SPTrans afirma que proposta de licitação vai aumentar número de ruas por onde passarão ônibus

Secretaria de Mobilidade e Transportes informa, por meio de nota, que a rede será mais eficiente, passando de 4.600 para 5.100 quilômetros de vias com ônibus

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

A SPTrans, junto à Secretaria de Mobilidade e Transportes, publicou nesta sexta-feira, 2 de março, uma nota com mais detalhes sobre a proposta de licitação dos ônibus municipais de São Paulo, rebatendo informações de que a população seria prejudicada pela medida. A autarquia informou que a intenção é aumentar o número de ruas por onde vão passar os coletivos. A explicação foi divulgada após a repercussão de uma lista com mais de 200 linhas de ônibus que seriam extintas na cidade.

A lista foi divulgada pelo MPL (Movimento Passe Livre). De acordo com a nota enviada pela SPTrans, “a rede vai priorizar mais ônibus menores circulando nos bairros”. Além disso, a proposta pretende criar outras linhas de ônibus, informação que não foi divulgada junto à relação de linhas que seriam excluídas da rede.

Após a mudança, de acordo com a SPTrans, os usuários de transporte público terão mais conforto nas viagens. “A quantidade de lugares nos ônibus irá crescer 10%, passando de 1,03 milhão para 1,11 milhão. O atendimento, assim, será ampliado, não reduzido” – diz trecho da nota.

Quando houve a apresentação das minutas do edital em dezembro do ano passado, a Prefeitura afirmou ao Diário do Transporte que a intenção é cortar sobreposições de linhas, sem afetar o atendimento aos usuários.

Atualmente, São Paulo conta com 1.335 linhas. A intenção da Secretaria de Mobilidade e Transportes é manter 710 linhas da rede atual. Outras 260 serão unificadas, 283 serão alteradas e 44 linhas inéditas serão criadas. Com todas as mudanças, o total deve cair para 1.187 itinerários em três anos.

subi-250.jpg

Segundo a SPTrans, proposta de licitação teria como resultado ônibus menos lotados. Foto: Adamo Bazani

Confira a nota da SPTrans na íntegra:

A Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT) e a SPTrans esclarecem que, ao contrário do que tem circulado nas redes sociais, nenhuma mudança de linhas de ônibus será feita nos próximos dias. Nenhum passageiro vai ficar sem ônibus na cidade de São Paulo.

A lista de linhas elaborada pelo Movimento Passe Livre, que circula nas redes, é falsa (fake news) e tenta, em um ano eleitoral, confundir e desinformar. Além disso, esconde da população a verdadeira proposta de melhoria na rede da cidade.

O fato é que está em consulta pública a minuta do edital de licitação dos ônibus. Essa medida é justamente para permitir que qualquer cidadão possa participar enviando sugestões. No caso das linhas de ônibus, a SMT seguirá aberta à participação da comunidade mesmo após o término do período de consulta e nada será alterado da noite para o dia, sem um amplo debate com a comunidade.

A proposta vai trazer uma rede maior e mais eficiente ao cidadão. Vai aumentar o número de ruas por onde passarão ônibus. Hoje são 4.600 quilômetros. Com a nova rede serão 5.100 quilômetros de vias com ônibus. A quantidade de lugares nos ônibus irá crescer 10%, passando de 1,03 milhão para 1,11 milhão. O atendimento, assim, será ampliado, não reduzido.

Hoje, a cidade conta com mais de uma linha fazendo o mesmo trajeto, o que causa trânsito nas ruas da cidade, aumenta intervalos entre ônibus e diminui a velocidade do sistema. A nova proposta tem como um dos objetivos corrigir essa distorção. E isso vai permitir menor intervalo entre os ônibus e uma maior agilidade nas viagens.

Por exemplo, a linha 6036/10, que liga o Jardim Macedônia a Santo Amaro, na Zona Sul, passaria a ser atendida com integração no Terminal Capelinha. A frota passaria de 13 miniônibus para 34 ônibus básicos, com o intervalo entre veículos sendo reduzido de oito minutos para dois minutos e meio.

A verdade é que a rede vai priorizar mais ônibus menores circulando nos bairros. E ônibus maiores em grandes avenidas e corredores. Isso vai permitir intervalo menor entre as linhas e menor tempo de espera nos pontos de ônibus.

A relação que circula nas redes propositalmente não mostra a proposta de novas linhas a serem criadas para atender a população de São Paulo. Justamente para confundir e desinformar. A SMT garante que nenhuma linha de ônibus deixará de existir sem que uma ou mais linhas sejam criadas para melhorar a mobilidade das pessoas.

Mesmo após o término da licitação, nenhuma alteração será feita de imediato. Novas linhas surgirão de forma gradativa, numa mudança que começa após seis meses e irá até três anos. Ou seja, não dê ouvidos aos boatos. Acredite que a cidade de São Paulo pode ter um sistema mais eficiente e confortável.

A qualquer momento, a comunidade poderá participar e sugerir novas mudanças. O cidadão pode participar da discussão pelo e-mail smtcel@prefeitura.sp.gov.br.

Nesta semana, a SPTrans já havia se pronunciado a respeito do assunto. Confira os detalhes publicados pelo Diário do Transporte:

Em resposta à divulgação de listas de linhas que podem ser cortadas, SPTrans diz que haverá diálogo

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Marcos Leonardo Santos Ribeiro disse:

    Boa noite. Gostaria de saber quando sai essa licitação

    1. blogpontodeonibus disse:

      A informação foi dada em nosso portal. Sinta-se à vontade para navegar por ele e pesquisar

Deixe uma resposta