Belarmino foi ameaçado com motosserra e ficou em quarto sem janela enquanto estava sequestrado, diz polícia

Ônibus da Sambaíba, de São Paulo, uma das empresas de Belarmino

Um dos suspeitos preso é ex- investigador da Polícia Civil. Acusados foram seguranças do empresário de ônibus Ao menos dois homens estão foragidos

ADAMO BAZANI

O empresário Belarmino de Ascenção Marta, que foi libertado nesta segunda-feira, 7 de novembro 2016, após 31 dias de sequestro, ficou num quarto fechado, sem janelas e com uma porta com grade.

A informação é da Polícia Civil de São Paulo que conseguiu libertar o dono de empresas de ônibus após ação em conjunto da Delegacia Especializada Anti–sequestro de Campinas – DEAS e da DAS – Delegacia Anti-sequestro da Capital Paulista.

O cativeiro era numa casa dentro de um sítio, na região de Parelheiros, na zona sul da capital paulista.

O delegado Kleber Altale, diretor do Deinter 2, responsável pela região de Campinas afirmou em entrevista coletiva que Belarmino foi torturado psicologicamente até com uma motosserra

“Não teve agressão física, mas psicológica muita, até motosserra ligando como se fosse para executá-lo, então, a vítima sofreu bastante. O local era simples e bastante insalubre”, disse o delegado.

Três suspeitos foram presos, entre eles Jorge Luiz Talarico, que foi chefe dos investigadores do 99º Distrito Policial, na zona sul da capital paulista. Talarico foi expulso da Polícia Civil depois de ter sido acusado de matar um auditor fiscal.

Belarmino chegou a ser testemunha de defesa de Talarico no caso da morte do auditor.

O ex-policial era dono do sítio usado como cativeiro.

Junto com Talarico, nas imediações do cativeiro em um carro com armas e R$ 6000 em dinheiro, estava José Hilton dos Santos que também foi preso em flagrante.

Outro comparsa, Ronaldo Paulino, foi preso no cativeiro onde estava Belarmino.

Todos os três suspeitos já tinham sido seguranças de Belarmino de Ascenção Marta e conheciam a rotina do empresário.

Há ainda ao menos dois suspeitos foragidos, de acordo com as investigações.

Não houve pagamento de resgate e, apesar de abalado, Belarmino passa bem.

GRUPO POSSUI QUATRO MIL ÔNIBUS

O Grupo Belarmino, controlado pelo empresário português Belarmino de Ascenção Marta, chegou a ter em torno de 4 mil ônibus em todo o País.

Entre as empresas estão Sambaíba Transportes Urbanos, da Capital Paulista, ValleSul Transportes e Turismo Ltda no Vale do Ribeira, , VB Transportes e Turismo Ltda., Viação Ouro Verde, Viação Caprioli, Viação Lirabus Ltda, Rápido Luxo, em Campinas e região, Viação Atual, Transguarulhense e Viação Campo dos Ouros Ltda, em Guarulhos e região.

O empresário de ônibus é da aldeia Vilar do Rei, província de Trás-Os-Montes, em Portugal. Nascido em 1937, Belarmino depois de 38 dias de viagem no Navio Giovanni C desembarcou no Porto de Santos, no mês de novembro de 1952.
Dois anos depois, com 17 anos de idade montou com o irmão Antônio Joaquim Marta sua própria banca.
Belarmino visualizou as necessidades de deslocamento da população e que transportar seria um bom negócio, além de ajudar no crescimento da cidade de São Paulo.
Incentivado por um cunhado, entrou no ramo participando da Auto Viação Brasil Luxo da Capital, com apenas 11 ônibus na época.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Belarmino foi ameaçado com motosserra e ficou em quarto sem janela enquanto estava sequestrado, diz polícia

  1. ELISABETE LIMA DOMINGOS // 9 de novembro de 2016 às 04:22 // Responder

    Gente fiquei abalada com essa informação. Eu trabalhei na empresa campo dos ouros em Guarulhos, por 6 anos e já tive o prazer de conhecer pessoalmente seu Belarmino, uma pessoa humilde de bom coração, não merecia passar por isso. Mas Deus é maravilhoso e com a ajuda da justiça ele está bem e em casa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: