Desafio Intermodal vai contar com deficiente visual pela primeira vez

Terminal Bandeira Terminal Bandeira será um dos pontos de passagem do Desafio Intermodal

 

Evento ocorre desde 2006 e tenta mostrar que o carro nem sempre é a melhor alternativa

ADAMO BAZANI

Nesta quinta-feira, 15 de setembro de 2016, será realizado em São Paulo, o Desafio Intermodal 2016.

O evento ocorre desde 2006 e tem o objetivo de mostrar que nem sempre o carro é a melhor opção de deslocamento na cidade.

Todos os anos são comparadas as viagens com as mesmas origens e destinos feitas em modais diferentes como bicicleta, carro, moto, ônibus, ônibus mais metrô, cadeira de rodas, patins, skate e até mesmo um helicóptero. A iniciativa é do Instituto Ciclo BR.

Entre os itens analisados estão: o tempo para o deslocamento por meio de cada modal, o dinheiro gasto e a poluição emitida pelo veículo para se locomover.

A partida será às 17 h da Praça General Gentil Falcão, no Brooklin, tendo como destino a Prefeitura de São Paulo, que está localizada no Viaduto do Chá. O trajeto todo é estimado em 11,3 km.

Pela primeira vez, nesta edição, um deficiente visual irá fazer o trajeto.

Luiz Eduardo Porto vai usar transporte coletivo. Para cumprir o desafio, Porto fará uso do aplicativo CittaMobi Acessibilidade, que ele mesmo ajudou a desenvolver em parceria com a empresa de tecnologia Cittati.

Porto deve sair da Praça General Gentil Falcão em direção ao Terminal de ônibus Bandeira e de lá, vai embarcar em outra linha que leva até o Viaduto do Chá.

O aplicativo pode ser instalado gratuitamente em qualquer smartphone por meio de lojas virtuais.

Além de informar os horários, trajetos do ônibus e a previsão de chegada ao ponto,  a versão acessibilidade possui ferramentas destinadas a quem possui dificuldade visual como alertas sonoros que são acionados por GPS quando o ônibus das linhas desejadas está se aproximando do ponto tanto para embarque como para desembarque.

O sistema foi lançado em São Paulo em setembro de 2015. Entre fevereiro e março deste ano, começou a ser testado por oito deficientes visuais em um projeto piloto, quando deram suas opiniões para melhorar o aplicativo. A SPTrans – São Paulo Transporte, que gerencia o sistema da cidade, homologou o aplicativo em abril.

Adamo Bazani, Jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: