Ônibus de Curitiba perdem passageiros, e sindicato de motoristas acusa Urbs de cortar linhas

Administração municipal diz que tem realizado ajustes em alguns ônibus que fazem reforços de linhas já consolidadas onde houve queda de passageiros

ALEXANDRE PELEGI

Levantamento divulgado nesta quinta-feira, 24 de agosto de 2017, pela NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, indica que cada vez menos pessoas usam ônibus no Brasil. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/08/24/onibus-no-brasil-perderam-3-milhoes-de-passageiros-por-dia-e-estao-ficando-mais-velhos/

Em Curitiba a situação também é preocupante. De acordo com a Urbs, apenas no 1º semestre deste ano a queda no número de passageiros em Curitiba foi de 8%, índice que se mantém estável nos últimos anos na capital paranaense.

Após o ajuste da tarifa para R$ 4,25 em fevereiro de 2017, a situação se agravou nos meses seguintes, chegando a uma queda de 14% no número de passageiros na comparação com o mesmo período de 2016.

O Sindimoc – Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana tem recebido queixa dos passageiros e dos motoristas. De um lado motoristas alegam que houve redução em algumas linhas , de outro a população reclama da superlotação. “O ônibus passa menos vezes e leva cada vez mais gente”, afirma Anderson Teixeira, presidente do Sindimoc, em matéria do Gazeta do Povo de hoje (26).

A Urbs-Curitiba, que gerencia o sistema de transporte coletivo, garante não ter cortado nenhuma linha em 2017, mas sim realizado ajustes em alguns ônibus que fazem reforços de linhas já consolidadas onde houve queda de passageiros.

A dúvida é saber se o sistema está equilibrado, com a demanda ajustada à oferta de ônibus.

A Urbs esclarece que tem feito esse trabalho, adequando demanda e oferta. E exemplifica com o caso de dois reforços que foram desativados temporariamente por baixa demanda de passageiros: Campo Comprido–Fazendinha, que era reforço da linha Interbairros IV; e Xaxim-Linha Verde, reforço da linha Xaxim-Capão Raso.

No caso da primeira alteração, a linha Interbairros IV tem andado superlotada, segundo os motoristas e cobradores.

A Urbs afirma que outra linha, Ligeirinho Pinheirinho-Santa Cândida, será retirada. O motivo é o mesmo: demanda muito baixa de de passageiros, em função de linhas que que fazem o mesmo trajeto: Ligeirão Pinheirinho-Carlos Gomes, Pinheirinho-Rui Barbosa e Santa Cândida-Capão Raso.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

3 comentários em Ônibus de Curitiba perdem passageiros, e sindicato de motoristas acusa Urbs de cortar linhas

  1. Seccionaram linhas, extinguiram outros para aumentar os lucros das empresas…agora esta ai o resultado…..quem tem carro usa carro, pois pegar 3 onibus onde anos atras pegava-se apenas 1 ninguem merece….eu sou um desses pegava um onibus…seccionaram a linha que eu pegava, agora tenho que pegar 2 onibus…entao resolvi abandonar a linha, so vou de carro……a linha nao mais atende as minhas necessidades…..

  2. Curitiba tem uma frota de carros altíssima, frota que não se via devido à qualidade do transporte coletivo e ao preço da passagem que era acessível, como tudo se inverteu o povo resolveu sair de carro e a cidade está virando um caos.

  3. Amigos, bom dia.

    Se até Curitiba tá nesta situação, imaginem o reto.

    É o fundo do poço.

    MUDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: