Todos os abrigos de ônibus da capital paulista devem ser iluminados até o final do ano

Nem todos os abrigos de ônibus são iluminados na cidade e, em algumas estruturas com pontos de iluminação, passageiros dizem que claridade ainda é insuficiente

Promessa é de representante da Concessionária Otima em audiência na Câmara Municipal de São Paulo

ADAMO BAZANI

O Consórcio Otima, responsável por cuidar dos 7,5 mil abrigos de ônibus e mais de 14,7 mil totens de paradas deve iluminar todos os pontos com cobertura até o final deste ano.

A informação foi de representantes da empresa, na tarde desta terça-feira, 30 de maio de 2017, em reunião da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, da Câmara Municipal de São Paulo, de acordo com a agência de notícias da casa.

Para isso, “foi firmada uma parceria com o Governo Estado de São Paulo, a SPObras, a AES Eletropaulo e a Ótima no sentido de concluir esse serviço até o fim do ano” , informa a nota.

De acordo com a empresa, diante dos vereadores, “dos pouco mais de 6,5 mil abrigos de ônibus instalados na cidade, 2.336 não estão energizados, ou seja, estão sem iluminação.”

A empresa foi convocada pelos vereadores para comentar a situação dos pontos e abrigos da cidade de São Paulo. O Consorcio Otima é formado pelos grupos Ruas Invest, Bandeirantes, Kalítera e Odebrecht Transport, este último que está deixando a sociedade.

O consórcio assinou contrato com a prefeitura após processo de licitação, em 2012, por 25 anos, para requalificar 6,5 mil abrigos de ônibus, implantar mil novos abrigos, fazer a manutenção de 12,5 mil totens e implantar mais paradas até um total de 14,7 mil totens.

Em troca, o Consórcio poderia comercializar espaços publicitários nas paradas de ônibus.

Na audiência, os representantes da Otima afirmaram que nos primeiros anos de concessão, o Consórcio acumula prejuízos de R$ 131 milhões e faturamento de R$ 108 milhões.

O motivo dos números negativos, segundo os representantes, é o vandalismo. Por dia, são registradas cerca de 500 ocorrências contra pontos e abrigos de ônibus na capital paulista, o que representa 15 mil casos por mês.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Todos os abrigos de ônibus da capital paulista devem ser iluminados até o final do ano

  1. Amigos, boa noite.

    Se é público, NÃO FUNCIONA.

    Se é provado, NÃO FUNCIONA.

    Se é PPP, NÃO FUNCIONA.

    Segurança pública NÃO TEM.

    Portanto, deixa tudo no escuro mesmo, pelo menos ai o custo é zero.

    MUDA BRASIL.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Só que tem muitos abrigos que nem foram trocados ainda na periferia, aqui na ZL nem se fala, piada viu essa empresa, que de Ótima não tem nada.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: