Sexto dia de greve de ônibus em Curitiba e região com frota de apenas 31% nas ruas, de acordo com Urbs

Em nenhum dia da greve, Sindimoc cumpriu determinação da Justiça para colocar quantidade de ônibus nas ruas da capital

ADAMO BAZANI

Curitiba amanhece nesta segunda-feira, 20 de março de 2017, com greve de ônibus. Já são seis dias.

Motoristas e cobradores da capital e região metropolitana estão de braços cruzados desde o dia 15 de março.

De acordo com a Urbs – Urbanização de Curitiba S. A., gerenciadora do sistema, às 6h30, apenas 31% dos ônibus estavam circulando.

A Justiça determinou frota mínima de 50% nos horários de pico e 40% nos demais horários.

Outro problema detectado pela Urbs na manhã desta segunda-feira, é que 17 estações-tubo estavam sem cobradores.

A denúncia foi citada na Justiça que pretende investigar se o Sindimoc, sindicato dos motoristas e cobradores, está retirando os profissionais dos locais. Já o sindicato afirma que se trata de boato a intervenção na entidade e registrou uma queixa crime.

Há um impasse entre a categoria e os donos empresas de ônibus em relação ao reajuste salarial e nos valores dos benefícios.

As empresas oferecem 5,43% referente ao INPC –Índice Nacional de Preços ao Consumidor acumulado entre fevereiro de 2016 e fevereiro de 2017. Os trabalhadores pedem 15%.

Nova audiência no TRT Tribunal Regional do Trabalho deve ser realizada nesta terça-feira, 21, para tentar resolver o impasse.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes