Segundo assassinato de diretor da Imperial aumenta suspeita de disputa por poder

Ônibus da Imperial, na zona Leste

Empresa tem origem na cooperativa Nova Aliança

ADAMO BAZANI

O assassinato de mais um diretor da Imperial Transportes Urbanos reforçou a suspeita da Polícia Civil sobre uma possível disputa pelo comando da empresa que atende parte da Zona Leste no subsistema local da rede de transportes da capital paulista.

José Ordilei de Oliveira saía da garagem da empresa no final da manhã desta sexta-feira, em seu carro Vectra, quando foi cercado por um carro e uma moto. Os ocupantes começaram a disparar, fugindo em seguida.

A polícia contabilizou ao menos nove disparos. Três deles atingiram Ordilei na cabeça, que não resistiu e morreu na hora.

O crime aconteceu na rua Leandro de Sevilha, a 50 metros da garagem.

Em 28 de novembro, o também diretor da Imperial, Thiago Zanetti, de 37 anos, também foi morto a tiros em frente da garagem.

Na ocasião, testemunhas viram um homem disparando e fugindo a pé. Relembre:

Diretor da Imperial Transportes, do subsistema local da Capital Paulista, é morto a tiros perto da garagem

Até agora ninguém foi preso pelos assassinatos.

A Imperial surgiu da Cooperativa Nova Aliança, que chegou a ser investigada pelo Ministério Público por suspeita de fraudes.

Para participar em 2015 da tentativa da licitação dos transportes, no ano anterior todas as cooperativas se tornaram empresas. De acordo com fontes do setor de transportes, não foi em todas as cooperativas que o processo de deu de forma tranquila. Algumas empresas, inclusive, apesar do nome, funcionariam como cooperativas na prática.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Segundo assassinato de diretor da Imperial aumenta suspeita de disputa por poder

  1. Triste o ocorrido e ao mesmo tempo intrigante… isso só reforça as suspeitas de relações obscuras dos titulares dessas empresas do sistema local de SP com organizações criminosas… Não se pode afirmar sem ter provas concretas mas fica difícil de negar, que nunca vemos um Micro-ônibus sendo atacado por vândalos em atos de represália nas periferias, quando por exemplo, quando algum meliante é morto por policiais.
    Espero que a polícia civil consiga apurar o quanto antes as circunstâncias que levaram a morte desses dois diretores (que muito certo terem ocorrido por uma mesma causa) e os autores do crime (e mandantes se tiver) sejam descobertos e presos. Impunidade é o que não pode prevalecer.

  2. Não e novidade que são envolvidos com o crime organizado, só e algo que sempre foi maquiado, piada.

1 Trackback / Pingback

  1. Empresa nas zonas leste e sul de São Paulo tem mais de R$ 300 mil em multas por descumprimento de viagens e partidas – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: