Propostas da Mercedes foram rejeitadas por trabalhadores e greve continua

Em negociação, empresa apresentou duas alternativas, que não foram aceitas

Terceiro dia de greve dos trabalhadores na Mercedes, em São Bernardo do Campo/SP. Empresa ainda não apresentou proposta que atenda às reivindicações dos trabalhadores. Fotos: Edu Guimarães/SMABC

Em negociação, empresa apresentou duas alternativas, que não foram aceitas

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

As propostas feitas pela Mercedes-Benz aos trabalhadores em greve não foram aceitas e a paralisação continua, conforme informado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC nesta quarta-feira, 16 de maio de 2018.

Em campanha salarial, os metalúrgicos reivindicam reajuste nos salários e pedem que o cálculo da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) inclua a exportação de itens agregados, como motores, eixos e câmbios.

Durante assembleia realizada nesta quarta-feira, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informou aos metalúrgicos que a Mercedes apresentou duas propostas em negociação na terça-feira, 15 de maio. Por nenhuma delas atender a pauta dos trabalhadores, ambas foram rejeitadas.

“A Mercedes apresentou duas alternativas. A primeira proposta era não aplicar o INPC, com um abono de 3,5 mil. A outra previa a reposição integral do INPC para salários até 10 mil e um abono de 500 reais, mas com redução de 4% na jornada e nos salários dos mensalistas [setor administrativo] por 12 meses. Não contemplam a reivindicação da categoria” – disse Moisés Selerges, diretor-executivo do Sindicato e trabalhador na Mercedes-Benz. “Estamos em negociação e em luta. É preciso que a Mercedes avance mais na proposta”.

Segundo informações do sindicato, a campanha salarial dos metalúrgicos tem data-base em maio. Desde o início da greve, a fábrica manteve as atividades paradas, também segundo o sindicato.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC também se posiciona contra demissões de mensalistas. Os trabalhadores acreditam que a empresa pode estar planejando cortes.

O presidente da Mercedes-Benz, Philipp Schiemer, afirmou ao Diário do Transporte que não estão previstos cortes. “Não haverá demissões na planta. Não entendemos a paralisação neste momento, já que as negociações estão em curso” – disse o presidente da Mercedes, Philipp Schiemer.

Leia mais em: Trabalhadores da Mercedes-Benz entram em terceiro dia de greve

A montadora, localizada em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, tem aproximadamente 8 mil funcionários. A greve teve início na segunda-feira, 14 de maio de 2018, e entrou no terceiro dia nesta quarta.

Relembre: Funcionários da Mercedes-Benz entram em greve, em São Bernardo do Campo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: