Rio de Janeiro tem quase cinco vezes mais carros de aplicativos do que táxis

Cidade tem uma taxa média de 522 táxis para cada 100 mil habitantes

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, são 33 mil taxistas rodando e quase 150 mil automóveis particulares

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

O município do Rio de Janeiro tem aproximadamente cinco vezes mais carros de aplicativos do que táxis. Segundo informações da Secretaria Municipal de Transportes, são 33 mil taxistas rodando e de 120 mil a 150 mil automóveis particulares.

Conforme publicado pelo Diário do Transporte, a prefeitura do Rio de Janeiro passou a cobrar 1% de taxa sobre todas as viagens feitas por aplicativos como Uber, Cabify e 99.

Relembre: Prefeitura do Rio espera arrecadar R$ 40 milhões por ano com taxa sobre aplicativos

Ao Jornal do Brasil, o professor de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Rio de Janeiro Marcelino Aurélio da Silva disse que a cidade tem uma taxa média de 522 táxis para cada 100 mil habitantes. O índice superior ao máximo recomendado para cidades com mais de 4 milhões de habitantes, que é de 500 carros.

“Essa é uma referência usada com base num estudo da Prefeitura de Vitória (ES). Mais de 150 mil carros nas ruas oferecendo um mesmo serviço não é nem um pouco viável. É necessário um estudo sobre o impacto disso no trânsito. Do contrário, um crescimento sem planejamento pode virar um câncer para a cidade” – disse.

“Ainda há que se estudar de onde vem essa demanda de usuários do Uber. Não vem só da perda de clientela dos taxistas. Pelo que observo, o Uber está tirando passageiros do transporte público também. Uma viagem entre 10 e 12 quilômetros, com quatro pessoas, feita de Uber sai mais barata do que cada um pagar sua própria passagem de ônibus”.

A determinação da taxa e da abertura dos dados faz parte da regulamentação do decreto do prefeito Marcello Crivella, de 12 de abril de 2018, que disciplina a atuação dos aplicativos na cidade do Rio de Janeiro. Entre as exigências estão certificado de bons antecedentes dos motoristas, comprovação de habilitação para atividade remunerada, seguro para os passageiros e idade máxima dos carros de oito anos.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/04/12/crivella-publica-decreto-que-regulamenta-aplicativos-de-transporte-no-rio-de-janeiro/

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Seria interessante saber quantos passageiros por viagem, em media por dia, são transportados por automóvel privado e por taxi. Será que haveria alguma relação com o fato de haver grande quantidade de taxis em Nova York? E porque no Japão só pode ter automóvel quem comprovar que dispõe de garagem onde guarda-lo? Para discussões sobre este tema é bom saber, também, que taxi não é serviço público e nem privado!…

Deixe uma resposta