São Paulo vai estudar implantação de hidrovias urbanas integradas a ônibus

Publicado em: 11 de março de 2018

FAU já havia feitio um estudo sobre hidrovias urbanas

Projeto será estudado em parceria com a USP, mas não há previsão para as implantações

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo e a USP – Universidade de São Paulo devem começar uma série de reuniões para traçar um plano de viabilidade de criação de hidrovias na cidade.

Precedentes legais para uma rede hidroviária urbana existem.

No ano passado, o transporte hidroviário foi incluído na lei nº 16.703, sobre o Plano Municipal de Desestatização, e ainda em 2014, por meio da 16.010/14, na gestão Fernando Haddad, foi incluída a previsão de redes hidroviárias no Plano Diretor.

A informação sobre os encontros entre a SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes e a USP – Universidade de São Paulo foi confirmada ao site G1 pela gestão Doria em reportagem de Vivian Reis.

O Diário do Transporte teve acesso a um apontamento da FAU/USP – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP de 2011/2012, divulgado em 25 de fevereiro de 2016, no âmbito da Política de Mobilidade Urbana no Município de São Paulo, que mostra a possibilidade de 170 km de hidrovias e a implantação de um anel hidroviário metropolitano.

O plano prevê hidrovias para cargas, transporte urbano de passageiros e para turismo.

Entretanto, a pasta informou que ainda não há previsão para a implantação da rede de hidrovias e nem estudo definido, mas que o objetivo é integrar as embarcações aos ônibus.

A ideia é começar pelas represas e reservatórios, principalmente na zona Sul, e futuramente cogitar navegabilidade nos rios Pinheiros e Tietê.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Adair disse:

    Já existe hidrovias por toda a cidade. ..é só esperar chover

  2. Venancio disse:

    É olha que nem precisa de tanta chuva hein Adair….kkkkk.

Deixe uma resposta