Marcopolo produz ônibus de dois andares rodoviário de 15 metros para o mercado brasileiro

15 metros rodoviário Ônibus de 15 metros terá capacidade para 60 pessoas sentadas nos dois pavimentos. Modelo da foto ainda é de versão menor porque a carroceria de 15 metros ainda está em testes, segundo a Marcopolo

Primeira unidade foi da Volvo e está em testes. Outro ônibus da Scania está na linha de produção 

ADAMO BAZANI

Finalmente, a legislação brasileira autorizou neste segundo semestre a fabricação de protótipos de chassis de 15 metros para ônibus rodoviários.  Até agora, esse tamanho de chassi para comercialização é permitido apenas para ônibus urbanos e os rodoviários podem ter até 14 metros.

A fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo confirmou ao Diário do Transporte que já são duas unidades protótipos do modelo Marcopolo 1800 DD – Double Decker, dois pisos.

“A proposta ainda está em fase de aprovação pelos órgãos regulamentadores, mas a expectativa é que em breve mais esta opção possa ser oferecida aos clientes” – explicou em nota ao Diário do Transporte, o diretor de operações comerciais e marketing da Marcopolo, Paulo Corso.

A reportagem apurou que a primeira unidade foi um Volvo, já encarroçado com o Paradiso DD. Outra unidade é da Scania e está em fase final de produção .

Segundo a Marcopolo, este um metro a mais no comprimento amplia a capacidade do ônibus de dois andares para 60 passageiros, além de oferecer maior espaço no salão inferior e no bagageiro.

“Com a nova configuração é possível oferecer uma fileira de poltronas a mais no salão superior e ampliar o espaço do salão inferior do 1800 DD, o que acaba se transformando em  benefícios e vantagens para o operador e também para o passageiro”.

O modelo da Marcopolo sobre chassi de 15 metros é configurado apenas na versão 8 X2, ou seja, de quatro eixos, sendo dois na frente e dois atrás.

“Internamente, o principal destaque é o maior espaço do salão e a elevação do padrão de conforto e de segurança. O veículo possui portas, mais largas, e escadas com desenho inédito para os degraus, que tornam a operação de entrada e saída mais confortável e agradável. A segurança também é garantida pelos corrimãos posicionados de forma mais acessível e iluminação em LEDs por meio de sensores de presença que acendem e apagam as luzes automaticamente. A iluminação do salão de passageiros é toda em LEDs, com luzes indiretas, que criam um ambiente de comodidade e sofisticação. Os LEDs estão presentes também nas luzes de leitura dos porta-focos, com acionamento por toque, que contam ainda com saídas individuais para ar-condicionado, plug para fone de ouvidos e controle de volume do som. Os amplificadores de áudio são individuais e integrados ao porta-focos.

 Para maior conforto, os modelos dispõem de novo monitor frontal em LED de 23 polegadas e monitores em LED de 15 polegadas, posicionados no teto ao longo de todo o salão para possibilitar a melhor visibilidade em qualquer poltrona. ” –complementa a Marcopolo.

MOTORISTAS:

Com o maior do tamanho do ônibus, de acordo com a Marcopolo, foi possível ampliar o conforto, a segurança e a ergonomia para o motorista e o auxiliar.

Ainda na nota, a Marcopolo diz que “os postos do motorista e do auxiliar também foram projetados de forma a facilitar o acesso e melhorar a visibilidade externa. A poltrona do condutor auxiliar está posicionada mais para trás, o que ampliou para 400 mm a distância em relação ao painel.”

O painel possui itens como display da câmera de ré, câmeras internas e o sistema multiplex (funções conjugadas de todos os equipamentos do ônibus).

A encarroçadora de ônibus garante também que as saídas de ar do sistema de ventilação se tornaram mais eficientes e foi possível ampliar o porta-objetos atrás da poltrona.

Iluminação individual para o motorista e para o motorista auxiliar com acionamento sensível ao toque são outros itens de série.

Como opcionais, o ônibus pode vir com sistema de Wi-Fi (internet sem fio), GPS, sistema audiovisual com aparelho DVD e rádio com MP3 e entrada USB.

A Marcopolo ainda informou que o modelo segue o mesmo design da Geração 7.

O valor básico do novo modelo, quando a comercialização for iberada, não foi divulgado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

23 comentários em Marcopolo produz ônibus de dois andares rodoviário de 15 metros para o mercado brasileiro

  1. Tinha que ser 6×2 pra caber mais boneco na parte inferior

  2. Bartels Frizeiro, Alan // 14 de outubro de 2016 às 12:57 // Responder

    Enviado do meu iPhone

  3. Essa história de mais conforto e SEGURANÇA para o usuário? ????
    Mais 4 -6 ou 8 lugares para o frotista sim é verdadeiro.

  4. Amigos, boa noite.

    Para discussão:

    Por que não um articuladinho trucadinho rodoviário ???

    Passageiro, carga, balança e muitos eixos, tudo OK.

    Att,

    Paulo Gil

    • … Boa amigo!!!
      Tbm esta ideia a muitos anos, e as montadoras poderiam pensar nesta possibilidade!!!

    • Houve iniciativas no passado para veículos rodoviários articulados, mas não foram bem aceitos. Pesquise pelo Neoplan Jumbocruiser (falando de veículos no exterior) ou de “articulados rodoviários” falando no Brasil.

      Veículos articulados requerem uma manutenção mais detalhada e tem problemas quanto a vedação da cabine (algo necessário) e segurança.

  5. Ricardo Lenon S. Souza // 14 de outubro de 2016 às 20:45 // Responder

    Bem bacana, só que é algo que a finada Busscar sempre teve

  6. Uma questão: este 1 metro a mais atrapalha em algo? Se antes os veículos eram limitados a 14 metros, há um motivo para isso: raio de curva, acesso a vias menores, etc…

  7. O 8×2 deve ser por uma questão de peso…

  8. Este modelo 15 metros espero que traga mais conforto para os passageiros pois no modelo atual o piso inferior tem sido um desconforto para os clientes pois tenho tido muita reclamação dos meus clientes pelo o motivo que a categoria leito turismo passou a ser executivo, espero que este modelo venha oferecer o verdadeiro padrão leito turismo

    • Ricardo Paula, bom dia.

      Muito interessante sua observação.

      Na atualidade e mesmo com a crise, as indústrias não fazem o que o consumidor necessita.

      Somos “obrigados” a comprar o que tem pelo preço que eles querem.

      Infelizmente, o brasileiro não consegue deixar os produtos nas prateleiras, para virar o jogo.

      Ainda não andei num DD, vou esperar melhorar para não passar raiva.

      Abçs,

      Paulo Gil

  9. washington de siqueira // 15 de outubro de 2016 às 17:24 // Responder

    aproveitando essa materia gostaria muito de pedir uma materia sobre o tamanho de cada modelo urbano em nossas cidades, visto que há diferenças visiveis de modelo para modelo, como no caso do mega plus da neobus,que parece mesmo ser menor que seus concorrentes. abraços

  10. Sou empresário de turismo e já disponho na empresa de vários DDS, massss temos problemas com a lei da balança, bagagem não cabe no maleiro para 60 pessoas e se o carro da problema não encontramos na estrada carro similar para fazer transbordo. Uma super dor de cabeça para quem comprar, além do que não tem porta pacote no piso inferior.

  11. Qntos banheiro um ou dois

  12. O piso de baixo da 1001 São 6 lugares com poltronas individuais, e reclináveis a 180 grau…conforto nota 10

  13. Bom dia amigos…..(sou busólogo, tanto que só sonho com onibus, dentro do bus, esperando bus, perdendo uma condução, coisa parecida. É um trauma de infancia).
    Volto a ressaltar, enquanto as carroçadoras, criam, montam, testam, estes imponentes veículos, eles não correspondem a realidade das estradas. por outro lado acho que poucas empresas dispendem de uma melhor testagem em condutores destas máquinas com relação à (aero)dinâmica em pistas irregulares….Muitos dos desastres com estas máquinas incidem por falta de placas advertencias nas BRs sobre curvas acentuadas e redução de velocidade. Assim como o fato de terem horário marcado para chegada, incorrendo na alta velocidade. Um Erro. Isto não é muito anunciado. Por que ? Lembram dos acidentes que ocorreram no sul do país…(eu não viajaria num DD…)

  14. Os lugares a mais servirão para os passageiros que viajam de graça, pela lei dos velhinhos.

  15. Leandro Fernandes // 20 de janeiro de 2017 às 01:46 // Responder

    Quando é que a marcopolo produzirá lds de 15 metros? visto que estão inovando nos dds, creio que os lds seriam bem melhores com maior espaço para o bagageiro.

  16. Alvino Rodrigues Vieira // 26 de janeiro de 2017 às 10:29 // Responder

    Não entendo a polêmica do passe livre do idoso. se o ônibus está lotado, não há prejuizo, se está vazio, iria rodar sem ninguém do mesmo jeito.

    • Caro Alvino, realmente você não entende, então cumpre alguns esclarecimentos.

      Um ônibus como o da matéria custa, por baixo, cerca de 1,3 milhões de reais. Para fazer ele rodar, há necessidade de combustível, funcionários, infraestrutura nas rodoviárias, peças de reposição, seguros, pedágios, entre outras coisas.

      A título de curiosidade, com 1,3 milhões dá para receber cerca de 13 mil por mês em juros, sem levantar da cadeira. Logo, para se pagar o ônibus é necessário cobrar todas essas despesas nas passagens, diluindo-se o custo pelo número de poltronas (passageiros).

      Ocorre é que pela lei, alguns assentos são reservados para não pagantes, logo, quem compra as passagens está subsidiando os assentos gratuitos.

      No caso dos ônibus urbanos, mais da metade não paga, então o custo é dividido entre os pagantes, então temos um transporte dito popular a 4 reais.

      Quem não paga fica feliz. Quem paga fica com raiva ou vai a pé, de carro, de moto, que é mais barato.

      Para piorar, querem fazer isso também nos aviões.

      Esse tipo de coisa prejudica o teatro e o cinema, com a chamada meia-entrada. Aumenta-se o preço para se chegar numa média, afinal ninguém assiste meio-filme ou meio-espetáculo, não é mesmo?

      E eis que encontramos o governo, posando de bonzinho, criando leis para dar esmolas com o chapéu alheio.

      Ah, mas eu sou malvado e não gosto de velhinhos e pobres? Negativo. Eu quero mesmo é que o governo isente ônibus, peças e combustíveis de todos e quaisquer impostos e taxas, afinal transporte é necessidade e ajuda o crescimento do país.

      Se fizerem isso, o preço das passagens fica acessível, todos poderão pagar, o número de linhas e horários cresce, gerando emprego e renda para mais pessoas.

  17. Everton Souza da Silva // 1 de novembro de 2018 às 00:35 // Responder

    RECLAMAÇÃO DOS MODELOS DE DOIS ANDARES.
    Viajei no inverno, vidros estavam escorrendo água, Com muito calor, no interior do ônibus.
    Os passageiros Respirando o mesmo ar no interior do ônibus. Pois os vidros estavam escorrendo água da respiração dos passageiros.
    A senhora minha mãe com um pano seco foi limpar o vidro do ônibus na poltrona 31, em poucos minutos pano todo molhado.
    Tinha uma senhora com mais idade, para ir no toalhete, ônibus em movimento ela teve que descer os degraus do ônibus. Com dificuldade para descer nas escadas e ônibus em movimento. RISCO DE ACIDENTE.

    Data 26/07/2018.
    Saída de Santa Maria X Porto Alegre. Horário 18:00. BOX 05. Prefixo: 2134.
    Horário Saída 18H03 Chagada em Porto Alegre 22h27.
    Motorista informou temperatura do Ar Condicionado estaria em 24 Graus.
    Ar condicionado temperatura entre 16 até 18 Graus, marcando.
    Eu minha mãe estávamos na Poltrona: 41 e 42
    Reclamações:
    Eu chego em casa, eu e minha mãe começamos com uma dor de garganta, minha garganta estar inflamada.
    Data 27/07/2018 Estou com sintoma de resfriado, sair bem ontem eu minha mãe, e voltamos com resfriado.
    Ano 2017 Viajei no mês de Maio estava FRIO e CHOVENDO, mas os VIDROS estavam SECOS e o Ar condicionado temperatura ideal. Prefixo 1667 da Empresa Planalto. G7 Modelo Antigo, NÃO TEM DOIS ANDARES.

    Nestes modelos de DOIS ANDARES: Parte Superior, tem a impressão que vai virar ônibus, quando motorista aumenta a velocidade.
    E também quando começa a ventar, não teria o risco de virar um ônibus deste modelo.

    Gostaria da Resposta, Por que Ar condicionado destes modelos com dois andares, funcionam assim?
    A fabricante MARCOPLO poderia Responder, ou a Empresa Fabricante desde modelo de Ar Condicionado poderia responder?
    E se responder como faz para sair o Ar que os passageiros respiram do interior do veículo para fora do Veículo?
    Pois a respiração dos passageiros ficam embaciados os vidros do ônibus.
    Pois outros modelos antigos, tinha próximo ao porta bagageiros, furos para sair a ventilação do Ar condicionado, modelos antigos.
    E tinha no capo do ônibus sistema de Ar condicionado era no centro, agora ficou ocupando espaço do Porta bagagem de mão nas poltronas de 17 até 28.
    E também se vocês ou a Fabricante MARCOPOLO já pensarem quando fizeram este projeto de ônibus de dois andares sobre a segurança dos passageiros idosos que tem que ir ao Toalhete para descer e subir com o ônibus em movimento. RISCO DE ACIDENTE ao descer ou subir nos degraus do ônibus.

    Na hora de comprar as passagens, a funcionária da VEPPO de Porto Alegre, Informou tinha as poltronas 31,32, disponível, no dia 24/07/2018 Terça-Feira. Mas quando fui viajar na IDA 26/07/2018. Tinha vários lugares sobrando, nos modelos de dois andares, porque acontece isto?
    Na VOLTA a funcionária da Estação Rodoviária de Santa Maria, comunicou tinha somente disponível as poltronas 41,42. Mas nas volta tinha alguns lugares vazios, mesmos modelos de dois andares.
    Antes os modelos de ônibus da empresa eram excelentes, com segurança para ir ao toalhete.

1 Trackback / Pingback

  1. FetransRio terá novidades nos segmentos de ônibus urbanos e rodoviários – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: