Novos biarticulados de Curitiba terão velocidade máxima programada

"Biarticulados terão como padrão a cor vermelha. Foto: Alex Guimarães"

Veículos podem ser programados para circular mais devagar próximo de pontos de muito movimento ou em horários especiais

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Os ônibus biarticulados de Curitiba terão nova geração circulando a partir de 28 de março. Com novas tecnologias, o grande destaque dos veículos é a restrição de velocidade por trecho, que permitirá um controle automatizado, reduzindo o risco de acidentes em áreas movimentadas. A tecnologia é inédita para ônibus da América Latina.

Um operador do sistema pode programar a limitação de velocidade via monitoramento remoto e geolocalização. Com isso, será possível que o veículo circule de forma segura.

“Quando programada a velocidade máxima, o carro não ultrapassa o limite mesmo que o motorista pise no acelerador. O recurso aumenta a segurança em áreas próximas a hospitais, escolas, terminais e em locais com alto fluxo de pedestres” disse Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A), por meio de nota.

Um dos locais em que o recurso poderá ser utilizado é na Praça do Japão, por exemplo. Na via, os novos ônibus da linha ligeirão Santa Cândida-Praça do Japão. Além da região, a Urbs vai mapear vários trechos e horários para programar as velocidades máximas dos veículos.

“Os passageiros com destino à Praça do Japão desembarcarão na estação-tubo Bento Viana. O ônibus contornará a praça vazio, com velocidade reduzida (máxima de 30 km/h) e fará o caminho de volta (os passageiros embarcarão na estação que fica também próxima à Bento Viana, sentido ao Santa Cândida)” informou a prefeitura, por meio de nota.

Além da tecnologia inédita, os novos veículos também terão suspensão e freio eletrônico, além do sistema de luz diurna chamado daylight, que melhora a visibilidade para conduzir o ônibus.

Especificações da frota

Segundo informações da Prefeitura, a nova frota de biarticulados é menos poluente. Os ônibus vêm com motor Euro 5 e se enquadram em regulamentações internacionais de controle de poluição.

“Para o veículo rodar, além do diesel é necessário abastecer o motor com um composto de uréia (arla 32) que reduz em pelo menos 60% as emissões de poluentes do veículo” – explicou a Urbs, em nota.

Outra especificação que chama atenção nos articulados está na carroceria. Os ônibus vêm equipados com sete câmeras de monitoramento na parte interna e uma no lado de fora, ligada a um monitor no painel do motorista.

“O sistema será padrão, de agora em diante, nos novos biarticulados e serve como apoio para o motorista estacionar o ônibus com precisão nas plataformas das estações, melhorando a segurança no embarque e desembarque dos passageiros. Ele também ajuda a diminuir riscos de acidentes pois melhora a visualização externa” – explicou o presidente da Urbs, em nota.

Carroceria dos novos ônibus

Os biarticulados têm aproximadamente 28 metros de comprimento e terão como padrão a cor vermelha.

“A opção em não continuar com a cor azul nas novas linhas de ligeirões é para flexibilizar a operação dos expressos. Com a mesma cor de ônibus é possível variar a frota quando for necessário” – diz explicação da Urbs.

Ainda segundo a Urbs, a diferenciação entre as linhas agora será feita por nome e não por cor. Com isso, será possível remanejar os veículos, o que pode evitar aumentos expressivos na tarifa.

Os ligeirões também terão placas azuis de identificação da linha no painel e na lateral, além do itinerário no letreiro, como o usual.

No interior, os veículos terão dois espaços para cadeirantes. Os modelos mais antigos contam com apenas um lugar.

Leia sobre o projeto dos “ligeirões”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: