Prefeitura de Guarulhos consegue na justiça decisão para aumentar tarifa de ônibus

Reajuste para R$ 4,15 deve ser aplicado nos próximos dias

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Guarulhos, na grande São Paulo, conseguiu reverter decisão judicial contra o reajuste de R$ 3,80 para R$ 4,15, que deveria ter sido aplicado no último dia 20 de janeiro.

Na ação, o poder público argumentou que sem o reajuste, os subsídios para o sistema poderiam chegar a R$ 92,3 milhões. Com o aumento, seria em torno de R$ 62,3 milhões neste ano. Caso não houvesse subsídios, a tarifa hoje, de acordo com os custos do sistema, seria de R$ 5.

A prefeitura ainda não informou quando deve ser aplicado o reajuste.

IMBRÓGLIO E PREOCUPAÇÃO COM A MÍDIA:

O reajuste da tarifa de ônibus em Guarulhos é marcado por um verdadeiro imbróglio e uma grande preocupação das empresas com a mídia.

A cidade seria uma das primeiras da Grande São Paulo a ter reajuste, que chegaria a quase 20%, mas o prefeito Gustavo Henric Costa acabou o revertendo a decisão do seu antecessor Sebastião Almeida e Cancelou  o reajuste.

A pressa das empresas de ônibus e do prefeito anterior resultou em quase dois meses de imbróglio. Nas primeiras notícias sobre o reajuste, as companhias pareciam estar mais preocupadas como os jornalistas noticiavam o aumento do que informar à população nos seus coletivos e terminais.

Foi determinado pelo ex-prefeito Sebastião Almeida aumento de quase 20% em prol das empresas de ônibus que elevaria a tarifa de R$ 3,80 para R$ 4,50 ou R$ 4,20 apenas para quem embarca com Cartão Cidadão a partir de 29.12.16, mas as viações tiveram de suspender por cinco dias por determinação da Justiça porque não comunicaram os passageiros de maneira eficiente e com antecedência suficiente para o cidadão se programar.  As empresas entraram constantemente em contato com jornalistas para reclamar de matérias, mas não fizeram avisos aos seus clientes.  Em 30.12.2016, a Justiça teve outra decisão e suspendeu o aumento até decisão da Ação Popular contra o reajuste. No dia 01.01.17, o novo prefeito Gustavo Henric Costa, Guti, cancelou o decreto do prefeito anterior, Sebastião Almeida que concedeu às empresas reajuste de 18,4% em 11 meses, ou seja, seria o segundo aumento em menos de um ano, embora que as empresas não gostaram que os jornalistas noticiassem este fato. Apesar do cancelamento, as empresas também não gostaram do termo “cancelar”, o que ocorreu de fato.  No dia 12.01.2017, o prefeito Guti anunciou reajuste de R$ 3,80 para R$ 4,15, mas no dia 18.01.2017, a justiça suspendeu o aumento. Aí sim, foi uma suspensão e não um cancelamento.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes