Doria fala em fim do cartão do Bilhete Único e dos cobradores, andando de ônibus pela 3ª vez

Doria conversa com passageiros em sua terceira viagem de ônibus na cidade

Até o final do mês de maio, celulares serão testados para pagamento. Licitação quer estipular prazo e fim de catracas convencionais

ADAMO BAZANI

Em mais uma viagem “surpresa” de ônibus na cidade de São Paulo, o prefeito João Doria falou na manhã desta quarta-feira ,26 de abril de 2017, que até o final de sua gestão pretende terminar com o cartão do Bilhete Único. A ideia é que os pagamentos sejam feitos por dispositivos como celulares e chips em relógios.

Na semana retrasada, o prefeito esteve em Seul, capital da Coreia do Sul, e verificou que os pagamentos das tarifas de ônibus são feitos por esses meios.

O prefeito anunciou uma parceria com a empresa Samsung que vai realizar testes em celulares.

Doria afirmou nesta manhã que até  final do mês de maio e início do mês de junho, a cidade junto com a Samsung  deve iniciar os testes em pelo menos duas linhas da capital paulista.

O prefeito, entretanto, não adiantou quais serão estas linhas.

“O dinheiro vai desaparecer e, muito rapidamente, vai desaparecer o cartão também. Você vai utilizar o celular … Vamos testar muito em breve. No final de maio, começo de junho, vamos ter uma linha ou duas testando o uso do celular como meio de pagamento para começar a fazer essa experiência que, lá em Seul, é generalizada. Lá nem usa mais cartão.” – disse Doria

O prefeito também disse que haverá um sistema de bloqueio de créditos em caso de roubo ou perda do celular para o usuário não ficar sem as passagens.

“O sistema colocado no celular é antifraude. Se perder ou tiver furtado o seu celular, ele não pode ser utilizado por outra pessoa

João Doria afirmou também que até o final de sua gestão não haverá mais a figura do cobrador nos ônibus em São Paulo. O prefeito disse, nesta manhã, que diante das inovações tecnológicas e do baixo número de pessoas que pagam a tarifa de ônibus em São Paulo com dinheiro (cerca de 6%, de acordo com a SPTrans, gerenciadora do sistema) não faz sentido ter este custo – os salários dos cobradores.

Os atuais profissionais, na visão de Doria, seriam reaproveitados em outras funções do setor de transportes.

O sindicato, que representa os motoristas e cobradores de ônibus, disse que pretende lutar contra medida e que não haveria vagas para os atuais 19 mil cobradores do sistema.

O prefeito também afirmou que o edital de licitação dos transportes deve ser lançado entre final de maio e início de junho e que já vai haver uma cláusula para que não haja nos ônibus mais as catracas convencionais. As atuais seriam substituídas por modelos com leitores óticos de alta velocidade, o que permitiria os pagamentos por dispositivos móveis.

“Nem serão mais catracas. Esse nome nem vai existir mais. São leitores óticos de alta velocidade”, disse Doria.

Carregadores para celulares devem ser obrigatórios em todos os veículos, inclusive nos mais simples.

Doria fez a ligação 9501-10 entre Vila Nova Cachoeirinha e Largo do Paissandu, da Viação Santa Brígida.

A linha recebeu média 9 de nota dos passageiros. Alguns, segundo o prefeito, deram nota 10.

O ônibus era um superarticulado, com ar condicionado, e de dimensões maiores – 23 metros de comprimento, capacidade para até 210 passageiros

Doria afirmou ainda na viagem que quer que a média de nota dos ônibus da cidade seja constantemente 9 ou 10 e que para linhas de grande demanda, inclusive nos finais de semana, todos os ônibus devem ser articulados, superarticulados ou biarticulados.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes