Move-BRT recebe nota baixa em estudo da BHTrans no quesito acessibilidade

Técnicos vistoriaram estações do sistema analisando 92 diretrizes, agrupadas em quatro blocos: travessias, passarelas, acessos às plataformas e elementos das plataformas

ALEXANDRE PELEGI

O Move, sistema de Transporte Rápido por Ônibus implantado em Belo Horizonte, recebeu nota baixa no item acessibilidade. Inaugurado em 8 de março de 2014, com operação inicial apenas no corredor Cristiano Machado e central – composto pelas avenidas Santos Dumont e Paraná, teve seus demais corredores inaugurados posteriormente. Hoje o Move opera uma rede de 23 km de corredores, atendendo a 500 mil passageiros por dia.

Após três anos, o Move recebeu da própria gestora do sistema, a BHTrans, uma nota sofrível no quesito acessibilidade às estações: nota 6, numa escala de 1 a 10. Se é uma nota que “dá para passar de ano”, por enquanto ela não condiz com um sistema que nasceu prometendo modernidade e atenção para itens essenciais da mobilidade.

Os técnicos vistoriaram as estações do sistema analisando, ao todo, 92 diretrizes, agrupadas em quatro blocos: travessias (nota 60%), passarelas (65%), acessos às plataformas (69%) e elementos das plataformas (a pior nota, 44%).

A média para cada um dos quatro blocos, em cada um dos três corredores, ficou assim:  Centro (65%), Antonio Carlos (62%) e Cristiano Machado (61%). A média dos três atingiu 62%.

Desleixo e vandalismo

O desleixo do poder público na conservação e manutenção das estruturas de acesso às estações (como as calçadas) foi fator decisivo de rebaixamento das notas. As calçadas, com nota 56%, formam uma das diretrizes da travessia, um dos quatro grandes blocos analisados pelo estudo. E sem calçada fica difícil falar em acessibilidade…

Outro fator que contribuiu para as notas baixas foi o vandalismo.

A maior nota do estudo foi para o item catraca (95%). Só não foi 100% porque nem todas elas permitem a passagem de cadeirantes. A única nota zero foi para os mapas nas estações, que não conseguem ser visualizados por pessoas com deficiência visual.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Move-BRT recebe nota baixa em estudo da BHTrans no quesito acessibilidade

  1. Amigos, boa noite.

    Uma perguntinha:

    Não foi efetuado um projeto por uma equipe de engenheiros ???

    Isso não cola mais, parem com isso.

    Eles não tem CREA ?????

    Att,

    Paulo Gil

  2. ELIO J. B. CAMARGO // 16 de abril de 2017 às 20:06 // Responder

    O projeto não foi aprovado pela BHTrans? Omissão? Depois de 3 anos em funcionamento, onde estava a administradora do sistema? Esta nota também deve ser da BHtrans! Lamentável que a mobilidade no Brasil seja administrada assim.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: