Nova batida nas marginais, desta vez na Tietê, deixa três pessoas feridas, uma em estado grave

Acidente foi na manhã desta segunda-feira (29), e envolveu um caminhão e um carro na marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, nas imediações da Ponte Cruzeiro do Sul. Duas pessoas do carro ficaram presas às ferragens, sendo que uma delas está em estado grave

Alexandre Pelegi

Após um engavetamento na noite deste sábado (dia 28), envolvendo quatro carros na pista local da Marginal Pinheiros, novo acidente na manhã desta segunda-feira, agora na marginal Tietê, vem piorar as estatísticas das vias após a elevação dos limites de velocidade, determinadas pelo prefeito João Doria em 25 de janeiro de 2017. Estes dois acidentes em apenas três dias somam mais nove feridos em acidentes nas marginais de SP.

Leia sobre o engavetamento na Marginal Tietê: (https://diariodotransporte.com.br/2017/05/28/engavetamento-envolvendo-quatro-carros-na-marginal-pinheiros-deixou-seis-pessoas-feridas-e-interditou-faixa-da-pista-local-por-seis-horas-na-noite-de-sabado/)

O acidente de hoje (29) envolveu um caminhão e um carro, e deixou três pessoas feridas. O choque ocorreu na marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, próximo à Ponte Cruzeiro do Sul.

Duas pessoas que estavam no carro ficaram presas às ferragens, sendo que uma está em estado grave. O Corpo de Bombeiros enviou sete viaturas para o local, e as vítimas foram levadas para o Hospital das Clínicas.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), o acidente aconteceu por volta das 6h19 na pista central.

Por cauda do atendimento às vítimas, o resgate ocupou todas as faixas da marginal, provocando congestionamento até a Ponte Júlio de Mesquita Neto. As pistas foram liberadas uma hora após o ocorrido.

A suspeição das equipes de resgate é de que o motorista do carro teria perdido o controle do veículo, chocando-se na mureta da marginal, quando foi atingido pelo caminhão.

OUTRO LADO:

De fevereiro a abril, três meses após as mudanças determinadas pelo prefeito João Doria, o número de batidas com vítimas subiu 43% em comparação a 2016. Os dados são do batalhão de trânsito da PM.

A gestão municipal repete o mesmo argumento sempre que dados oficiais – seja do Infosiga, seja de outra instituição, como a PM – apontam crescimento no número de acidentes. A CET afirma não ter tido acesso aos dados, e que portanto não pode comentar. Outras vezes, diz que a metodologia adotada é diferente da utilizada pela Companhia. Para finalizar, afirma:”até agora, nenhum dos acidentes fatais ocorridos este ano, por exemplo, sugere a velocidade como causa”.

Já o prefeito Doria atribui o aumento de acidentes à imprudência de motoristas e ao aumento de veículos nas ruas, graças à melhora da economia brasileira.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

5 comentários em Nova batida nas marginais, desta vez na Tietê, deixa três pessoas feridas, uma em estado grave

  1. E um acidente como estes não é imprudência? A quanto estava o veículo? Se houvesse prudência e a velocidade respeitada, aconteceria isto?

  2. Srs, pego as marginais todos os dias. Me desculpem mas a volta da velocidade a 90km não é a principal razão dos acidentes . O q sempre ocorreu e tem piorado muito são três causas : total inabilidade ao volante, condiçoes precárias de veículos , mudança de faixa repentina , onde o sinal de seta, qdo é acionado , é dado ao mesmo tempo q a mudança é feita .
    Outro ponto as motos ; com a desculpa dos “corredores de motos” q isso não existe , este pseudo motociclista agride com sua forma de conduzir seu veículo totalmente inadequada. Eu sou motociclista tb.

  3. Para coibir as tragédias graças à imprudência dos motoristas há uma série de medidas. Uma delas é intensificar a fiscalização. Sabendo que a chance de ser multado é grande, o motorista anda mais devagar, logo, a engenharia de trânsito e a Física ensinam, aumenta o tempo de resposta, e cai a gravidade de possíveis batidas. Outra medida é punir com rigor ações de motoristas que não só colocam a vida dos outros em risco, como penalizam a todos com longos congestionamentos, o que no Brasil ainda é lenda. Logo, a fala do prefeito diz o óbvio. Acidentes são decorrência da imprudência. Mas… se há imprudência, o que ele, como gestor, tem feito para minimizar isso? Eu, como cidadão, quero saber. Até porque o custo envolvido no resgate e no atendimento médico, além do tempo que perdemos na marginal paralisada, não é o Doria quem paga…

    • Marc Prodh, boa noite.

      Gostei, é isso ai.

      “a engenharia de trânsito e a Física ensinam”

      Não há mais o que se discutir.

      O problema é que “Jestores” “fingem” não saber disto.

      Abçs.

      Att,

      Paulo Gil

  4. Luiz Portella: velocidades maiores aumentam a potencialidade dos choques. Isso é óbvio. Se há tudo isso que vc descreve nas marginais, mais um motivo para exigir velocidades menores, que reduzirão a chance e a gravidade dos acidentes. Não é à toa que todas as grandes cidades do planeta estão adotando velocidades menores. Que a Organização Mundial da Saúde sugere isso. Estranho apenas São Paulo insistir em combater algo já comprovado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: