do Rio Ônibus.

Frente aos reajustes de aproximadamente 40% no valor do óleo diesel nos últimos 15 meses, os gastos com o insumo correspondem a mais ou menos 30% da folha das empresas do Rio de Janeiro.

O transporte público de diversas cidades brasileiras foi afetada pela greve dos caminhoneiros, que ocorre desde segunda-feira.

Leia mais em Greve dos Caminhoneiros: Confira a situação dos serviços de ônibus no País com a falta de diesel

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta