Pesquisa anual da FGV projeta que Brasil alcançará um smartphone por habitante até outubro

Conectividade da maioria das pessoas é benéfica para os transportes públicos

ALEXANDRE PELEGI

Dados da 28ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), projeta que o Brasil terá um smartphone em uso por habitante até o final deste ano. A FGV-SP divulgou a pesquisa nesta quarta-feira (19), projetando um aumento da base instalada até outubro para 208 milhões de aparelhos.

Para o setor dos transportes públicos, em particular, esta revolução digital é muito benéfica. Para se ter uma idea disso, no Reino Unido a maioria das grandes empresas, prefeituras e órgãos públicos tem aplicativo próprio há alguns anos, além de manterem seus dados abertos para que desenvolvedores possam criar seus próprios apps. A prefeitura de São Paulo lançou há poucos anos o Mobilab (Laboratório de Mobilidade Urbana e Protocolos Abertos), que trabalha com desenvolvimento de soluções para a melhoria da gestão do transporte, do trânsito e da mobilidade urbana. Vários aplicativos, para diferentes faixas de idade e interesses foram lançados, como o Parknet, que ajuda idosos e pessoas com deficiência a encontrar vagas de estacionamento em São Paulo.

Outro fato importante relacionado ao avanço dos smartphones é que tais aparelhos rapidamente substituíram os computadores no acesso à internet. A maioria dos cidadãos carrega hoje a tiracolo um aparelho que o mantém conectado 24 horas do dia à rede, podendo acessar informações e, mais importante, podendo se comunicar com outras pessoas e até instituições públicas.

Além dos aplicativos desenvolvidos pelo Mobilab, outras iniciativas se espalharam por muitas cidades. Um exemplo recente foi o aplicativo desenvolvido com o apoio da EMTU e da Metra, que permite aos passageiros registrar reclamações sobre os serviços de ônibus em tempo real, o que permite que as gerenciadoras públicas e as empresas operadoras de transporte possam, através de acesso imediato, realizar intervenções rápidas. Veja mais aqui: https://diariodotransporte.com.br/2017/03/24/aplicativo-que-torna-passageiro-mais-atuante-nos-transportes-vence-hackatona-emtumetra/

Em resumo: nunca foi tão fácil ouvir o usuário do transporte público, os pedestres e os ciclistas. Falta ao poder público, que durante décadas só comunicou o que quis, aprender a receber sugestões, ideias, indicações e críticas. Pesquisas em tempo real, segmentação por regiões e temas, tudo é possível hoje nesse novo mundo digital.

Mas como todos sabemos, não basta ter canais de comunicação: é preciso saber usá-los como instrumento de fortalecimento da opinião pública e de aperfeiçoamento da gestão. Os dados estão disponíveis, falta só a inteligência dos gestores em saber usá-los em benefício da cidade.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

1 comentário em Pesquisa anual da FGV projeta que Brasil alcançará um smartphone por habitante até outubro

  1. Um aplicativo de caronas pagas popular, por exemplo eu saio de casa com meu carro e quero dar carona cobrando o mesmo valor de uma passagem de ônibus, isso seria muito bom, já que tem pessoas que não abandonam seus carros por nada, não custa dar uma carona.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: