Aos 25 anos de Volksbus, MAN relembra parceria com Nardelli, uma das primeiras viações a comprar ônibus Volkswagen

Chegada dos 19 Volksbus na Nadelli, de Salto. Empresário diz que fez compra com receio, mas não se arrependeu depois

Companhia de ônibus completa 50 anos de atuação. Um dos modelos comprados em 1994 ainda está em operação

ADAMO BAZANI

Como já noticiou o Diário do Transporte, a atuação oficial da Volkswagen na produção de ônibus no Brasil completou 25 anos, em abril de 2018 muito embora, chassis de caminhões já tinham sido adaptados antes, em especial para micro-ônibus.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/04/11/linha-volksbus-comemora-25-anos-com-lancamento-de-micro-onibus/

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/01/man-bate-a-marca-de-900-mil-veiculos-dos-quais-140-mil-onibus/

De olho em ampliar o mercado, tentando mostrar que a marca se consolidou entre diversos frotistas, a montadora está relembrando fatos e modelos que marcaram a história dos Volksbus.

Nesta quinta-feira, 17 de maio de 2018, a MAN destacou a parceria com a empresa de ônibus Nardelli, com sede em Salto, no interior de São Paulo.

De acordo com a MAN, a companhia, que completa 50 anos em 2018, foi uma das primeiras a comprar ônibus da Volkswagen, em 1994, ainda quando os chassis eram produzidos nos galpões do Ipiranga, na zona Sul da capital paulista.

Nardelli comprou os ônibus ainda quando a produção era no Ipiranga, na zona Sul de São Paulo

Foram 19 chassis do modelo 16.180 CO comprados por meio da concessionária Gaplan, localizada em Campinas, também no interior paulista.

Na nota enviada pela MAN, o diretor da empresa de ônibus, Rodolfo Nardelli Neto, disse que chegou a ter receio de realizar a compra, já que até então, a Volkswagen não tinha experiência em ônibus no Brasil, mas que depois de pouco tempo, a novidade começou a chamar a atenção positivamente na região onde opera.

“Confesso, achamos que estávamos correndo um grande risco ao comprar os novos ônibus, pois eles estavam no início da produção e havia ainda poucos clientes Volksbus. Mas pouco tempo depois os chassis ficaram famosos pela região de Salto, todos perguntavam e queriam saber a respeito”, comenta Nardelli Neto, na nota.

Caio Vitória, da Nardelli, com o chassi 16.180 CO, O modelo Vitória foi uma das carrocerias que mais equipou Volksbus na época.

Atualmente, segundo a MAN, a Nardelli tem uma frota de 110 ônibus, a maioria Volkswagen. Um deles foi comprado ainda naquele primeiro lote, de 1994.
O 16.180 CO, com carroceria Caio Vitória, ainda sai às ruas para prestar serviços, quando necessário, segundo a nota.

O empresário diz que os modelos evoluíram com o tempo e destaca a atual tecnologia de recirculação de gases de escape para cumprir os limites de emissões de poluição impostos por lei.

“Houve uma grande mudança na tecnologia dos produtos Volkswagen, principalmente referente ao sistema de tratamento de gases, EGR. Mas uma coisa não mudou: o atendimento da assistência técnica. Sempre que precisei eles atenderam prontamente”.

O gerente executivo de vendas de ônibus da MAN América Latina, Jorge Carrer, diz que parcerias antigas ajudam a prospectar novos negócios, já que demonstram que os modelos ganharam confiabilidade ao longo do tempo, resultando em fidelidade.

“A Nardelli foi uma das primeiras empresas de transporte urbano no interior do estado de São Paulo a acreditar no sucesso dos chassis VW. Essa parceria foi construída com base na confiança em nossos produtos e no atendimento de pós-vendas. Esse é o resultado de um trabalho intenso para a redução do custo operacional, com foco na robustez para uma maior disponibilidade e agilidade de nossa rede de assistência técnica”

Chassi 16.180 CO. Segundo a Volskbus, o modelo que introduziu no mercado um novo padrão de capô com isolamento acústico e térmico nos modelos com motores dianteiros.

Ainda na nota, a MAN diz que algumas inovações no mercado de ônibus foram trazidas por modelos Volksbus, como um novo padrão de capô com isolamento acústico e térmico nos modelos com motores dianteiros.

O pioneirismo tecnológico também é marca na família VW. O primeiro chassi Volksbus introduziu no mercado o padrão de capô com isolamento acústico e térmico nos modelos com motores dianteiros para mais conforto na operação. Também contemplou uma demanda por eixo com maior capacidade de carga real para atender à realidade das aplicações, em prol da durabilidade.

Em outras palavras, o chassi 16.180 CO marcou a estreia da Volkswagen no transporte de passageiros com mais pessoas usufruindo de cada viagem e conforto superior, sempre preservando o baixo custo de aquisição e operação. Essas premissas se consolidaram como pré-requisito em todos os desenvolvimentos da marca a partir dali. Foi assim nos modelos que vieram na sequência: o VW 16.210 CO e o VW 17.210 CO.

O sucesso dos primeiros modelos motivou uma nova fase de investimento em chassis de ônibus, simbolizada pela inauguração da fábrica da então Volkswagen Caminhões e Ônibus em Resende (RJ). Pouco depois, surgiu o primeiro modelo VW com motor traseiro, o Volksbus 17.240 OT, e criado um time dedicado e permanente de Engenharia de Ônibus na montadora. E assim a família Volksbus só cresceu. Hoje são 17 modelos de chassis com dezenas de versões diferentes.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Aos 25 anos de Volksbus, MAN relembra parceria com Nardelli, uma das primeiras viações a comprar ônibus Volkswagen

  1. Jackson de sousa leite // 17 de Maio de 2018 às 21:35 // Responder

    Tupi e gatusa estão apostando alto novamente em chassis Vw agora com a tecnologia EGR que ainda é olhada com desconfiança por muitos operadores.Vamos ver se teremos aquela levoa enorme de onibus volks igual na renovação 2006/2007. onde gatusa,Santa Brígida.Tupi,Gato PretoTranspass ,Oak tree e Paratodos compraram muitos desses eram muitos na rua dava até pra competir com a quantidade de chassis MB.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: