Diante de protestos, prefeitura de Salvador reage e divulga benefícios do BRT

Foto: imagem para divulgação

Manifestantes se posicionam contra derrubada de árvores, e especialistas dizem que projeto do modal está ultrapassado. Prefeitura reage divulgando vantagens da obra

ALEXANDRE PELEGI

Após protestos em Salvador contra as obras do BRT, a prefeitura resolveu reagir, divulgando em seu site dez razões que explicam, segundo a administração, por que a cidade precisa do modal.

Ontem, pela terceira vez, um grupo de pessoas protestou contra a retirada de árvores para a construção do modal. Leia aqui.

Mas especialistas têm classificado a solução adotada pela prefeitura como “ultrapassada”, citando o Transmilênio, de Bogotá, como exemplo. Segundo alguns críticos, o Transmilênio já é considerado defasado, pois não consegue atender os mais de 2 milhões de usuários diários da capital colombiana.

Dentre as críticas, além das questões ambientais, estão as obras físicas. A posição de arquitetos e engenheiros de transporte é de que as linhas de ônibus expressas podem correr em faixa exclusiva, mas sem a necessidade de obras de grande porte, como viadutos.

A reação do prefeito ACM Neto (DEM) foi imediata: o projeto do BRT não será modificado “de jeito nenhum“.

ACM disse à imprensa da capital que os protestos são promovidos por pessoas que não andam de ônibus.

Dentre os que têm se posicionado contra o corredor – além de Caetano Veloso, que se manifestou contra o projeto na semana passada – figura o marido da popular cantora baiana Ivete Sangalo, o nutricionista Daniel Cady. Em sua página do Instagram ele escreveu:

“A população não quer mais esse tipo de obra, prefeito @acmnetooficial! Ouça o que os especialistas e cidadãos conscientes de Salvador têm tentado lhe dizer. REPENSE! Existem opções mais baratas, com menos impactos ambientais e urbanísticos para melhorar o transporte coletivo. Salvador não quer este projeto!“.

daniel_cady.png

ACM declarou nesta segunda-feira (7), em resposta aos críticos do projeto:

“Não sabem qual é o sacrifício de andar de ônibus, que não vão precisar pegar o BRT. Esse grupo pequeno está querendo fazer marola. Ontem a manifestação foi muito limitada e o impressionante é que se tenta fazer um discurso que não tem nenhum fundamento”.

ACM lembrou ainda que não há novidade na obra, uma vez que o BRT foi anunciado em seu primeiro governo, num investimento de quase R$ 800 milhões:

“O projeto foi amplamente debatido, nós debatemos esse projeto ao longo de cinco anos com a cidade. Foram feitas audiências públicas, eu, particularmente, apresentei o projeto diversas vezes, a imprensa debateu”.

Veja o texto divulgado hoje pela prefeitura de Salvador, em resposta às críticas feitas ao projeto do BRT:


Dez razões que explicam por que Salvador precisa do BRT

O BRT (sigla em inglês para “ônibus rápido”) é muito mais do que um novo modal de transporte público. Trata-se de uma obra que vai transformar a mobilidade em uma das regiões mais movimentadas da cidade e melhorar a locomoção tanto de quem utiliza o transporte público quanto o automóvel particular e até mesmo a bicicleta. O projeto envolve a construção de corredores exclusivos e segregados das demais vias de tráfego por onde irão passar os veículos do BRT (ônibus maiores, mais confortáveis, seguros e climatizados), de elevados para abrigar estações de embarque e desembarque do modal, de viadutos para a eliminação de semáforos e retornos e de uma ciclovia também exclusiva e segregada.

Tudo isso entre a Lapa e a região do Shopping da Bahia, passando pelas avenidas Vasco da Gama, Juracy Magalhães e ACM, beneficiando uma área populosa totalmente diferente daquela por onde circula o metrô, que liga os mesmos pontos via Avenida Mario Leal Ferreira (Bonocô). Para se ter uma ideia do impacto do BRT, cerca de 340 mil pessoas utilizam o ônibus comum para circular por essas vias diariamente. No primeiro trecho, as obras vão implantar os corredores exclusivos do BRT entre o Parque da Cidade e a região do Shopping da Bahia, prevendo ainda a construção de três viadutos e dois elevados.

Em função das obras, 154 árvores precisarão ser suprimidas. Outras 169 serão transplantadas para o Parque da Cidade e áreas próximas ao próprio BRT. Como política de compensação ambiental, a Prefeitura exigiu do Consórcio BRT, responsável pelas obras, o plantio de 2 mil árvores da Mata Atlântica em vários pontos de Salvador. Cerca de 300 já foram plantadas na Via Expressa. A maior parte dessas árvores ficará no entorno dos corredores exclusivos do “ônibus rápido”.

Abaixo as 10 razões que explicam por que Salvador precisa do BRT:  

1 – O BRT será um ônibus maior (23 metros), com ar-condicionado e que vai fazer a ligação entre a Lapa e a região da rodoviária passando por avenidas como Vasco da Gama, Juracy Magalhães e ACM, em trajeto diferente do realizado pelo metrô;

2 – Por circular em vias exclusivas e segregadas de tráfego, o BRT não vai pegar semáforo ou cruzamento. Por isso, ele vai fazer a ligação entre a Lapa e a região da rodoviária em apenas 16 minutos;

3 – Cerca de 340 mil pessoas circulam diariamente de ônibus comum na região por onde o BRT vai passar, com a utilização de 68 linhas. Além disso, 7 em cada 10 passageiros que utilizam ônibus em Salvador tem como ponto de partida ou destino a região por onde o BRT vai circular;

4 – O BRT só vai parar em estações próprias, confortáveis e modernas, de forma programada. Em situações normais, nunca haverá atraso;

5 – O BRT polui menos do que o ônibus comum e, por ser um transporte melhor, vai permitir que mais pessoas deixem os carros em casa para trabalhar. Além disso, ele poderá ser elétrico ou híbrido;

6 – Por utilizar pneus, o BRT, que foi inventado no Brasil e utiliza tecnologia 100% nacional, pode ter linhas extensivas, deixando as vias exclusivas quando necessário. Além disso, ele poderá ser expandido mais rapidamente para o Subúrbio e o Centro da cidade, como prevê a Prefeitura em seu Plano de Mobilidade;

7 – O projeto do BRT envolve, além da construção das vias exclusivas, a implantação de viadutos que irão solucionar o problema da mobilidade em áreas sensíveis da cidade. Mesmo quem utiliza automóvel será beneficiado com a eliminação de semáforos, cruzamentos e retornos;

8 – O projeto do BRT prevê ainda investimentos que irão solucionar problemas de alagamento em vias importantes de Salvador;

9 – Junto com os corredores exclusivos do BRT, a cidade vai ganhar uma ciclovia segregada ligando a Lapa à região da rodoviária;

10 – O BRT será 100% integrado ao metrô e ao ônibus comum, com tarifas que estarão de acordo com as cobradas por esses modais.


 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta