Prefeito do Rio estuda autorizar circulação de táxis de aplicativo em faixa do BRT

Publicado em: 5 de fevereiro de 2018

Aplicativo Táxi.Rio completou 3 meses de funcionamento, e já realizou mais de sete mil atendimentos nesse período

ALEXANDRE PELEGI

Se depender do Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, os veículos cadastrados no aplicativo Táxi.Rio poderão circular nos corredores do BRT carioca.

Crivella apresentou nesta segunda-feira (5) o resultado preliminar dos três meses de funcionamento do aplicativo Taxi.Rio.

Segundo anunciou, a prefeitura estuda agora a viabilidade de autorizar os táxis cadastrados no aplicativo de circularem pelas faixas do sistema BRT.

Em entrevista coletiva, o prefeito afirmou:

“Estamos fazendo estudos para o Táxi.Rio passar pelas linhas do BRT. É uma vantagem em relação aos outros aplicativos. O passageiro vai dar preferência pra nós, porque o táxi vai andar em paralelo ao trânsito. Esse estudo ainda não foi apresentado. Quem sabe vamos oferecer para o Rio de Janeiro. Mas não vale táxi vazio. Só tripulados”, afirmou o prefeito.

O aplicativo de transporte Táxi.Rio entrou em funcionamento oficialmente no dia 1º de novembro de 2017, com dez mil taxistas cadastrados na plataforma.

O diferencial do Táxi.Rio, em relação aos demais aplicativos, é a isenção da taxa de adesão ao motorista que se cadastrar. Outra diferença está no percentual de desconto ao usuário, que fica a critério do motorista, e pode variar entre 10% e 40%.

Ao lançar o app, a prefeitura afirmou que o objetivo era que ele se tornasse uma ferramenta de comunicação instantânea, promovendo a integração entre taxistas, usuários e prefeitura.

BALANÇO DO SISTEMA

No balanço apresentado hoje, a Empresa Municipal de Informática (Iplanrio), que é a responsável pela gestão do Táxi.Rio, informou que realizou mais de 7,5 mil atendimentos aos usuários do serviço.

Nos três meses de funcionamento foram feitas 213.846 corridas, dentre os mais de 14 mil taxistas cadastrados na plataforma, com uma média de descontos de 31,5%. Isso representa uma economia de R$1,95 milhão para os passageiros, ao passo que garantiu um faturamento de cerca de R$ 4,2 milhões pelos taxistas.

O Táxi.Rio, como os demais aplicativos de transporte de passageiros, permite avaliar o taxista. E nesse quesito o serviço foi bem aceito pelos usuários: numa escala de 0 a 5, a nota média dos motoristas foi de 4,84.

Para o carnaval carioca, o prefeito Crivella anunciou que os 300 taxistas mais bem avaliados poderão trabalhar em um ponto nas imediações da Passarela do Samba.

Para este ano, a plataforma do aplicativo sofrerá atualizações, ganhando novas funcionalidades, como o pagamento de corridas realizado diretamente pelo aplicativo, com o cadastro prévio do cartão de crédito do passageiro.

Além desta novidade, a prefeitura anuncia também a “função zeladoria”, que possibilitará o envio pelos taxistas de informações importantes sobre a cidade. E, por fim, a disponibilidade do aplicativo para aparelhos Apple (sistema operacional IOS). Hoje o app Táxi.Rio está ao alcance apenas dos usuários do sistema Android.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Antonio carlos disse:

    Definitivamente a prefeitura enterrou o BRT . Reportagem da Globo mostra a tragédia que se transformou o sistema que não tem nem 5 anos.

  2. WILLIAM HOWARD HOSSELL disse:

    Quando uma pessoa ocupa um cargo sem ter a menor noção de nada, acontecem aberrações como esta. Ele está jogando uma pá de cal no sistema BRT que custou muito caro e foi pago por nós.

Deixe uma resposta