EUA condenam Volkswagen a instalar postos de recarga de carros elétricos como castigo por fraude ambiental

Foto: Estação de recarga elétrica na Califórnia (EUA)

Montadora alemã foi processada em vários lugares por ter fraudado software que monitora e controla as emissões de seus carros a diesel.

ALEXANDRE PELEGI

O Conselho de Recursos Ambientais da Califórnia aprovou há poucos dias a primeira parte de um plano proposto pela Volkswagen. A proposta da montadora alemã, no valor de US$ 200 milhões nesta primeira etapa, será direcionada à redução de emissões de gases de efeito estufa no estado.

O plano, na verdade, faz parte da penitência que a montadora terá que cumprir nos EUA por ter manipulado o software que monitora e controla as emissões de seus carros a diesel, inclusive no estado da Califórnia. O escândalo, de proporções mundiais, maculou a imagem da tradicional montadora alemã.

No total, como castigo pelo mal feito, a empresa concordou em gastar US$ 800 milhões em infraestrutura de veículos elétricos em todo o estado da Califórnia ao longo de 10 anos.

O plano prevê a instalação de 2.500 pontos de recarga de veículos elétricos agrupados em 350 praças. Ao todo, nos EUA, a Volks terá de instalar pontos a cada 100 km.

O Conselho da Califórnia aprovou a primeira parte do plano da Volkswagen na quinta-feira (27 de julho), dando permissão à empresa para construir a rede de estações de carregamento de veículos elétricos.

O programa se concentrará inicialmente em bairros de duas cidades, Sacramento e outra ainda a ser definida. A subsidiária da Volkswagen, a Electrify America, comprometeu-se em investir US$ 44 milhões em Sacramento para a construção das estações de recarga, fornecimento de veículos elétricos para sistemas de car-sharing (compartilhamento de veículos), além de outros projetos relacionados a veículos elétricos.

Mary D. Nichols, diretora do Conselho de Recursos Ambientais da Califórnia, disse em uma declaração que a Volkswagen está autorizada a instalar as estações de carregamento em áreas do estado que atualmente não possuem este serviço. Numa declaração à imprensa americana, Mary Nichols disse que essas ações “ajudarão a todo o Estado da California, e especialmente algumas de nossas comunidades desfavorecidas e desatendidas, a mudar para veículos mais limpos e desta forma ajudar a tornar o ar menos poluído, numa luta necessária contra as mudanças climáticas”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta