Ônibus metropolitanos de BH já estão mais caros a partir de hoje, 1º de janeiro de 2018

MOVE BH

Reajuste é anual e consta dos contratos de concessão

ALEXANDRE PELEGI

Se o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, decidiu não reajustar a tarifa dos ônibus municipais, que condicionou ao término de uma auditoria nas contas do sistema de transportes, as tarifas dos ônibus  metropolitanos da capital mineira já começam o ano, em média, 3,40% mais caros. A informação é da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop).

A passagem mais utilizada pelos mineiros foi reajustada em 3,09%, e se refere às linhas do Sistema Move que atende aos terminais de Morro Alto, São Benedito, Justinópolis, Vilarinho, São Gabriel, Bernardo Monteiro e Terminal Provisório Aarão Reis.

Estas linhas são utilizadas por quase 40% dos usuários do setor, cerca de 6,8 milhões de pessoas, que passarão a pagar desde hoje R$ 5,00 (ante R$ 4,85, valor anterior).

Já as demais dez linhas do Move, que têm as tarifas mais caras (R$10,10), estas não sofreram nenhum reajuste.

Veja a publicação em Diário Oficial do Estado de MG, de 30 de dezembro, com a tabela com os novos valores para todas as linhas, além da tarifa de integração com o metrô de BH:

minas_metropolitano

INDEFINIÇÃO NA TARIFA DOS ÔNIBUS DE BH

Conforme noticiamos no dia 21 de dezembro, os consórcios BHLeste, Dez, Dom Pedro II e Pampulha entraram com mandado de segurança contra o prefeito Alexandre Kalil e contra o diretor-presidente da BHTrans, Célio Freitas Bouzada, alegando que havia risco de afronta ao direito das operadoras, “uma vez que a página oficial da Prefeitura informa que não haverá aumento”.

Segundo as empresas, o reajuste precisa ser publicado no Diário Oficial do Município (DOM) no dia 26 de dezembro, para passar a viger no dia 29 do mesmo mês, “o que corre o risco de não ocorrer se não houver decisão judicial favorável a elas” – conforme diz nota do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

As viações, que querem reajuste de 10,5%, podem recorrer por agravo de instrumento.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o juiz entendeu que a ação “não é pertinente” porque Kalil não se negou a dar o aumento e que sua posição não foi “definitiva”.

A última auditoria foi barrada na justiça, mas o prefeito promete lançar o edital para contratar um novo estudo.

As tarifas municipais em Belo Horizonte variam de R$ 0,90 a R$ 6,10, mas na maior parte do sistema o valor é de R$ 4,05.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Ônibus metropolitanos de BH já estão mais caros a partir de hoje, 1º de janeiro de 2018

  1. Amigos, bom dia.

    “A última auditoria foi barrada na justiça, mas o prefeito promete lançar o edital para contratar um novo estudo.”

    Muito interessante esta notícia; porque será que foi barrada pela justiça ?

    Mas por outro lado, essa questão de contratar empresas para “calcular” a “tarifa” do buzão, ocorre fora de BH também e isto nos leva a crer que todo mundo trabalha às cegas, ou seja, as prefeituras apesar de suas empresas “Jestoras de Trans”, as “JeTrans” NÃO sabem na real qual deve ser a tarifa do buzão.

    Se soubessem não precisa de contratatar ninguém para fazer a lição de casa.

    Oras, se não sabem como firmam contratos.

    É o Parque de Diversão em plea atividade onde todo o puuuuuuuuuuuuuuder brinca de administrar.

    Muda Barasil.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: