Pacaembu será palco de clássicos dos transportes

Publicado em: 2 de novembro de 2017

O clássico CMA, com cara de ônibus americano, foi um dos destaques da edição anterior.

Exposição em São Paulo vai reunir mais de 70 ônibus entre novos e antigos, além de muitos causos e histórias do dia a dia de diferentes épocas da mobilidade

ADAMO BAZANI

A praça Charles Miller, em frente ao estádio do Pacaembu, em São Paulo, vai parecer uma rodoviária no domingo, 26 de novembro.

Mas esta rodoviária vai ser diferente daquelas que a maioria das pessoas está acostumada.

O evento BBF – Bus Brasil Fest, que está em sua 11ª edição, vai reunir ônibus antigos de diferentes épocas ao lado de modelos que foram recentemente lançados pela indústria.

A entrada é gratuita e a exposição é das 10h às 18h.

Os veículos, entretanto, são apenas uma parte do evento. O destaque mesmo fica para as  muitas histórias não só para os aficionados em ônibus, chamados de busólogos, como também para aqueles que têm interesse em conhecer a evolução das cidades por meio dos transportes coletivos.

O monobloco O-321, da Cati-Rose, é um dos mais antigos da exposição

O evento é organizado por admiradores que, sem vínculos com marcas ou empresas, batem de porta em porta das principais garagens de ônibus da região metropolitana de São Paulo e pedem a participação das empresas. Muitas destas viações têm modelos antigos restaurados.

Participam empresas urbanas, metropolitanas, de fretamento e rodoviárias, algumas de abrangência nacional.

Um dos organizadores, o entusiasta Juverci de Melo das Neves, conta que neste ano, já estão confirmados mais de 70 ônibus de cerca de 50 empresas e de colecionadores particulares. O número, segundo ele, representa crescimento do evento ao longo do tempo.

“A exposição se iniciou em 2001 com apenas 8 ônibus e 50 visitantes e teve seu retorno no ano passado com sua 10ª edição com 49 ônibus e um público de 8 mil pessoas” – disse.

Ônibus superarticulado do sistema da Capital Paulista

Juverci destaca alguns clássicos que devem ser expostos.

“Terá clássico ônibus histórico da Turismo Santa Rita (um modelo importado dos anos 1950), a Jardineira da Auto Viação ABC (também dos anos 1950), os monoblocos O-355 da Suzantur e Viação Gato Preto (fabricados entre os anos 1970 e 1980) entre outros clássicos de empresas e particulares. Além disso terá a apresentação de ônibus rodoviários de 15 metros, recentemente lançados. A Planalto Transportes vai mostrar seus diferentes serviços e também haverá apresentação de veículos novos de algumas empresas da capital paulista e da Suzantur, de Mauá” – pontua Juverci.

O organizador também destaca que muito mais que exibir ônibus, o evento busca promover a discussão de como os transportes evoluíram e em quais aspectos podem se desenvolver mais.

“Sabe-se que a admiração por ônibus não é ainda algo tão comum como a que se dá com carros antigos, aviões, caminhões, Fórmula 1, (ainda que com a expansão da Internet ela tenha se evidenciado muito em relação a 2001). No entanto, há um público significativo que não só aprecia o ônibus como é capaz de descrever detalhes de sua composição (carroceria, modelo, ano, chassi, linhas, pinturas de época), especificidades que passam despercebidas do usuário comum. Numa troca de informações a partir da apresentação dos modelos cedidos (antigos e atuais), os participantes acabam tendo a oportunidade de adquirir uma riqueza de aprendizagem em todos os sentidos, principalmente quando se comparam modelos e se analisa a aplicação das tecnologias desenvolvidas no design, na mecânica, no conforto e na segurança ao longo do tempo. Este é um dos objetivos do evento: promover uma reflexão sobre o que foi e o que é o transporte rodoviário e sua evolução. Acreditamos que este conhecimento faz o usuário olhar de forma diferente para o veículo. A intenção é que ele aprenda a valorizar, a respeitar, a zelar por aquilo que faz parte de sua vida cotidiana.”

Paradiso Geração V, de 13 metros

Paradiso Geração VII, de 15 metros

Para as empresas, o evento também é uma oportunidade de negócios e divulgação da marca, segundo Juverci

“Algumas empresas têm aproveitado a oportunidade da exposição não só para mostrar seus veículos (antigos e/ou novos) como também para divulgar seus serviços. A Planalto, por exemplo, veio de Curitiba na edição passada com dois modelos e ainda proporcionou aos visitantes um city tour por alguns pontos turísticos da cidade de São Paulo.  A Eucatur lançou seu DD (Double Decker – ônibus de dois andares) de 15 metros com 4 eixos na nossa feira. Veja o impacto do evento: Tínhamos ali um Monobloco O-321 da Cati-Rose (o carro mais antigo – 1958) e este DD, lançamento no Brasil de 15 m, da Eucatur (2016). Mesmo um leigo que, aparentemente não dá importância para o ônibus, , muda a visão que ele tem sobre o veículo, quando se depara com uma situação que promove dois momentos cronológicos tão distantes num único espaço. São coisas simples,  mas que fazem diferença em relação a como o passageiros verá o ônibus dali por diante. O respeito por algo vem a partir do conhecimento que se tem sobre isso”

Também participam da organização, os voluntários Dorival Nunes Bezerra, Fábio Klein, Fábio Trindade, Mario Thadeu e Marcos Galesi.

Entre as empresas que devem exibir os ônibus estão: Alfa Rodobus,  Auto Viação 1001, Auto ABC, Benfica Barueri Transportes e Turismo, Brasil Sul Linhas Rodoviárias, C&C Transportes e Turismo, Cati-Rose Transporte de Passageiros, Colégio Dante Alighieri, Del Rey Transportes, Empresa de Turismo Santa Rita, Express Transportes Urbanos,FHF Locações e Viagens, Livre Transportes e Locadora de Veículos, Metra Sistema Metropolitano de Transportes, Ralip Transportes Rodoviários, Suzantur – Transportadora Turistica Suzano, Transportadora Turística Benfica, Transportes Santa Maria, Urubupungá Transportes e Turismo,  Viação Cometa, Viação Garcia, Viação Gato Preto, Viação Padre Eustáquio, Viação Santa Brígida,Spencer Transportes Rodoviários, ETTC – Empresa de Transportes e Turismo Carapicuíba,  Planalto Transportes .

 Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Aiiiiiiiiiiiiiiii sim, agora o Novembro ficou AZUL.

    UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUu vou rever a legítima pintura da Viação Gato Preto.

    Espero que deram um talento no O 364, pois na última exposição deu pra ver que ele dava judiadinho, fora dos padrões do Sr. Luiz Gatti que eu conheci bem de perto e admiro até hoje, simplesmente inesquecívelllllllllllllllllllllllll.

    Quem sabe a próxima seja no Memorial da América Latina, pois chegar de buzão no Pacaembú no Domingo é um inferno, nem o 21/21 tem; acho que é 41/41.

    Parabéns ao Sr. Juverci de Melo das Neves e demais organizadores.

    Sugiro que a entrada seja 1 Kg de alimento não pericível.

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção é a Paixão”

  2. Francisco disse:

    A extinta Capriolli mantinha um acervo de veículos antigo raro.

    1. Paulo Gil disse:

      Francisco, bom dia.

      É, mas a Capriolli agora é passado.

      Bem lembrado, que fim será que deu aquele acervo maravilhoso ??????

      Abçs,

      Paulo Gil

  3. Marco disse:

    Muito bacana, seria melhor se fosse um evento só de ônibus urbanos, e tivesse Thamco Padron Aguia, Gabriela, Amelia, etc

  4. Dorival disse:

    Oi, pessoal… só uma pequena retificação: ano do Cati-rose monobloco – 1965

Deixe uma resposta