Júlio Simões: História para superar a crise

Julio Simões

Ônibus de fretamento monobloco O-371 da Julio Simões. História do grupo é disponibilizada em museu da companhia.

Museu de grupo de transportes ajuda a criar laços com os funcionários aumentando o engajamento para vencer desafios

ADAMO BAZANI

A valorização da história pode ser uma importante ferramenta para superar os desafios do presente, inclusive em períodos difíceis e de crise como o atual.

É o que tem vivenciado o Grupo JSL com o Centro de Memória e Cultura Julio Simões, um museu que foi instalado na sede da empresa, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

Por fotos, documentos e veículos antigos, o museu conta a história da empresa de transportes e do fundador, Julio Simões, que iniciou os negócios em 1956.

A trajetória da empresa e do empreender ajuda a contar parte da história dos transportes na Grande São Paulo e um pouco do dia a dia da região, já que o setor é relacionado a incontáveis memórias pessoais ao longo do tempo.

O imigrante português Julio Simões, que começou a vida profissional como mecânico de caminhões na empresa do tio, morreu em 2012, mas deixou um legado, tanto nos negócios como no exemplo de empreendedorismo. Simões chegou a ser o proprietário da maior frota de caminhões do país, atuando também nos setores de máquinas e equipamentos, aluguel de veículos e transportes de passageiros por ônibus urbanos e ônibus de fretamento.

Ao mostrar aos trabalhadores e população que cada um faz parte da trajetória da empresa, o museu tem como objetivo inspirar e estimular as pessoas. Uma das lições é que todos podem ser empreendedores e desbravadores, sem necessariamente se tornarem empresários.

A vida como o maior empreendimento.

Julio Simões História

O grupo Julio Simões foi fundado em 1956, com um caminhão. Nos anos de 1980 já atuava em diversos segmentos relacionados ao transporte e serviços.

“Para os 24 mil colaboradores da JSL, o resultado é orgulho e a sensação de pertencerem a algo maior, que influencia no desenvolvimento do país”, disse em nota o diretor executivo da JSL, Fábio Velloso.

O gerente da empresa Hay Group, de consultoria global de gestão de negócios, Elton Moraes, disse que quando uma companhia valoriza sua história e é condizente na prática com os princípios anunciados, cria engajamento do trabalhador que se identifica como parte atuante do negócio.

“Esse sentimento é mantido e o engajamento acontece quando o colaborador está envolvido nos processos, tem autonomia e participa de decisões. Traz a vantagem de torná-lo fortalecido para enfrentar situações extremas que surgem em tempos de crise econômica, por exemplo, através da inteligência emocional e o know how necessário para pensar estratégias que favorecem ele e a empresa.” – explicou o consultor.

Um dos destaques do museu é um caminhão Ford F8, réplica do primeiro veículo comprado por Julio Simões em 1956.

Ford F8

Ford F 8 é um dos destaques do museu. Modelo semelhante foi o primeiro veículo do grupo.

Mais que incentivar os trabalhadores do grupo de logística, o museu é voltado também para a população, em especial estudantes, que podem realizar visitas agendadas, conforme explica a empresa em nota:

“Além de impactar diretamente os colaboradores, essa iniciativa da JSL atinge ainda outro público importante do Centro de Memória e Cultura Julio Simões: as escolas. Com visitas agendadas, os estudantes podem conhecer o espaço e assim são apresentados ao programa “Você Quer? Você Pode!”.  Com base na história de Julio Simões e depoimentos de outros colaboradores que cresceram dentro da empresa, o projeto mostra aos alunos que é possível sonhar alto e chegar longe. Não importa de onde cada um venha ou de como vai começar. A ideia transmitida é que com estudo e trabalho nada é impossível. O endereço é Avenida Saraiva, 400, Brás Cubas, Mogi das Cruzes, São Paulo. Telefone (11) 2377-7000.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Júlio Simões: História para superar a crise

  1. JOÃO AYRTON LAMBIASE // 31 de agosto de 2015 às 20:44 // Responder

    Realmente a Julio Simões é sinonimo de garra e perseverança, chegou onde chegou, continue assim. Meu cunhado trabalhou lá por muitos anos.

  2. Amigos, boa noite.

    Parabéns à JSL.

    É aberto ao público nos finais de semana ?

    Tem um tour virtual pela Internet ?

    Aproveitando a oportunidade:

    E o museu da Breda, é abeto ao público nos finais de semana ???

    Se alguém puder colaborar com as respostas fico agradecido.

    Att,

    Paulo Gil

  3. AURINO ALVES DE FIGUEIREDO // 19 de setembro de 2017 às 09:33 // Responder

    parabéns ao grupo JSL uma historia muito bonita serve de inspiração pra muita gente que as vezes tem medo de se arriscar em fazer um bom negócio que Deus abençoe o grupo JSL e continue crescendo cada dia mais!.

    Ass. Aurino A. de Figueiredo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: