Empresas de ônibus de Curitiba e região entram na Justiça contra a Urbs

ônibus

Ônibus em Curitiba. Empresas de transporte de passageiros entram na Justiça contra o que alegam ser atrasos da Urbs nos repasses para a complementação dos custos dos serviços. Foto: Adamo Bazani

Empresas de ônibus de Curitiba e região entram na Justiça contra atraso nos repasses pela Urbs
Empresa gerenciadora dos transportes alega que o valor é menor do que o lucro apurado pelas companhias de passageiros
ADAMO BAZANI – CBN
As empresas de ônibus de Curitiba e região metropolitana entraram na Justiça contra a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., autarquia gestora dos transportes da capital paranaense e das outras 13 cidades que formam a RIT –Rede Integrada de Transporte.
As transportadoras, pelo Setransp – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana, alegam que a Urbs atrasou os repasses que fazem parte de acordo assinado entre a prefeitura, o governo do estado do Paraná e as companhias de ônibus.
A dívida, de acordo com a entidade patronal, é de R$ 9,6 milhões. O valor representa 42% do total que deveria ser repassado em novembro e a seis dias de operação, contando com sábado e domingo, levando em consideração os custos brutos do sistema (com e sem repasses).
As empresas dizem que há risco de descontinuidade dos serviços por falta de recursos. Hoje a integração gratuita entre os ônibus municipais de Curitiba e os metropolitanos que ligam a capital às cidades da RIT é o que mais necessita de subsídios.
Os donos de empresa de ônibus dizem estar preocupados também em não conseguir pagar o adiantamento dos salários dos motoristas e cobradores, que deve ser depositado nesta quinta-feira, dia 20 de novembro, e a primeira parcela do 13º salário, prevista para 30 de novembro.
A Urbs diz que vai calcular os repasses e não confirma o valor alegado pelos empresários. A autarquia ainda ressalta que os lucros das empresas cobrem este eventual atraso.
O Setransp contesta:
“Diferente da alegação dada pela Urbs recentemente – de que o montante em atraso é inferior ao lucro –, as Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana informam que operam com prejuízo há anos, conforme apontam periodicamente em seus demonstrativos e balanços contábeis devidamente protocolados na Urbs. Portanto, o prejuízo das empresas é potencializado com o atraso nos repasses, comprometendo a operação do sistema”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: