Sindicato dos rodoviários em São Paulo promete lutar contra ônibus sem cobrador

De acordo com a entidade, é impossível remanejamento de todos os profissionais

ADAMO BAZANI

Já estão em circulação, como anunciou em primeira mão o Diário do Transporte na última semana, os ônibus da linha 576-C 10  – Metrô Jabaquara/ Terminal Santo Amaro, da Mobibrasil, que operam na zona sul de São Paulo apenas com validador do Bilhete Único, sem aceitarem pagamento em dinheiro.

Não há mais cobradores e os veículos operam intercalados com os ônibus ainda com os profissionais na linha.

A 576-C 10 tem 17 ônibus escalados, sendo que cinco estão sem validadores, a título de teste.

A medida causou polêmica e divide opiniões. Entre o último sábado, 01º de abril e esta segunda-feira, dia 3, passageiros que não tinham o bilhete reclamaram da dificuldade para usar a linha. Alguns foram transportados mesmo sem pagar e outros foram obrigados a esperar o ônibus de trás. Passageiros relataram intervalos de quase meia hora.

A Prefeitura de São Paulo e o SPUrbanuss, sindicato que representa as companhias de ônibus, informaram que a medida é apenas um teste e que o emprego dos profissionais está garantido.

O plano é   absorver futuramente os cobradores do sistema em outras funções.

O Sindmotoristas, sindicato que representa os motoristas e cobradores, no entanto, contesta.

O presidente da entidade, Valdevan Noventa, diz que é impossível o aproveitamento de todos os 19 mil trabalhadores em outras funções na área de transportes na cidade

“Não é verdadeiro o discurso de que 19 mil trabalhadores serão remanejados para outras funções. Isso é enrolação! Sr. Prefeito será que já não basta 13,5 milhões de desempregados no País? Você quer aumentar ainda mais essa triste estatística? Há apenas uma certeza com relação a esse conflito: a direção do Sindicato e os trabalhadores(as) em transportes vão fazer o movimento de resistência com todos os recursos que têm. Estamos prontos para o combate.  Com fé em Deus, pelo nosso emprego, lutaremos até o fim!”

Quando o Diário do Transporte anunciou o teste, na edição de 29 de março, o presidente do SPUrbanuss, sindicato das empresas de ônibus, Francisco Christovam, garantiu que não haveria demissões.

“Quero tranquilizar a todos e dizer que não haverá demissões de cobradores. Na verdade, esses testes são para preparar o sistema. Vamos verificar com essa experiência como ficarão questões como  evasão de passagens, comportamento dos motoristas e dos usuários. No ano passado,.já realizamos alguns desses testes, mas paramos com a mudança da gestão. Tudo está sendo feito com monitoramento da SPTrans. Cada empresa vai selecionar as linhas para submeter à SPTrans para autorização desses testes. Temos o compromisso firmado com poder público, com sindicato de que a medida não poderá trazer desemprego”

Francisco Christovam também disse que os testes de ônibus sem cobradores serão realizados por todas as empresas do subsistema estrutural. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2017/03/29/onibus-em-sao-paulo-ja-rodam-sem-cobradores-aceitando-apenas-bilhete-unico/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes