VLT de Salvador recebe críticas, mas edital sai este mês

Proposta de se mudar os trilhos da malha ferroviária para a entrada do VLT vai deixar toda a população da região sem transportes durante a obra

ALEXANDRE PELEGI

Segundo nota da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia (SDE), o Edital de licitação para concessão do projeto do VLT tem previsão de lançamento para este mês (abril). A nota informa que todos os investimentos serão realizados pelo parceiro privado. Além disso, afirma que o projeto, numa terceira fase, contempla o Trem Metropolitano de Passageiros, que ligará Salvador até Camaçari, na Região Metropolitana.

O VLT vai substituir o atual Trem do Subúrbio. Com 18,5 quilômetros de extensão e 21 estações, estão previstas intervenções em duas fases: a primeira, entre o Comércio e Plataforma, com 9,4 quilômetros; a segunda, entre Plataforma e São Luiz, tem nove quilômetros, e uma terceira, com 1,5 quilômetros, entre Paripe e a localidade de São Luís.

O projeto prevê integração do VLT às linhas 1 e 2 do metrô de Salvador e aos roteiros do BRT metropolitano. A perspectiva é que o projeto, assim concebido, beneficiaria diretamente os mais de 600 mil moradores do Subúrbio Ferroviário de Salvador. A capacidade diária do futuro VLT será de 100 mil usuários.

Audiência Pública: Uma audiência pública realizada na Defensoria Pública do Estado da Bahia sobre o projeto do VLT de Salvador nesta quinta-feira (6) recolheu críticas da sociedade. Algumas ponderações foram apresentadas pelo coordenador do Movimento Trem de Ferro, Gilson Vieira, que afirmou que além de tornar a obra mais onerosa, a proposta de se mudar os trilhos da malha ferroviária para a entrada do VLT vai deixar toda a população da região sem transportes durante a obra. Ele se refere à troca de bitolas semelhantes ao do metrô.

Na audiência pública foi formado o Fórum de Defesa dos Trens de Salvador, reunindo entidades civis, e especialistas ferrovias do CREA e Sindicato dos Engenheiros. Foram apresentadas propostas de revitalização dos trens e a extensão do atual trajeto, entre Calçada e Paripe, para outros municípios da Região Metropolitana de Salvador.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes