Mudanças de linhas da EMTU em Osasco e região: Para Barra Funda e Hospital das Clínicas, passageiro terá de seguir de trem ou de ônibus municipal

Serão usados ônibus de grande porte, convencionais e padrons nas duas novas linhas. Clique na foto para ampliar

Alterações ocorrem neste domingo, 25. Nove linhas que hoje partem de cidades da região para a capital paulista vão ser extintas. Duas entrarão no lugar, mas passageiros apontam “buracos” no atendimento com as mudanças. Todas as integrações com desconto só poderão ser feitas com o Cartão BOM.

ADAMO BAZANI

As mudanças de 30 linhas intermunicipais de ônibus em Osasco e municípios vizinhos do sistema da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, que devem ocorrer neste próximo domingo, 25 de fevereiro de 2018, têm preocupado diversos passageiros que entraram em contato com o Diário do Transporte e que apontaram “buracos” e eventuais “falhas” na cobertura por ônibus na ligação destas cidades para alguns pontos da capital paulista.

As alterações vão mexer com a vida dos passageiros das cidades da região Oeste da Grande São Paulo, como Osasco, Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Pirapora do Bom Jesus e Santana do Parnaíba.

Destas 30 linhas de ônibus que vão ser alteradas, nove deixarão de existir, oito hoje com destino ao município de São Paulo passarão a ter ponto final na Vila Yara, em Osasco, sendo integradas no Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 e 13 linhas que já fazem ponto final na Vila Yara também serão integradas com duas novas ligações que serão criadas com a reformulação: 840 para São Paulo (Metrô Butantã) e 850 para São Paulo (Lapa).

O Diário do Transporte divulgou as novas opções de serviços, mas os leitores apontaram que, com a mudança, não haverá mais ônibus diretos para alguns pontos da capital paulista como Barra Funda, Pinheiros e Hospital das Clínicas.

“Com a extinção ou redução de linhas, ficaremos sem nenhuma opção para nos deslocar até a Barra Funda, Pinheiros e Hospital das Clínicas. As novas linhas 840 e 850 não irão atender estes locais. Ou seja, cortaram e excluíram linhas, mas não “taparam” todos os buracos causados por isso. E quando ligamos na EMTU, ela não oferece nenhuma alternativa. É como dizer que ‘se vire’  ao passageiro que precisar ir para estas regiões que hoje tem ônibus, mas que será obrigado a usar as integrações até o Butantã ou Lapa e daí em diante” – disse o leitor Wesley Nuñez

A reportagem entrou em contato com a EMTU, que informou que em determinadas rotas, o passageiro que contava com ônibus direto vai ter de prosseguir a viagem de trem ou no limite com a capital, usar ônibus municipais do sistema da SPTrans.

“No deslocamento até a Barra Funda, Pinheiros e Hospital das Clínicas, os usuários poderão utilizar as linhas [de ônibus intermunicipais] com destino a Osasco (Vila Yara) e acessar, em qualquer ponto de contato entre as redes, a Linha 8 – Diamante da CPTM, beneficiando-se da integração tarifária entre as linhas de ônibus intermunicipais metropolitanas e os trens da CPTM e do Metrô. Outra possibilidade é a transferência para as linhas municipais de São Paulo na Vila Yara, em Osasco.”

A gerenciadora do sistema de linhas de ônibus intermunicipais metropolitanos, ainda diz que outra alternativa é pegar três conduções, em vez de uma como é atualmente: o ônibus metropolitano do ponto de origem mais o ônibus de uma das duas novas linhas e, por último, a linha 4-Amarela do Metrô ou os ônibus municipais do sistema SPTrans.

“Os usuários terão, ainda, a opção da integração com as linhas 840 até Butantã ou 850 até a Lapa, em São Paulo, com posterior acesso às mais diversas linhas da SPTrans ou linha 4 – Amarela do Metrô na Estação Butantã.”

A EMTU ainda orientou alguns passageiros de Itapevi e Jandira a também aumentarem o número de conduções para completar as viagens, usando os ônibus municipais de cada local e depois a CPTM.

“Quem reside nos municípios de Itapevi e Jandira também conta com a opção de integração dos sistemas municipais de transporte com a rede da CPTM.”

Ainda não há uma estimativa de quanto será o aumento da demanda nas linhas da CPTM e da linha 4-Amarela do Metrô com a extinção e redução das linhas intermunicipais metropolitanas.

“Aí depois vai vir o Governo do Estado comemorando aumento no número de passageiros na CPTM e no Metrô. Claro, corta as linhas de ônibus pela metade e joga todo mundo no trem. Claro que amenta. Não é gente que saiu do transporte individual para o público e não é gente que saiu do ônibus porque teve expansão dos trilhos, mas é gente que foi deixada no meio do caminho pelo ônibus” – reclamou ao Diário do Transporte a professora de ciências sociais, e passageira, Rebeca de Oliveira.

Na nota enviada ao Diário do Transporte, a EMTU disse que o objetivo das mudanças é criar mais viagens e aproveitar melhor a rede metropolitana, integrando ônibus, trens e metrô, além de melhorar o trânsito na zona Oeste de São Paulo, o que facilita também a situação de quem opta seguir de carro.

“A reorganização dos serviços metropolitanos que atendem a região oeste da Grande São Paulo começará no próximo domingo (25/02) e terá como objetivo implantar um sistema que utilize as atuais redes de transporte para integração física e tarifária. Isso propiciará maior oferta de viagens, novas opções de destino aos usuários e melhorias nas condições de trânsito nas regiões da Lapa, Barra Funda, Butantã, Pinheiros e Clínicas, na capital.” – disse a nota.

INTEGRAÇÃO SÓ COM O CARTÃO BOM:

A EMTU ainda informou que para não pagar a tarifa cheia de cada ônibus ou dos trens e do Metrô e fazer a integração com desconto, o passageiro será obrigado a ter o Cartão BOM.

Vale lembrar que para a opção que a EMTU sugeriu, com a utilização de ônibus municipais da capital paulista para completar os trajetos, pode sair cara, uma vez que não há integração entre os sistema EMTU e o sistema SPTrans. Os validadores dos ônibus da capital não aceitam o Cartão BOM.

CONFIRA E ENTENDA AS MUDANÇAS:

Passageiros das cidades da região Oeste da Grande São Paulo, como Osasco, Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Pirapora do Bom Jesus e Santana do Parnaíba, e que usam ônibus intermunicipais do sistema da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos devem estar atentos porque haverá várias mudanças de linhas a partir do próximo domingo, 25 de fevereiro de 2018, em razão das operações do Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21, que começou a funcionar em setembro do ano passado.

Grande parte das linhas que iam até a capital paulista será cortadas (seccionamento) no Terminal Vila Yara, em Osasco, como a 020 – Carapicuíba (Vila Dirce) – São Paulo (Pinheiros); 081 – Jandira (Nossa Sra. de Fátima) –  São Paulo (Metrô Butantã); 516 – Jandira (Nossa Sra. de Fátima) São Paulo (Metrô Butantã), via Sta. Tereza; por exemplo.

Ao todo serão oito linhas que deixarão de ir para São Paulo.

No lugar, a EMTU vai colocar em operação duas linhas: a 840 Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 / Metrô Butantã e 850 Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 / Lapa.
Estas duas linhas terão integração no terminal Km 21 com as oito linhas reduzidas que deixarão de ir para São Paulo e com 13 linhas que já fazem ponto final na Vila Yara.

Outras nove linhas vão deixar de existir e passarão a ser substituídas por linhas atuais integradas com as duas novas que serão criadas.

O passageiro deve estar atendo também para o fato de que todas as integrações só poderão ser feitas por meio do Cartão BOM, que é a bilhetagem eletrônica do sistema da EMTU.

A gerenciadora das linhas de ônibus metropolitanas garante que as mudanças vão ter benefícios como aumento da oferta de viagens, criação de opções de deslocamento para algumas regiões que não tinham ligação para a capital paulista e, em alguns casos, as viagens podem ficar mais baratas.

A EMTU ainda promete que as duas linhas novas terão maior frequência e serão operadas por ônibus melhores:  a linha 840 (Metrô Butantã) terá ônibus a cada 10 minutos nos horários de pico; já a linha 850 (Lapa) terá ônibus a cada sete minutos nos horários de maior movimento.

Abaixo, nota completa da EMTU explicando as mudanças, que são complexas:

Em 25 de fevereiro próximo será iniciada a primeira fase do plano de reorganização das linhas metropolitanas de ônibus gerenciadas pela EMTU na região oeste da Grande São Paulo, onde o sistema intermunicipal transporta diariamente cerca de 80 mil usuários.

Os detalhes operacionais dessas alterações podem ser consultados na página da EMTU na internet. Seguem os links por município:

Linhas Barueri: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-barueri.pdf

Linhas Carapicuiba: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-carapicuiba.pdf

Linhas Cotia: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-cotia.pdf

Linhas Itapevi: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-itapevi.pdf

Linhas Jandira: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-jandira.pdf

Linhas Osasco: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-osasco.pdf

Linhas Pirapora: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-pirapora.pdf

Linhas Santana: http://www.emtu.sp.gov.br/EMTU/pdf/linhas-santana.pdf

A reestruturação será concentrada no Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21, em operação desde setembro de 2017, que faz parte do futuro Corredor Itapevi – Osasco. O Terminal Luiz Bortolosso conta com infraestrutura completa para os usuários, destacando-se quatro sanitários, quatro escadas rolantes, quatro elevadores e passarela com acesso à Estação General Miguel Costa da CPTM (linha 8).

Principais benefícios

– Aumento da oferta de viagens;

– Diminuição da sobreposição de linhas nos principais corredores de ônibus;

– Regiões que não tinham opções de transporte para os bairros da Lapa e Butantã, na capital, serão beneficiadas com a implantação das duas novas linhas (840 e 850).

Novas linhas

Serão implantadas duas novas linhas com origem no Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 e que terão como destinos o Metrô Butantã e o bairro da Lapa, ambos em São Paulo. As linhas 840850 serão operadas com ônibus modernos, confortáveis e terão integração tarifária com as linhas originárias dos municípios de Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba e Osasco, oferecendo mais opções de mobilidade aos usuários da região.

 

A linha 840 (Metrô Butantã) terá ônibus a cada 10 minutos nos horários de pico; já a linha 850 (Lapa) terá ônibus a cada 7 minutos nos horários de maior movimento.

Ponto final no Terminal Vila Yara

 

Oito linhas com destino ao município de São Paulo passarão a ter ponto final na Vila Yara, em Osasco, e serão integradas no Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 com as novas linhas 840para São Paulo (Metrô Butantã) e 850 para São Paulo (Lapa). Para conhecer os valores das tarifas integradas, consulte a página da EMTU na internet:

Linha Denominação
020 Carapicuíba (Vila Dirce) – Osasco (Vila Yara)
130 Jandira (Jardim Nossa Senhora de Fátima) – Osasco (Vila Yara)
345 Barueri (Vale do Sol) – Osasco (Vila Yara)
350 Itapevi (COHAB) – Osasco (Vila Yara)
350BI1 Itapevi (Vila Gioia) – Osasco (Vila Yara)
428 Barueri (Jardim do Líbano) – Osasco (Vila Yara)
517 Itapevi (Centro) – Osasco (Vila Yara)
557 Jandira (Jardim Nossa Senhora de Fátima) – Osasco (Vila Yara)

Treze linhas que já fazem ponto final na Vila Yara também serão integradas com as novas linhas 840 para São Paulo (Metrô Butantã) e 850 para São Paulo (Lapa). Para conhecer os valores das tarifas integradas, consulte a página da EMTU na internet:

Linha Denominação
022 Carapicuíba (Vila Dirce) – Osasco (Vila Yara)
082 Pirapora do Bom Jesus (Jd. Bom Jesus) – Osasco (Vila Yara)
082BI1 Pirapora do Bom Jesus (Igavetá) – Osasco (Vila Yara)
082DV1 Pirapora do Bom Jesus (Jd. Bom Jesus) – Osasco (Vila Yara), via Paiol
133 Itapevi (COHAB/Jd. Paulista) – Osasco (Vila Yara)
133BI1 Itapevi (Vila Gioia) – Osasco (Vila Yara)
134 Barueri (Parque Viana) – Osasco (Centro)
223 Carapicuíba (COHAB 5) – Osasco (Vila Yara)
246 Santana de Parnaíba (Jardim São Luís) – Osasco (Vila Yara)
246BI1 Santana de Parnaíba (Jardim Professor Benoá) – Osasco (Vila Yara)
263 (1) Carapicuíba (Novo Horizonte) – Osasco (Vila Yara)
283 (2) Carapicuíba (Cidade Ariston) – Osasco (Vila Yara)
420 Cotia (Terminal Metropolitano de Cotia) – Osasco (Vila Yara)

(1) Integração somente com a linha 840 São Paulo (Metrô Butantã) na Avenida dos Autonomistas, a partir da Estação Comandante Sampaio – km 18.

(2) Integração somente com a linha 840 São Paulo (Metrô Butantã) no Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21.

 

Linhas que serão substituídas

Com a entrada em operação das linhas 840 e 850, nove linhas serão substituídas pelo novo sistema de integração. Segue abaixo a relação das linhas e as novas opções:

Linha Denominação Nova opção
081 Jandira (Jd. N. Sra. de Fátima) – SP (Metrô Butantã) 130 + 840
131 Carapicuíba (Vila Dirce) – SP (Lapa) 020 ou 022 + 850
224 Carapicuíba (COHAB 5) – SP (Lapa) 023 ou 223 + 850023 ou 223 + 180
225 Carapicuíba (COHAB 5) – SP (Pinheiros) 023 ou 223 + 840
385 Pirapora (Jd. Bom Jesus) – SP (Barra Funda) 082 + 850
458 Carapicuíba (COHAB 1) – SP (Barra Funda) 023 ou 223 + 850
516 Jandira (Jd. N. Sra. de Fátima) – SP (Metrô Butantã) 557 + 840
539 Itapevi (COHAB/Jd. Paulista) – Osasco (Vila Yara) 133
805 Pirapora (Jd. Bom Jesus) – SP (Metrô Butantã) 082 + 840

 

Benefícios

– Aumento da oferta de viagens, tanto nas linhas dos bairros até o Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 como nas linhas troncais até o Metrô Butantã e Lapa.

– Diminuição da sobreposição de linhas nos principais corredores de ônibus (Avenida dos Autonomistas, Avenida Corifeu de Azevedo Marques e Avenida Jaguaré) resultando em aumento de desempenho das demais linhas.

– Algumas regiões que não tinham opções de transporte para os bairros da Lapa e Butantã, na capital, serão beneficiadas com a implantação das duas novas linhas (840 e 850).

– Oferta dos destinos Metrô Butantã e Lapa a todos os bairros atendidos pelas linhas alimentadoras que serão integradas às linhas 840 e 850.

– Os moradores dos bairros Cohab, Jardim Paulista e Vila Gioia, em Itapevi, Novo Horizonte e Cidade Ariston, em Carapicuíba, Jardim Veloso e Jardim Santo Antonio, em Osasco e Vale do Sol, Jardim Júlio e Jardim Paulista, em Barueri, contarão com nova opção de transporte por meio da integração para a linha 840 (Metrô Butantã).

– Os residentes em Pirapora do Bom Jesus (Jardim Bom Jesus) e no entorno de Cotia (Terminal Metropolitano Cotia) contarão com nova opção de transporte por meio da integração para a linha 850(Lapa).

– E os moradores dos bairros Jardim São Luís e Jardim Professor Benoá, em Santana de Parnaíba e Igavetá, em Pirapora do Bom Jesus, contarão com duas novas opções de transporte, para o Metrô Butantã e para a Lapa, em São Paulo (linhas 840 850).

Em alguns casos, haverá uma redução com os custos de transporte para os usuários, conforme os exemplos abaixo:

Deslocamento Atual Futuro
Itapevi (Cohab/Jd. Paulista) – SP (Metrô Butantã), via Autonomistas linha 133 até Osasco + linha060 até Metrô Butantã R$ 10,00 linha 133 até Terminal LuizBortolosso linha840 até o Metrô Butantã R$ 6,30
Cotia (TM Cotia) – SP (Lapa), via Autonomistas linha 420 até Osasco + linha180 até a Lapa R$ 11,25 linha 420 até Terminal LuizBortolosso linha850 até a Lapa R$ 6,30
Carapicuíba (Cidade Ariston) – SP (Metrô Butantã), via Autonomistas linha 283 até Osasco + linha060 até o Metrô Butantã R$ 7,00 linha 283 até o Terminal LuizBortolosso linha840 até o Metrô Butantã R$ 5,70

Só com Cartão BOM

A integração com as linhas 840 (Metrô Butantã) e 850 (Lapa) somente será realizada com a utilização do Cartão BOM. A integração por meio do BOM ocorrerá no trecho de contato entre as linhas envolvidas e o usuário deverá dar preferência ao Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21 para a realização de sua conexão.

O Cartão BOM pode ser obtido sem custo nos seguintes locais:

O Cartão BOM também pode ser obtido no Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso – Km 21.

Atendimento aos usuários

Além da página da EMTU na internet (www.emtu.sp.gov.br), os usuários poderão esclarecer dúvidas sobre a reorganização das linhas por meio dos serviços de atendimento ao cliente (SAC) das operadoras: 0800 772 2004; 0800 014 1366 e 0800 770 9299.

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

21 comentários em Mudanças de linhas da EMTU em Osasco e região: Para Barra Funda e Hospital das Clínicas, passageiro terá de seguir de trem ou de ônibus municipal

  1. O vácuo das Clínicas/Angélica seria o mais complexo de se repor, pois nem todas as linhas SPTRANS fazem as vias da 385 e 458, mas como essas linhas possuem só 2 partidas cada, seus usuários já estão acostumados a usar a L8 para retornar para casa.

  2. Olha isso é crime!

    Retirar o direito de ir e vir das pessoas é crime! Além do mais, o transporte é um direito de qualquer cidadão e um dever do Estado.
    Na verdade o Ministério Público precisa verificar o que esta acontecendo na região.

    Tem coisa muita errada nessas mudanças, não temos obrigação de ter cartão BOM e muito menos ficar fazendo várias mudanças de terminais e modais municipais e intermunicipais.

    Olha meu sogro faz tratamento de câncer no hospital das clínicas toda semana e utiliza a linha Cohab / Clinicas, agora imagina a situação. Além da doença, distância ou governo retira o transporte…

    Claramente esta prevalecendo o direito da maior empresa da região de ônibus, que também no sistema municipal de SP é dona das linhas que levam até o centro de SP.

    Ou seja, descaradamente o governo do Estado esta transferindo o dinheiro do trabalhador para alimentar ainda mais estes barões do transporte.

    A canalhice é tanta que compraram um latão de 28 metros do Sul, pintaram de azul e toma aí povão, continua o resto a pé…

    E o governador ainda quer ser presidente ! O cara só é governador do Município de São Paulo e a a Grande São Paulo é LARGADA, imagina as outras cidades do estado.

    A politica de gestão é de isolacionismo regional em pleno século 21 ! Isso é um despreparo sem tamanho no assunto de transporte.

    • Crime é manter linhas de ônibus intermunicipais obsoletas e de baixa demanda, criadas há mais de 40 anos e que atrapalham as linhas e o corredor carregado da SPTrans. O direito de ir e vir de uma minoria que usa essas da EMTU prejudica diariamente o direito de ir e vir da maioria que usam as linhas da SPtrans no Corredor Rebouças.

      Pessoas que realizam tratamentos regulares de saúde nas Clínicas tem transporte gratuito garantido pelas prefeituras da região (vans e ambulâncias). E esses veículos rodam diariamente. Assim, não há motivo para manter linhas da EMTU fazendo o mesmo trajeto, sendo que à partir de São Paulo, essas linhas não tem embarque de passageiros, servindo apenas para congestionar o corredor Rebouças.

      • Crime é defender reorganização sem entender o contexto social. Esqueceu que agora aumentou o custo da viagem para quem faz tais caminhos, além da necessidade de baldeação.

      • Pronto, segundo Ivo Suares os congestionamentos da Rebouças acabaram, fala sério, tanto quem usa os ônibus municipais, tanto quem usa intermunicipais tem o direito de usarem o corredor da Rebouças, e muito fácil resolver problemas criando outros, o duro é ser prejudicado sem uma solução descente há vista, vc trabalha nas clinicas, vá até o butantã e se vire, vc trabalha na região da pompéia, da rua clélia, ou da barra funda se vire da mesma fora, bela solução viu, obrigado por nada viu EMTU

  3. Por isso queo numero de automoveis partuculares aumenta cada vez mais eu trabalho no broklin e vejo muitos carros com placas da grande sao paulo….a tendencia e piorar….os gestores favorecem apenas os empresariosnao esta nem ai para os passageiros….a preocupacao e aumentar o lucro dos empresarios em prejuizo ao passageiro……por isso somos um pais de quinto mundo. Pois governam se para os ricos e nao para o povo

    • Marcos Borges do Carmo // 27 de fevereiro de 2018 às 16:30 // Responder

      É isso aí!votem na próxima eleição pro PT,PSDB é PMDB!mais de 20 anos ou quase com o partido do desgoverno Alckimin o PMDB esteve uma época no estado e NADA fez! É tem um monte que defende o PT. Falta só eles agora no estado pra acabar de afundar esse estado falido que há aqueles que acham que é a Europa.

  4. A EMTU e as empresas de ônibus até agora, não comentou sobre as demissões de cobradores que essas mudanças vão causar. Cortar gastos essa ė a verdadeira motivação para essas mudanças. Sejam mais claros.

  5. Cortes, seccionamentos, são medidas tomadas no mundo inteiro. O problema é que o pessoal quer a linha porta de casa x lugar que preciso ir, independente se vai batendo lata ou não. O seccionamento tem que ocorrer, porque não adianta essas linhas irem pro centro com 10 pessoas e fazendo trânsito enquanto outras passam entopida e fica no trânsito por causa de linhas obsoletas. A EMTU tá certa sim de fazer isso. engraçado que muitos querem a melhora do sistema, mas quando muda, o povo começa a reclamar

    • Sem nocao esse conentario…..se vc paga a passagem tem direito a ir para onde vc quer e como quer….a passagem é paga e nao de graça entao tem que ter linha para onde pagamos…..noa outroa paisea tem trem e metro de qualidade…antes de inplantar esse queriso seccionamento que vc tanto gosta….primeiro tem que melhorar o transporte sobre trilhos….por acaso vc ja andou a pe numa viagem do terminal grajau para o centro??? Cara acorda para vida ou vc e dono de empresa de onibus?? Olha para as pessoas trabalhadoras e nao para o seu umbigo………o transporte intermunicipal ta um lixo……trabalho na berrini o que maia ve sao carros com placas de outras cidades se tivesse onibus direto nao teria tanto carro….eu ando de carro poia nao tem onibus direto o metro e superlotado e o trem alem de lotado demora de passar…….primeiro tem que arrumar a casa antes de cortar linhas….senao o numero de carroa tende a aumentar…acorda brasil

  6. Roberto Carlos Camargo // 24 de fevereiro de 2018 às 03:46 // Responder

    Não é de hoje que a EMTU enquanto gestor do sistema de ônibus tem uma atuação até deixa muito a desejar. O sistema funciona a bel prazer do interesse de empresas e grandes grupos que monopolizam o transporte por Ônibu na RMSP. O serviço é péssimo em muitas linhas, não há fiscalização e muito menos qualidade dos serviços. Se o usuário reclama burocratItam as reclamações para não resolver e tudo está sempre normal. Essa mudança prejeitará muita gente com certeza. Mas para a EMTU mais imontante é cumprir seu papel de vitrina politica e burocracia.

  7. João Grandão dispirro // 24 de fevereiro de 2018 às 20:10 // Responder

    Após 20 anos de atraso…mas perae o e o corredor vai ser o mesmo? Cheio de buraco, estreito e sem fiscalização? Pq do jeito que tá abandonado esses busão novo não dura 1 ano nessa pista, pra quem não sabe , esse corredor tem obrigação do estado também.
    Sr governador a passagem tá cara demais, se houvesse algum investimento nessas regiões não precisariam se locomover em longas distâncias, gasta-se 10x mais em publicidade na tv e no rádio do que em projetos econômicos nas periferias.

    • Infelizmente esse Alckmin só quer holofotes para as próximas eleições. Faz projetos sem se preocupar com a coesão diante da necessidade das pessoas. A barbarie que fez com o as linhas intermunicipais de Osasco e região é uma prova disso. Seccionou tudo no terminal da Vila Yara e criou uma linha troncal com intenerario que não completa o trajeto das antigas linhas. Ai vai fazer propaganda e mostrar um ônibus articulado dizendo que investiu em tantos milhões de reais para mobilidade e que tantas mil pessoas foram beneficiadas com a benfeitoria… triste mas verdade…

  8. Lembrem-se antes de apertar 45 nas urnas em outubro

    • É bom que todo mundo lembrar disso antes de pensar em 45 e ja procurar outro candidato dentre às escassas opções que temos. Para mim Alckmin teve a oportunidade de provar algo e tudo que provou foi ser um político pamonha, bom de números imaginários e que em ano de eleição acelera todos os projetos encalhados há quase 10 anos e na falta deles faz ações sem pensar nas consequências para a população. Para min é carta fora do baralho, nem São Paulo foi um bom administrador, muito menos para o Brasil. Essa é minha opinião mas se houver quem descorda, fique à vontade. Afinal estamos em uma democracia verdade? Rs

  9. Élio J. B. Camargo // 26 de fevereiro de 2018 às 09:07 // Responder

    Está certo que a troncalização oferece maior frequência para os usuários e economia para as empresas, mas não justifica cortar as ligações para Pinheiros, Clínicas e B. Funda e deixarem as pessoas na mão obrigando-as a mais gastos. Eles poderiam atender essas necessidades com linhas de ligação gratuita do Butantã com Pinheiros e Clinicas e Lapa com Barra Funda.
    Lamentável!

  10. Os seccionamentos funcionam quando há um sistema troncal-alimentador que funciona de forma eficiente, que atenda às necessidades de ir e vir dos passageiros e sem custos adicionais. Ótimo a pessoa chegar aqui apoiando os seccionamentos sem tomar conhecimento prévio daqueles que dependem das linhas que foram alteradas e para qual destino utilizavam. É facil falar de linha obsoleta q só anda no máximo 10 pessoas e que atrapalha o trânsito. É facil falar que aqueles da região Osasco – Barueri que faz tratamento nó clínicas pode solicitar transporte da prefeitura de sua cidade para fazer suas viagens. Olha como há pessoas de visão míope da realidade. Essas pessoas não só perderam a comodidade das viagens mas pior ainda quando tornou o trajeto mais caro por não haver mais linha de seu município q interliga com determinado lugar de SP, sendo obrigada a usar um municipal de SP e pagar mais R$ 8,00 (ida e volta) para completar o trajeto (o Bom não é aceito nos municipais de SP). E digo mais: as viagens podem ficar mais cansativas e somando essas consequências, o emprego de muita gente q vem dessa região para São Paulo pode estar em cheque e desestimular a contratação de pessoas oriundas de osasco e região para vagas em SP. Os únicos maiores benefíciados nesse rolo é a EMTU e alguns empresários. E a população que se fod… – é assim que a EMTU e esses que pensam só em si próprio. Soluções paliativas não servem para resolver problemas do transporte público. Seria bom se o sr. Pelissioni, que tem se mostrado um ótimo entendido em transportes fizesse o trajeto com 3 conduções, saindo de Carapicuíba e precisar de ir em algum lugar de SP como o Lapa ou HC em horário de pico.

    • Perfeito esse comentario…tem pessoas que acham pq em outros paises ha cortes de linhas e devemos aceitar isso….a questao que em outros paises temos uma otima rede de transportes sobre trilhos com qualidade e os onibus nao andam abarrotados….aqui e comum ficae 20 minutos esperando um trem da cptm superlotado….entao antes de implantar os seccionamento tao querido por alguns primeiro deve arrumar a casa contruir mais metros e trens….pois cortar linhas e jogar todo mundo no trem e metro é pedir para na primeira oportunidade a populacao trocar o transporte publico pelo particular..

  11. Denise Jorge Leorte // 4 de março de 2018 às 11:28 // Responder

    Vejo a mudança como forma de aumentar a arrecadacao e nao de ajudar os passageiros. No meu caso pagava 1 condução de 5,55 e ia direto de casa para o trabalho e agora serão 2 ou 3 e vou gastar mais que o dobro!

    • Muito provável para não dizermos que há certeza. O interesse do governo é de engordar de $$$ sacrificando a população para favorecer a aqueles que compactuam com a corrupção desses malditos. Não estão nem ai para a população, caso contrário trariam uma solução mais eficiente, sem impactar de forma negativa e cobrindo todo o trajeto realizado pelas antigas linhas. Lembrem se disso antes de votar.

  12. Triste saber que não prevalecem as prioridades Osasco/Hospital das Clínicas, ou linha 225, ficou muito difícil para os usuários.

1 Trackback / Pingback

  1. Linhas entre Guarulhos e São Paulo terão nova integração – Diário do Transporte

Deixe uma resposta