Gilmar vai mandar soltar Barata e Lélis Teixeira. De novo

Jacob Barata Filho sendo conduzido à prisão por agentes da Polícia Federal

Segundo jornalista que adiantou a notícia, Gilmar Mendes acha que nos dois casos não há nenhuma razão nova para mantê-los presos.

ALEXANDRE PELEGI

Informação do jornalista do jornal O Globo, Merval Pereira, dá conta que o ministro do STF, Gilmar Mendes, vai mandar soltar hoje, novamente, o empresário Jacob Barata Filho e o presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira.

Mais uma reviravolta no caso que começou nesta quinta-feira, quando Gilmar Mendes, poucas horas após conceder habeas corpus aos dois presos pela Operação Ponto Final, teve sua decisão revogada na prática pelo juiz Marcelo Bretas, que expediu dois novos mandatos de prisão contra os dois. Relembre:

Gilmar Mendes manda soltar Lélis e Barata; juiz manda prender de novo

Segundo Merval Pereria, Gilmar Mendes acha que nos dois casos não há nenhuma razão nova para mantê-los presos.

Ontem, logo após a concessão do habeas corpus de Gilmar Mendes, o colunista do Globo escreveu: “O ministro Gilmar Mendes pode ter razões técnicas para exercer o direito de mandar soltar o empresário Jacob Barata Filho, mas o leigo não entende, não é um procedimento normal. Embora diga que não há nenhum motivo para ele se sentir impedido, é muito desagradável e constrangedor ver um ministro com relações tão próximas com o empresário colocá-lo em liberdade”.

Essas “relações próximas” foram reveladas pelo colunista Josias de Sousa, em seu blog no UOL, que escreveu: “Gilmar é padrinho de casamento da filha de Barata, Beatriz. A moça trocou alianças em 2013 com Francisco Feitosa Filho, que é sobrinho da mulher de Gilmar, Guiomar Feitosa Mendes”.

Horas antes de Gilmar Mendes determinar novamente a soltura de Barata e Lélis Teixeira, a força-tarefa da operação Lava Jato no Rio divulgou ofício solicitando ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que ingresse com pedido declarando o impedimento do ministro do STF em decisões que envolvam os empresários do setor de transportes.

Os procuradores do Ministério Público Federal no Rio justificam o pedido pelos vínculos sociais e profissionais que envolvem o ministro e os empresários. Como exemplos, são citados o fato de Gilmar ter sido padrinho de casamento da filha de Jacob, Maria Beatriz Barata, com Francisco Feitosa Filho, sobrinho do ministro do STF, e de sua mulher, Guiomar Mendes, trabalhar em um escritório de advocacia que atua em casos relacionados aos empresários.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

1 comentário em Gilmar vai mandar soltar Barata e Lélis Teixeira. De novo

  1. Amigos, boa noite.

    Além do casa, separa, casa, separa, há uma bateção de cabeça a toa.

    Pois se o ministro tem relação próxima com o indiciado, SIMPLESMENTE ELE É IMPEDIDO DE JULGAR O CASO. (Suspeição).

    Assunto encerrado.

    Se é tecnicamente correto, fazer o que né.

    Quando o Paulo Gil diz que há necessidade de eliminar 95% da Leis e normas do Barsil, o pessoal reclama, taí o resultado do excesso de leis e normas.

    Casa, separa, casa, separa, casa…

    MUDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta