Taxi.Rio ganha pagamento por cartão de crédito e versão para iOS

Até março, 17.656 taxistas, dos 55 mil da cidade, aderiram e realizaram 811.704 corridas

Ao completar seis meses do aplicativo, Crivella divulgou novidades relacionadas à ferramenta

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Ao completar seis meses, o aplicativo Taxi.Rio ganhou novidades. Entre os lançamentos está o pagamento por cartão de crédito e uma versão disponibilizada para iOS (sistema operacional da Apple), pois apenas quem tinha smartphone Android poderia utilizar a plataforma.

As novidades foram apresentadas pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, nesta sexta-feira, 20 de abril de 2018. Segundo o chefe do executivo, o aplicativo também ganhou dois novos recursos: o modo corporativo, que contribui para a economia da Prefeitura com aluguel de frota de veículos, e o serviço de zeladoria, chamado “Taxista Informa”, que permitirá que os motoristas ajudem a identificar problemas na cidade.

CARTÃO DE CRÉDITO

O aplicativo terá a possibilidade de pagamento por cartão de crédito. Antes, 72% dos passageiros pagavam em dinheiro, até março, e 28% no cartão de débito. A novidade deve estar disponível aos usuários em até 15 dias, segundo informações da Prefeitura.

“Isso porque o cadastramento dos motoristas interessados nessa modalidade começou a ser feito também nesta sexta, e a atualização do serviço se dará a cada mil cadastrados, para que os clientes tenham um leque maior de opções” – informou a administração municipal, em nota.

TAXISTA INFORMA

O aplicativo passa a ter botões com seis tipos de ocorrências: buracos nas ruas; iluminação pública; sinal de trânsito; crimes; obstruções na via; alagamentos. Ao constatar o problema, o taxista aciona o botão correspondente, e a informação é enviada ao 1746, sistema que recebe sugestões e reclamações sobre os serviços municipais, via telefone ou internet. No caso dos alagamentos, o alerta aciona diretamente o COR, Centro de Operações Rio.

“O motorista do Taxi.Rio será um agente da prefeitura. Ele vai poder nos dizer quando passar, por exemplo, diante de uma árvore que caiu, de um sinal de trânsito que está queimado, de um acidente ou de um assalto. Basta ele tocar na tela do aplicativo que a gente já vai saber, porque ele estará monitorado por GPS. Acho que isso tudo traz vantagens para a população. Vamos poder dizer às pessoas: quer ajudar a cuidar da cidade? Ande de táxi, ande de ‘amarelinho’” – disse o prefeito.

MODO CORPORATIVO

O cadastramento dos motoristas para a função “modo corporativo” do aplicativo começou nesta sexta-feira, segundo a Prefeitura. Com o modo, taxistas farão o transporte de servidores municipais em serviço.

“O objetivo é permitir à Prefeitura uma economia nas despesas com aluguel de veículos e a redução dessa frota. Um estudo técnico será feito para apontar secretarias e órgãos onde a substituição dos carros alugados por viagens de táxi possa ser feita de maneira mais intensa, para diminuir progressivamente os gastos”.

O Taxi.Rio não cobra taxa do motorista pelo uso do aplicativo. A cada 48 horas, o taxista recebe todo o dinheiro arrecadado com as corridas, segundo a Prefeitura. Portanto, como contrapartida, foi negociado um desconto de 20% no preço das viagens para funcionários da Prefeitura em serviço.

A medida tem como objetivo aumentar a economia nos cofres públicos, se comparado ao valor do aluguel de carros.

VERSÃO iOS

Até o momento, apenas os telefones celulares do sistema Android podiam baixar o aplicativo. Com a mudança, quem tem iPhone, por exemplo, também pode fazer seus pedidos de táxi no app da Prefeitura do Rio.

“Após o lançamento da novidade, nesta sexta, a Apple ficou de disponibilizar o app doTaxi.Rio para download” – informou a Prefeitura.

BALANÇO DO TAXI.RIO

A plataforma digital foi lançada em novembro do ano passado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Até março, 17.656 taxistas, dos 55 mil da cidade, aderiram e realizaram 811.704 corridas, com média de dez mil por dia, conforme informações da administração municipal.

A Prefeitura estima que, até o final de abril, o número de corridas chegue a um milhão. “São 18 capitais que já estão adotando o modelo do Taxi.Rio: São Paulo, Belém, Curitiba, Salvador… E os nossos motoristas estão entusiasmados. São 17 mil cadastrados conosco. Ainda temos poucos passageiros, em torno de 400 mil, e a ideia é quintuplicar isso, chegar a dois milhões. E a maneira de a gente baixar preço é sempre tendo escala. Quanto mais passageiro vier para o Taxi.Rio, maiores serão os descontos” – disse Crivella.

A empresa municipal de informática Iplanrio criou e desenvolveu o aplicativo, por determinação do prefeito Crivella. O presidente do Iplanrio, Fábio Pimentel, também fez um balanço do uso da plataforma.

“Os passageiros, nestes 170 dias de funcionamento, obtiveram R$ 7,4 milhões em descontos, oferecidos pelos taxistas. O custo médio da corrida está estimado em R$ 19,53. E a nota média de avaliação dos motoristas, pelos passageiros, nos dá muito orgulho: 4,83 num teto que chega a 5”, informou Pimentel.

NÚMEROS DO TAXI.RIO

 32%: desconto médio oferecido pelos taxistas aos clientes
 R$ 19,53: valor médio das corridas
 5 minutos e 36 segundos: tempo médio para embarque
 811.704: total de corridas, de novembro a março
 10 mil: média diária de corridas, de novembro a março
 R$ 50 milhões: expectativa de economia anual para a Prefeitura com a implantação progressiva do modo corporativo, em substituição ao aluguel de carros oficiais
 17.656: total de taxistas cadastrados, de novembro a março.

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Sebastião Cândido de Jesus disse:

    Tenho 66 anos fui auxiliar ate dezembro 2018 agora estou parado oois não consegui pagar mais as diaria porcausa dos aplicativo gostaria de saber se tenho direiro a uma autonomia

Deixe uma resposta