Museu dos Transportes de São Paulo completou 30 anos com média de 40 visitas por dia

Museu Gaetano Ferola

Museu mantém ônibus, trólebus, bondes e outros veículos de diferentes épocas que contam a história dos transportes, além de móveis, passes, documentos e fotos

Museu  completa três décadas e preserva mais de 140 anos da história do transporte  coletivo na cidade

Com entrada gratuita, mais de 40 pessoas por dia visitam os antigos ônibus que circulavam na cidade de São Paulo.

Quem caminha hoje em dia pela capital paulista e vê os grandes ônibus circularem pelas ruas e avenidas, não imagina que há 140 anos o transporte público era bem diferente. Não era motorizado, não tinha portas e a estrutura dos veículos era de madeira. Relíquias  como esta encontram-se em exposição no Museu do Transporte, que se mistura  à história da cidade, revela a São Paulo charmosa do século XIX e retrata a constante evolução do transporte urbano.

A visita ao Museu é gratuita e, em 2014, 14.338 pessoas passaram por lá e conheceram  de perto o primeiro bonde que circulou em São Paulo,  entre 1872 a 1900: uma época de grande transformação urbanística na cidade, com a inauguração da avenida Paulista, em 1891, e do Viaduto do Chá, em 1892.

Uma grande galeria de fotos compõe um dos salões do museu e traz  à memória momentos marcantes da história do transporte  na cidade . O acervo exibe cerca de 1.500 imagens e cartazes publicitários que ilustram as  diferentes  épocas e a evolução dos ônibus na capital  paulista.

A cidade cresceu, a população aumentou, os bairros expandiram e o transporte não parou no tempo.  As ruas  em que antes circulavam os ônibus de madeira, hoje  cederam espaço a coletivos de tecnologia avançada, diferentes modelos e tamanhos, equipados com os mais variados recursos e que , cada vez, mais acompanham a necessidade da população paulistana em tempos de século XXI.

Museu completa 30 anos

Fundado por iniciativa do ex-funcionário da CMTC, Gaetano Ferolla, e enriquecido por doações de colecionadores e instituições, o museu foi inaugurado oficialmente em 20 de março 1985 e atualmente é mantido e administrado pela SPTrans.

Integram o acervo da instituição sete veículos, cerca de 1.500 fotos e 1.500 livros, além de móveis, objetos e documentos sobre a evolução do transporte urbano.

No jardim que recebe visitantes, bancos e luminárias retratam a década de 20. Lá está instalado um bonde de areia, cuja função era espalhar areia nos trilhos para evitar derrapagens dos veículos que carregavam passageiros.

 Atualidade

Nos próximos dias, a mesma cidade que oferecia 90 linhas de ônibus em 1947, irá passar por uma nova fase histórica que marcará o transporte público, o lançamento do edital da nova licitação de ônibus que irá trazer nos próximos anos melhorias  para a operação e a estrutura dos coletivos, como  o  ar condicionado  para todos os veículos.

Visitas

A entrada é gratuita e o museu recebe excursões com agendamento prévio e as visitas são monitoradas para escolas.

Funcionamento:   O Museu do Transporte funciona  de terça-feira  a domingo, das 9h às 17h . Agendamentos podem ser feitos também pelo telefone: (11) 3315-8884.

Assessoria de Imprensa – SPTrans

6 comentários em Museu dos Transportes de São Paulo completou 30 anos com média de 40 visitas por dia

  1. Amigos, bom dia.

    Nossos eternos agradecimentos ao Sr. Gaetano Ferolla.

    Já fui no museu, desconhecia que também tinha os 1.500 livros.

    É uma biblioteca ?

    Os visitantes podem ter acesso ou uso ?

    Ou são livros de escrituração da extinta CMTC ?

    Esse museu tinha de ser transferido para o coração de São Paulo na Praça da Sé, num prédio
    especial para que essa preciosidade você mais aproveitada pelos cidadãos paulistanos e pelos turistas.

    O atual local, infelizmente, é de difícil acesso.

    Bela matéria Adamo, essa fala só do buzão, o qual é para todos, sem distinção de nenhum espécie, Parabéns!

    Vou fazer uma nova visita ao Museu, para observar tudo com mais calma, talvez desde a minha primeira visita, o acervo pode ter aumentado.

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção é a Paixão”

  2. Eu também não sabia desses 1500 livros. Assim que possível, vou tentar ver os mesmos.

  3. Já fui uma vez coletar dados da CMTC mas ao meu ver deveria ter apenas coisas da CMTC, nada relacionado à SPTrans. Senti falta do O-362 clássico apesar que lá tem o Executivo antigo. Pena ficarem todos fechados sem acesso interno nos coletivos.

    • CMTCSP, boa noite.

      É verdade, mas muitos clássicos da CMTC, não foram preservados.

      Grassi, Striuli, os Monikas Scanias, Bela Vista com frente de vidro, Venezas, Vários modelos de Trolebús, GM´s, ) 352 HL, O 364, O 371, Sanfonados diversos, Thanco, Thanco 2 andares, Gabrielas, Amélias, Amélias longos, Mafersas, Marcopolos e outros que por ventura eu tenha esquecido.

      Ainda bem que o Sr. Gaetano Ferolla, pensou grande.

      Realmente um país de memória curtíssima.

      Abçs,

      Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: