Sem reajuste tarifário, empresas de ônibus de São Luís (MA) estudam devolver ônibus articulados a bancos

Veículos tem mais capacidade de transporte. Clique para ampliar

Sindicato das Empresas diz que Prefeitura da capital maranhense descumpre contrato de concessão ao não reajustar anualmente as tarifas de ônibus

ALEXANDRE PELEGI

Alegando dificuldades para honrar os financiamentos usados para adquirir novos ônibus para o transporte municipal, os empresários que atuam em São Luís, capital do Maranhão, ameaçam devolver os veículos articulados aos bancos credores.

O motivo é a impossibilidade de honrar os pagamentos dos contratos diante da defasagem das tarifas.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) acusa a Prefeitura da capital maranhense de não reajustar as tarifas anualmente, descumprindo o que determina o edital de licitação do sistema de transporte público.

Para os empresários, na ausência da revisão tarifária, os consórcios que operam o sistema de ônibus local estão diante de um quadro preocupante: sem condições de honrar os contratos bancários e de manter salários e benefícios de seus empregados.

O edital de licitação, segundo o SET, estabelece que a Prefeitura deve pagar as empresas pela administração dos terminais e do sistema de bilhetagem, entre outros acessórios.

Como resultado, sem reajuste tarifário, diante de um quadro crescente de custos, o equilíbrio econômico-financeiro não está mais sendo mantido, o que também compromete a qualidade do sistema de transporte de São Luís, afirma o Sindicato que representa as empresas.

Uma das medidas adotadas pelas empresas para mitigar a situação financeira causada pelo desequilíbrio entre receitas em queda e custos em alta, é a devolução aos bancos de 20 ônibus articulados que atualmente operam na capital. Outra alternativa seria a renegociação dos contratos.

Além do problema financeiro, as empresas de ônibus se queixam da situação das vias por onde trafegam os articulados: ruas esburacadas, sem pavimentação própria e sem faixas exclusivas.

A situação de crise das empresas teve início em agosto de 2016, quando a Prefeitura de São Luís lançou o processo de licitação. Pelo contrato, as empresas foram obrigadas a realizar investimentos, e financiaram a compra de 180 ônibus com ar condicionado, além de 20 articulados.

De acordo com o SET, no mês seguinte ao edital, setembro de 2016, a Prefeitura deveria ter concedido o reajuste de tarifas previsto, o que não aconteceu.

Em setembro de 2017, um ano após vencerem o processo licitatório, os consórcios vencedores formalizaram pedido de revisão de tarifas à Prefeitura de São Luís, o que também não foi atendido.

No começo deste ano, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Maranhão (STTREMA), que representa motoristas e cobradores de São Luís, usou a greve da categoria como ameaça para exigir que algumas empresas de ônibus quitassem as pendências legais com a categoria. Eles exigiam o pagamento de salários em atraso e o 13º, caso contrário impediriam a circulação dos ônibus. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/01/11/rodoviarios-de-sao-luis-ma-voltam-ao-trabalho-apos-acordo-com-empresarios/

ATUALIZAÇÃO: Prefeitura de São Luís (MA) anuncia aumento da tarifa, que passa a valer a partir desta segunda-feira, dia 22 de janeiro. O valor da passagem das linhas integradas passa de R$ 2,90 para R$ 3,10 e o das não integradas – atualmente de R$ 2,20 e R$ 2,50 – passa a ter preço único de R$ 2,70.

Leia a matéria:

Após reclamação de empresários de ônibus, São Luís (MA) anuncia reajuste tarifário

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Sem reajuste tarifário, empresas de ônibus de São Luís (MA) estudam devolver ônibus articulados a bancos

  1. Amigos, bom dia.

    A matéria nos trás um fiel retrato do que é o puuuuuuuuuuuuuuuuuuuder no Barsil.

    Ele quer que os contribuintes e empresas cumpram suas obrigações.

    Porém o puuuuuuuuuuuuuder NÃO cumpre nenhuma das sua obrigações, sejam elas legais ou contratuais.

    É o Parque de Diversão Barsil, brincando sempre de administrar.

    Em breve a, BANCO AUTO VIAÇÃO FINANCEIRA S/A

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Ai como responder a pergunta:

    QUE BRASIL VOCÊ QUER PARA O FUTURO ???

    MUDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

1 Trackback / Pingback

  1. Decisão da Justiça determina que 21 ônibus articulados voltem a circular em São Luís (MA) – Diário do Transporte

Deixe uma resposta