Secretários de Doria e Alckmin vão conhecer de perto novos veículos elétricos em carreata no sábado

Veículo de 23 metros une a flexibilidade de ônibus comum com a emissão zero local da operação elétrica

Empresas como, Eletra, Mercedes Benz, Volvo, Nissan, BYD, Renault, Toyota, Ford, Volkswagen, Porsche vão apresentar carros e ônibus que poluem menos e que já estão sendo produzidos. Skates e bicicletas elétricas também marcar presença

ADAMO BAZANI

A poucos dias do lançamento da licitação dos transportes da cidade de São Paulo, que deve propor uma nova forma de prestação de serviços pelos próximos anos e, do não cumprimento da Lei de Mudanças Climáticas, que deve ter um novo cronograma sendo discutido na Câmara Municipal para implantação de ônibus menos poluentes na capital paulista, a indústria de veículos elétricos decidiu promover uma carreata de modelos com este tipo de tração.

É o Dia da Mobilidade Elétrica, que está na segunda edição. Neste sábado, 27 de maio, a partir das 9h30, vários modelos de ônibus, carros de passeio, de serviços, skates e bicicletas elétricas vão partir da Rua Treze de Maio, darão uma volta pela região central com retorno para a região do estádio do Pacaembu.

Entre os destaques está o Dual Bus, um ônibus superarticulado de 23 metros de comprimento e capacidade para 153 passageiros que pode funcionar tanto como ônibus híbrido (com dois motores, um elétrico e outro diesel), como na versão trólebus (conectado à rede aérea). Também há a possibilidade da versão híbrida com elétrico puro (somente com baterias) no lugar de trólebus. O modelo é feito pela Eletra, empresa de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, em parceria com a Mercedes-Benz, também de São Bernardo do Campo, Caio e WEG.

Também será inaugurado um ponto de recarga de bateria para carros e táxis elétricos pela marca chinesa BYD, que tem planta em Campinas, no interior paulista. Será o primeiro posto elétrico de abastecimento público, doado pela empresa.  O equipamento funcionará em frente ao estádio do Pacaembu.

De acordo com a ABVE – Associação Brasileira do Veículo Elétrico ABVE, que organiza o evento e reúne as fabricantes, o evento terá participação de secretários das gestões do governador Geraldo Alckmin e do prefeito João Doria, como Secretário Municipal de Mobilidade e Transportes – Sérgio Avelleda; Secretário Adjunto da Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade – Irineu Gnecco; Secretário do Verde e do Meio Ambiente – Gilberto Natalini; Secretário Adjunto da Secretaria Municipal de Prefeituras Regionais – Fábio Lepique; Assessor Especial da Secretaria da Saúde – Sérgio Vallin; Subsecretário de Empreendedorismo e da Micro e Pequena Empresa do Governo do Estado de São Paulo – Roberto Sekiya; Subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do estado de São Paulo – Marcelo Strama; além dos vereadores Mário Covas Neto (PSDB), Adilson Amadeu (PTB) e Police Neto (PSD).

Quem tiver algum veículo elétrico também poderá participar do evento e o público em geral será transportado gratuitamente por ônibus elétricos ou híbridos da Volvo, Eletra/Metra e BYD.

O objetivo é demonstrar a viabilidade de carros e ônibus elétricos e os benefícios sociais ambientais e econômicos deste tipo de tração, de acordo com o presidente ABVE, Ricardo Guggisberg.

Confira os modelos e novidades, segundo nota da associação:

A Ford o Fusion Hybrid Titanium – o primeiro carro híbrido a ser vendido no País e líder de vendas no segmento desde o seu lançamento, em 2010.

Além de ter o maior tamanho e potência da categoria, o Ford Fusion Hybrid é referência em segurança, autonomia e eficiência, com um consumo de 16,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada. Isso sem falar nas tecnologias de ponta: o modelo conta com assistente de frenagem autônoma com detecção de pedestres, sistema operado por radar e sensores que ajuda a evitar atropelamentos e colisões, piloto automático adaptativo com “stop and go”, alerta de colisão com assistência de frenagem autônoma, estacionamento automático de segunda geração e transmissão automática de seis marchas, comandada pelo novo seletor rotativo E-shifter, que substitui a alavanca de câmbio no console.

O sedan se une às novidades que já estavam confirmadas, como a Elektra Motors, que apresentará o Tesla Model S, modelo bivolt que tem autonomia para rodar até 440km e que possui uma aceleração de 4,3 segundo (de 0 a 100km/h) e tração nas quatro rodas. Este é o segundo evento público que veículo é exposto.

A Toyota desfila com o Prius, primeiro veículo híbrido a ser produzido em escala no mundo, em 1997. O modelo, que detém o título de híbrido mais vendido globalmente, já atingiu a marca de seis milhões de unidades comercializadas em mais de 150 países. No Brasil, o Prius iniciou suas vendas em janeiro de 2013 e obteve, desde então, 1.600 unidades emplacadas.

Outra atração ligada ao advento da tecnologia híbrida presente no evento será o Lexus CT 200h, o primeirohatchback híbrido de luxo do mundo, produzido pela Lexus, marca de luxo da Toyota. O hatch premium iniciou suas vendas em meados de 2012 no Brasil e, até aqui, chegou à marca de quase 200 veículos comercializados. A Toyota tem posicionado as tecnologias híbridas também como peça fundamental para o século XXI, pois englobam todos os componentes tecnológicos necessários para o desenvolvimento de carros ecologicamente amigáveis.

Já a Eletra apresenta em primeira mão o Dual Bus, ônibus elétrico de conceito inédito, que entra em testes em linha normal no Corredor ABD de São Paulo, na semana de realização da carreata. Desenvolvido pioneiramente no Brasil pela Eletra, sua grande novidade tecnológica está no sistema padronizado de tração, que pode ser alimentado por várias fontes de energia.

A Volkswagen participa com o plug-in híbrido Golf GTE, que reforça o compromisso da empresa em investir em tecnologias sustentáveis. O modelo, que foi apresentado no Salão de São Paulo de 2014, é a quinta opção de motorização oferecida para o Golf no mundo, juntando-se às versões a gasolina, diesel, gás natural comprimido e totalmente elétrico.

A Volvo também desfila novidades e exibe seu XC90 T8, um SUV de luxo que chega ao Brasil apontando o futuro dos veículos da marca, que conta com versões totalmente elétrica, híbrida, com autonomia de até 35km. Já no segmento de pesados, a marca exibe o seu ônibus híbrido, cuja grande vantagem é que ele não precisa de carga externa: a bateria do motor elétrico é carregada com a energia gerada durante as frenagens. Além disso, o modelo conta com produção em escala na fábrica da empresa instalada no Brasil.

A Mercedes-Benz também marca presença com o seu smart fortwo electric drive, veículo compacto, totalmente elétrico, e com velocidade máxima estimada em 125 km/h, acompanhada da Renault, que traz o utilitário Kangoo, e os compactos Zoe e Twizy, e da Nissan, com o modelo Leaf, veículo 100% elétrico e bancos feitos de garrafas recicladas. Da marca Porsche, o evento conta com o Porsche Cayenne S E Hybrid, que chegou ao Brasil ao final de 2016, durante a última edição do Salão do Automóvel e ganhou o selo CONPET, pelo Inmetro, por ser o veículo mais eficiente em sua categoria.

O DUAL BUS:

Para o transporte coletivo, um dos destaques será o Dual Bus, da Eletra. O veículo pode funcionar como ônibus híbrido e trólebus ou então, como híbrido e elétrico puro, permitindo zonas de poluição zero no meio do trajeto.

Em nota, a assessoria da Eletra destaca algumas características do veículo que, segundo a fabricante, pode reduzir a emissão de poluentes em 95%, o consumo de combustível em 28% (na versão híbrida) e o gasto de energia elétrica em 33%, por causa da frenagem regenerativa e novas tecnologias:

“A possibilidade de o mesmo ônibus operar como elétrico híbrido ou trólebus ou elétrico puro agrega vários benefícios para a operação, pois com a mesma frota é possível atender vários sistemas. Além disto a matriz energética pode ser modificada de acordo com a evolução da tecnologia de geração e armazenamento ou mesmo dos custos envolvidos. Por exemplo, uma frota de híbridos pode se transformar em trólebus ou elétrico puro e vice-versa, ou seja, um ônibus elétrico desenvolvido pela Eletra pode operar com duas fontes distintas de energia ou trocar estas fontes de acordo com as demandas exigidas para o sistema de transporte. Esta flexibilidade permite que o gestor público tenha mais segurança na especificação das frotas com menos emissão, já que a tecnologia pode evoluir no mesmo ônibus”, diz a gerente da Eletra, Ieda Alves Oliveira.

O Dual Bus é tracionado apenas pelo motor elétrico e a energia para mover esse motor vem de um banco de baterias e de um motor gerador – esse conjunto também tem a função de recarregar as baterias do veículo. O modelo de veículo elétrico híbrido funciona com as duas fontes de energia (motor gerador e baterias) operando simultaneamente. Como o motor gerador só é usado para produção de energia (e não para tracionar o ônibus), ele é menor que um motor convencional a diesel. O resultado é uma diminuição de emissão de poluentes de 95% em relação à de um ônibus a diesel comum.

No modo híbrido, traz ainda as vantagens de reduzir significativamente a emissão de poluentes, que pode chegar a zero na operação com o motor gerador desligado, e o consumo de combustível em 28%. Como elétrico puro ou trólebus, além de emissão zero, consome 33% menos energia, pela eficiência na frenagem regenerativa.

Outro ponto de destaque do novo modelo é que ele não demanda investimentos em infraestrutura de recarga para as baterias, pois quando está operando como híbrido ou elétrico, as baterias também são recarregadas nas frenagens por meio de um sistema conhecido como Kers, sigla em inglês para sistema de recuperação de energia cinética. Quando o freio é acionado, o motor elétrico vira um gerador e a energia que seria desperdiçada na frenagem é reaproveitada e armazenada no banco de baterias. O ônibus pode rodar até 20 quilômetros como elétrico puro, utilizando somente a energia das baterias.

Com 23 metros de comprimentos e a capacidade de transportar 153 passageiros, o Dual Bus tem chassi articulado de quatro eixos e motor elétrico desenvolvido pela WEG. O gerador, por sua vez, é formado por um motor veicular movido a diesel de cilindrada reduzida de 12 para 7 litros e desenvolvido pela Mercedes-Benz especialmente para o projeto, e um gerador também feito pela WEG. É equipado com moderna transmissão automática Alisson, que facilita a tarefa do motorista e traz conforto aos passageiros. As mudanças de marcha e velocidade ocorrem suavemente, sem trancos, mesmo com o veículo lotado e numa pista em aclive.

O veículo é movido por um avançado conjunto de 193 baterias de lítio, ligadas em série, instaladas em quatro compartimentos sobre a capota. Na versão Elétrico Puro, essas baterias permitem uma tração silenciosa, macia e potente. O Dual Bus desliza suavemente sobre a pista, sem descarregar qualquer tipo de material poluente na atmosfera

Na versão trólebus, a novidade é o sistema pneumático de recolhimento das alavancas coletoras de energia. Nos trólebus comuns, as hastes no teto que se ligam à rede aérea de energia são recolhidas manualmente. No Dual Bus, elas podem ser acionadas diretamente pelo motorista no painel. O ônibus, assim, se desconecta da rede aérea e passa a mover-se por suas próprias baterias sem interromper a viagem.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Secretários de Doria e Alckmin vão conhecer de perto novos veículos elétricos em carreata no sábado

  1. Amigos, bom dia.

    ELETRA, torço por vocês, mas esqueçam o Barsil, o foco de vocês tem de ser a EXPORTAÇÃO, mirem no exemplo da Scania.

    E o taxi da BYD, o BYDÃO, vai estar lá ?

    Esse carro é sensacional, só não sei porque nada se fala dele na mídia.

    Gostaria de vê-lo com mais detalhes.

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção é a Paixão”

  2. Infelizmente tenho que concordar com o Paulo Gil, esqueçam o Brasil, aqui e na picaretagem, fazem uma propaganda danada, depois continuamos com os nossos ônibus velhinhos rodando a poupa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: