Depois de mobilização de passageiros, linha na zona Norte voltará a operar em São Paulo

Volta de linha de ônibus foi um pedido de moradores

Cortes de linhas e alterações e trajetos tem causado insatisfação em diversas regiões da cidade

ADAMO BAZANI

Mesmo antes da licitação dos transportes da cidade de São Paulo, prometida pela gestão Doria para ter o edital lançado ainda neste mês, a SPTrans – São Paulo Transporte gerenciadora do sistema, tem realizado uma série de cortes e alterações em linhas de ônibus da Capital Paulista, tanto no subsistema estrutural, operado por viações com veículos e trajetos maiores, como no subsistema local, que serve os bairros e é operado por empresas que surgiram das cooperativas.

No primeiro semestre deste ano, houve alterações ao menos 200 linhas nas 1350 do sistema municipal. Do total, 50 linhas de ônibus foram eliminadas. Mais de 30 linhas foram alteradas, das quais cinco não circulam mais aos sábados e sete deixaram de operar aos domingos e feriados.  Em alguns casos, a SPTrans recuou.

Muitas alterações têm gerado queixa entre os passageiros, que dizem que as viagens se tornaram mais demoradas e que o número de baldeações acaba deixando o deslocamento cansativo e desconfortável.

Na zona de São Paulo, foram realizadas diversas alterações em linhas de ônibus, principalmente no mês de maio.

Os passageiros se mobilizaram e, depois de reuniões com representantes da SPTrans, a 2175 – Jardim Guançã foi reativada. O trajeto que tinha como ponto inicial a Praça da Sé irá agora até o Parque Dom Pedro II. O retorno da linha está previsto para o dia 26 de agosto.

Apesar de considerarem uma conquista, moradores região devem continuar protestando contra outras alterações.

Uma delas é em relação à linha 2033, também do Jardim Guançã, que não deve mais trafegar pela Avenida Tenente José Jerónimo de Mesquita, passando em frente ao distrito policial de nº 90.

De acordo com os passageiros, é única linha com esta origem que passa em frente ao distrito policial.

A SPTrans diz que as alterações são realizadas para melhorar a eficiência do sistema e que pode rever os casos, caso seja necessário.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários em Depois de mobilização de passageiros, linha na zona Norte voltará a operar em São Paulo

  1. Engracado que nao existe um terminal de integracao e um corredor do onibus com linha troncal….para beneficiar o passageiro….o objetivo nao e beneficiar o passageiro mas sim os empresarios e prefeituras…..muitos cortes de linhas sao otimos mais muitos prejudicaram os passageiros….pois empurraram todas para linhas troncais…que tem intervalos curtos, porem perde se 40 minutos para embarcar jos mesmos….devido a lotacao, pois linhas que receberam brt reduziram a froto…..estamos pagando um preco alto….para termos pessimo servico….a qtd de carros nas ruas so aumentara devido a isso

  2. Amigos, boa noite.

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLL

    Pagou bate lata, não pagou, o buzão não roda.

    Remanejamento é só um nome bunitinho.

    Aguardem ai mais uma PREVISIVELLLLLLL do Paulo Gil.

    Muiiiiiiiiiiiiiiiito em breve os articuladinhos trucadinhos, serão os próximos a sumirem.

    Ou alguém acha que Tubarão vai deixar articuladinho trucadinho bater lata sem receber.

    Operar em Sampa pra que ; se no município ao lado a tarifa é R$ 4,20 ????

    Matemática básiquinha da Tia Cotinha.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Ja havia dito que este governo seria o do menos, menos ônibus menos linhas, ai vem o mais, mais intervalos, mais superlotações, mais lucro para as empresas, governo que governa para os patrões, bem feito……

  4. Eu sinceramente briguei pela reativação de uma das linhas, sei que prejudica muitos outros passageiros, mas essa linha 2033 é uma linha MORTA, pra que essa linha? Tantas outras muito mais importante tanto pra nós passageiros como pras empresas, 2204 2175 2171 e eles insistem em manter a MORTA, depois é a gente que é chato ou eles que são burros?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: