Câmara Municipal de São Paulo aprova criação de empresas da prefeitura para iniciar processos de privatizações

São Paulo, 26 de Abril de 2017 Câmara Municipal de São Paulo Sessão Plenária, votação do projeto PL 179/2017 do Executivo (SP neócios) Foto: André Bueno/CMSP "Créditos Obrigatórios. Todos os direitos reservados conforme lei de direito Autoral Número 9.610"

Devem ser entregues à iniciativa privada serviços como a gestão do Bilhete Único e também equipamentos como terminais de ônibus, Autódromo de Interlagos e Parque do Ibirapuera

ADAMO BAZANI

Por 42 votos favoráveis e 12 contrários, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite desta terça-feira, 26 de abril de 2017, a criação de três empresas municipais que serão responsáveis por articular e viabilizar o projeto de desestatização na cidade, uma das bandeiras eleitorais do prefeito João Doria.

Com isso foi aprovado o substitutivo da liderança do governo ao Projeto de Lei (PL) 179/2017 do executivo, tendo acolhido 25 sugestões e seis emendas, das 37 apresentadas pelos vereadores.

Serão criadas as seguintes empresas de estudo e gestão:

–  Nova SP Negócios – serviço social autônomo São Paulo Negócios

– SP Parcerias São Paulo Parcerias  – remodelação da atual SP Negócios

– SPDA  – Companhia São Paulo de Desenvolvimento e Mobilização de Ativos.

Em nota, a Câmara Municipal explica que de acordo com o projeto, a SP Negócios, vinculada à Secretaria municipal da Fazenda, deverá administrar os recursos recebidos através dos imóveis que serão privatizados ou concedidos. Já a SP Parcerias, vinculada à Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias, deverá gerir os modelos de parcerias privadas.

A administração João Doria quer entregar à iniciativa privada a responsabilidade de serviços como a operação do Bilhete Único. Hoje o custo de gerenciamento do sistema de bilhetagem dos ônibus da capital paulista é de em torno de R$ 430 milhões por ano.

O sistema de Bilhete Único, de acordo com a proposta da prefeitura, permitiria que com um único cartão o passageiro pudesse pagar a tarifa de ônibus e também utilizá-lo para compras pessoais, crédito, débito, vale-alimentação e como aceso a atrações culturais. Mas até o final da gestão, o prefeito disse que quer eliminar o cartão do Bilhete Único fazendo com que os pagamentos das tarifas de ônibus e outros serviços sejam realizados por meio de dispositivos móveis, como celulares. Testes com a empresa Samsung devem começar entre o final de maio início de junho. Veja a matéria nesse link: https://diariodotransporte.com.br/2017/04/26/doria-fala-em-fim-do-cartao-do-bilhete-unico-e-dos-cobradores-andando-de-onibus-pela-3a-vez/

Também estão na mira da desestatização de João Doria, os 29 terminais municipais de ônibus que, segundo o prefeito, se tornariam espaços multifuncionais, com creches, postos de Poupatempo e shoppings.

O Autódromo de Interlagos e o Parque do Anhembi devem ser vendidos. Já o Estádio do Pacaembu e o Parque do Ibirapuera podem ser concedidos à iniciativa privada por prazos determinados.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Câmara Municipal de São Paulo aprova criação de empresas da prefeitura para iniciar processos de privatizações

  1. Amigos, bom dia.

    Como assim ??????? Alguem pode me explicar ?

    Vao criar “empresas municipais” e /ou privatizar ????

    Que vantagem Maria leva ???

    “Ou Ford ou sai de Sinca”.

    Isso ai esta desatuazido, privatizar BU, se ontem mesmo foi noticiado o fim do BU.

    Creche em Terminal de buzao, sem buzao verde, sem filtro particulado colombiano, mais de 85 decibeis, todos respirando CO2 e outros cancerigenos.

    O que diria Paulo Freire sobre esta pedagogia ?????

    Prof. Dr. Paulo Saldiva, o senhor como medico e especialista, o que acha da “Creche Diesel” ??????

    E A BUSSOLA CONTINUA SEM PONTEIRO.

    Acorda Sampa.

    Att,

    Paulo Gil

1 Trackback / Pingback

  1. Vereadores aprovam Conselho e Fundo de Doria para privatização – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: