Trem rápido entre Americana, Campinas Jundiaí e São Paulo está no pacote de concessões do Governo Federal

Linha deve ser implantada na região da malha de cargas

 

Modal deve fazer a ligação em uma hora e trens devem ter velocidade de 200 km/h

ADAMO BAZANI

Após o fiasco do “trem-bala” entre a região de Campinas e a capital paulista, o Governo Federal incluiu um projeto de trem de média velocidade ligando São Paulo, Jundiaí, Campinas e Americana.

O projeto já está no PPP – Programa de Parceria Público-Privada do Governo do Estado de São Paulo e, agora, no PPI – Programa de Parcerias de Investimentos e é avaliado em aproximadamente US$ 5 bilhões,  a possibilidade de ser financiado pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

O trecho tem em torno de 135 km e as obras, não havendo nenhum entrave, demandariam em torno de 5 anos. O trem pode desenvolver velocidade de 200 km/h e o trem-bala atinge velocidade a partir de 300 km/h

A União também aprovou a liberação da chamada faixa de domínio das atuais ferrovias entre Americana, Campinas e São Paulo para que o trem de média velocidade seja implantado ao lado dos ramais de carga, atualmente operados pela Rumo ALL e MRS Logística.

O Governo do Estado de São Paulo também estuda colocar no pacote o trecho final da linha 7-Rubi da CPTM, sentido Jundiaí.

Entre São Paulo e Jundiaí já existem 60 km de malha ferroviária de carga, que são operados pela MRS Logística, e de serviços de passageiros da CPTM.

Também deve ser expandida uma linha de cargas entre Jundiaí e Americana.

O projeto TIC – Trem Intercidades originalmente possui 431 km de ferrovias ligando as regiões metropolitanas de Campinas, São Paulo, Vale do Paraíba e Baixada Santista.

A reformulação e implantação de malhas custariam em torno de R$ 20 bilhões.

O trecho entre São Paulo e Americana foi considerado prioritário por apresentar maior demanda.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes