Uber suspende serviços na Grécia

Medida foi tomada após lei aprovada recentemente, que busca regulamentar o serviço

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

A Uber, empresa que presta serviços eletrônicos para o transporte privado urbano, anunciou que vai suspender os serviços na Grécia na próxima terça-feira, 10 de abril de 2018. A medida será tomada para que seja feita uma avaliação dos impactos de uma lei aprovada recentemente, que regulamenta o funcionamento do aplicativo no país.

“Temos que avaliar se e como podemos operar dentro desse novo enquadramento e assim suspenderemos a UberX em Atenas na próxima terça-feira, até encontrarmos uma solução adequada” – informou a Uber, no blog, em texto publicado em inglês.

Segundo informações da Agência Reuters, a Uber opera dois serviços em Atenas: o UberX, que atua com motoristas profissionais licenciados, e o UberTAXI, com motoristas de táxi. Apenas o primeiro serviço, lançado em 2015, já atendeu mais de 450 mil pessoas no país.

As novas regras na Grécia determinam que cada viagem comece e termine em locais previamente definidos. Além disso, a legislação também prevê a criação de um registro digital de todas as plataformas de transporte privado urbano e dos passageiros que as utilizam.

Os motoristas do UberX, na Grécia, não podem trabalhar com carros mais antigos que sete anos. Além disso, devem ser registrados em empresas parceiras, como companhias de aluguel de carros, por exemplo.

A Uber entrou na Europa em 2011, o que resultou na oposição de autoridades locais e dos taxistas. Um dos argumentos de quem se opõe ao serviço é que a plataforma não segue as mesmas regras de segurança e licenciamento que os outros serviços de transporte de passageiros, como táxi e ônibus.

Após batalhas judiciais e protestos, a empresa também suspendeu a operação em diversas cidades europeias, na tentativa de responder às regulamentações que foram impostas.

No Brasil, o presidente Michel Temer sancionou, em março de 2018, a Lei 13.640, que regulamenta os aplicativos de transporte remunerado privado individual de passageiros, como Uber, Cabify e 99. A responsabilidade da regulamentação e fiscalização é dos municípios.

RELEMBRE: Temer sanciona lei que regulamenta aplicativos de transportes de passageiros

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: