Onze motivos para ônibus terem cobradores

micrão

Ônibus do tipo midi ou “micrão”. Veículo tem quase o mesmo tamanho que os modelos convencionais e leva quase a mesma quantidade de passageiros, mas na maioria das vezes, os condutores destes ônibus também cobram as passagens. Dupla função e permanência dos cobradores nos ônibus é polêmica. Sindicato lançou em portal relação de motivos para que os cobradores não sejam extintos. Foto: Adamo Bazani

Onze motivos para os ônibus terem cobrador
Sindicato dos Rodoviários de Mogi das Cruzes e região lança em portal relação de problemas que a dupla função pode acarretar
ADAMO BAZANI – CBN
A permanência ou não de cobradores nos ônibus gera polêmicas e opiniões divergentes.
De um lado, pensando obviamente na redução dos custos, empresários de ônibus defendem que hoje, com os sistemas de bilhetagem eletrônica, os cobradores praticamente não têm mais função dentro dos coletivos.
Na capital paulista, por exemplo, apenas 8% dos passageiros, segundo a SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora do sistema, pagam em dinheiro.
Os empresários ainda dizem que a redução dos custos com a retirada dos trabalhadores poderia impactar nas tarifas de ônibus para o passageiro evitando futuros aumentos maiores. Também os donos de empresa alegam que esta mão de obra poderia ser aproveitada de outra maneira no próprio sistema de transportes.
Já uma parte dos sindicatos dos rodoviários (alguns se compactuaram com os empresários) diz que o cobrador não pode ser considerado um profissional em extinção e que os sistemas não têm como absorver toda a mão de obra que seria dispensada.
As entidades sindicais alegam que a dupla função, pela qual o motorista dirige e cobra ao mesmo tempo, fere o artigo 28 do CTB – Código de Trânsito Brasileiro que determina que o motorista deve ter total domínio sobre o veículo que conduz, dirigindo com atenção e observando as normas de segurança.
Para especialistas em medicina de tráfego, a não ser em sistemas com corredores onde há o pré-embarque, quando o passageiro paga antes de entrar no ônibus, ou quando não há nenhuma possibilidade de pagamento em dinheiro, dirigir e cobrar tira tanto ou mais a atenção que dirigir e falar ao celular.
E mesmo quando há catraca eletrônica dentro do ônibus, o motorista deve estar atento às liberações de gratuidades, como de idosos, verificar os problemas nos validadores, que não são raros, prestar informações aos passageiros, o que acaba retirando a atenção.
Mas muito mais que evitar a dupla função, o cobrador tem outras “utilidades” dentro dos ônibus.
É o que se propôs a mostrar o Sindicato dos Rodoviários de Mogi das Cruzes e região, na Grande São Paulo, que em seu portal lançou uma relação com onze motivos que considera “óbvios” para que os ônibus continuem com os cobradores *

1) O cobrador auxilia e opera o elevador do cadeirante, hoje item de acessibilidade no ônibus.
2) O cobrador fornece informações sobre endereço, localidade, e destino aos passageiros quando perguntado, não tirando assim a atenção do motorista.
3) O cobrador orienta o usuário a usar o validador e também fornece troco aquele que não tem cartão.
4) O cobrador auxilia a qualquer usuário que venha a passar mal no interior do veículo.
5) O cobrador junto com o motorista zela pela manutenção do ônibus, organização, qualquer eventualidade que vir a ocorrer no interior do ônibus.
6) O cobrador garante saídas mais rápidas de pontos lotados nos horários de pico, pois enquanto o motorista dirige ele cobra evita a fila dentro do ônibus.
7) Na espera do troco de nota acima do permitido pela empresa o cobrador providencia a tempo antes do passageiro descer. Não precisando assim incomodar o motorista que está dirigindo.
8) O cobrador auxilia o motorista no trânsito como em manobras, retrovisor e até mesmo no itinerário.
9) O cobrador é uma testemunha ocular e facilita a relação de possível B.. de fatos inusitados. (assaltos, brigas, discussões etc.)
10) É garantia de segurança pois com o cobrador, o motorista não será incomodado no seu percurso prestando atenção somente no trânsito.Para que não aconteça o que aconteceu no Rio de Janeiro quando um ônibus caiu do viaduto matando 8. Por ter discutido com o passageiro, não tinha cobrador.
11) O cobrador auxilia o desembarque com segurança do passageiro com o fluxo invertido das portas (entra pela frente desce por trás), evitando assim desviar a atenção do motorista.
* RELAÇÃO FEITA PELO SINDICATO

A discussão talvez ainda não tenha quem possui mais ou menos razão. No entanto, quanto mais elementos para o debate, tanto por parte de quem é a favor ou contra a permanência dos cobradores nos ônibus, a possibilidade de gestores públicos, sindicatos e empresas tomarem decisões corretas pode aumentar.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

11 comentários em Onze motivos para ônibus terem cobradores

  1. Estes sindicatos, são um bando de pelegos. Se ate hoje não fizeram nada pelos trabalhadores já que a tempos as empresas estão ferindo o artigo 28 da CTB, será que farão algo agora?. A tá pago pra ver.

  2. Boa tarde Adamo, gostaria que fosse até a cidade de Diadema ,onde este tema foi objeto de uma lei votada ,sancionada e nunca cumprida ,não se sabe porque, poderia gerar uma reportagem junto à prefeitura municipal de diadema para nos responder?

    JOÃO ROBERTO DA SILVA

    Diretor coordenador SINTETRA

    Subsede Diadema

  3. Amigos, boa noite.

    O cobrador fica, mas a catraca sai e entra o dispositivo eletronico de contsgrm.

    Os motivos elencados sao pertinentes.

    Caso retirem os cobradores, o piloto tem de ter uma cabine blindada.

    Att,

    Paulo Gil

  4. Inevitável, como já ocorre em qualquer país civilizado. Seria mais inteligente os sindicatos aproveitareem o tempo que resta e qualificar os cobradores para outras funções.

  5. Eu me lembro que no final da década de 90 a prefeitura na gestão do Celso Pitta foram implantado a catraca eletrônica nos ônibus e foram retirados os cobradores nos ônibus que tinha a catraca eletrônica e foi maior prejuízo na época porque a maioria dos passageiros pulavam por cima da catraca ou passavam por baixo sem inserir aquele bilhete magnético era maior festa….

  6. O fim dos cobradores inclusive das catracas e questão de tempo, ocorreu o mesmo com outras profissões, quanto mais protelam, maior vai ser a dificuldade de encaixa-los em outras funções e claro que vai ocorrer demissões, como em qualquer outra mudanças de atividades, quanto mais demorar, mais amargo vai ser o remédio.

  7. Não basta tirar as catracas, precisa haver CHECAGEM NA SAÍDA.
    As informações de onde/[quanto tempo]/[que distância] do passageiro são fundamentais para rotas mais eficientes e pra fazer o passageiro GANHAR tempo nas integrações/baldeações, ao invés de perder um monte como acontece hoje.

    E também ter registros CONFIÁVEIS de quanto, por quanto tempo e onde os ônibus ficam superlotados.

    O cobrador, por mais que não tenha intenção, impede na prática tudo isto!
    Quando poderia e deveria ser muito mais útil em várias outras funções dentro dos ônibus e enviando/recebendo informações de centrais de segurança e controle.

  8. Sergio Santo André // 18 de setembro de 2014 às 12:20 // Responder

    Realmente, esse é um assunto polêmico. Mas quero opinar sobre o motorista/cobrador, o que já fiz em outras ocasiões. Isso é uma “aberração” criada pelos maravilhosos empresários do transporte, com a “conivência” do departamento de trânsito, pois se fere o código de trânsito por que não são aplicadas as multas devidas ??? Não há no mundo quem me convença que essa é uma prática compatível com a profissão de motorista. Com certeza não há a menor vontade de que isso mude, ao menos por enquanto, então mexa-se nos bolsos dos empresários, multem, multem, multem à vontade até que se mude essa situação absurda !!!!

  9. Ewerton Santos Lourenço (PNE Guarulhos) // 18 de setembro de 2014 às 13:49 // Responder

    Bom dia Internautas,

    Essa eu posso falar em plena propriedade, aqui em Guarulhos a Dupla Função foi extinta nas linhas municipais, agora se tratando de Linhas Intermunicipais gerênciadas pela EMTU as Empresas: Vipol Transportes Rodoviarios Ltda (Grupo Ruas – Antiga Viação Poá); E.O. Vila Galvão; Viação Real e Guarulhos S.A (Grupo NIff) tem esses veiculos operando e causando muitos transtornos.

    O que se passava na Cabeça da Administração da Vipol ter comprado aqueles Sveltos, só vive lotados como o caso da linha 073TRO- São Paulo (Estação CPTM São Miguel Paulista) – Guarulhos (Bonsucesso – Ate o Ponte Alta) as vezes fica impossivel embarcar, os Cadeirantes as vezes sofrem porque não consegue embarcar, a não ser quando eles vão até o ponto final.

    tem outras que tem esse mesmo problema:
    252TRO – São Paulo (Metrô Carrão) – Guarulhos (Jardim Cumbica)
    574TRO – São Paulo (Metrô Carrão) – Guarulhos (Jardim Cumbica) Via Ayrton Senna
    (apesar das 2 viagens 1 de manha por volta 12:00, vinda de Guarulhos e as 18 vindo de SP. Detalhe, quando os Ônibus da Vipol não circulam os RTOS socam os usuários Microes)

    499TRO – Guarulhos (Term Metropolitano Cecap) – São Paulo (Estação CPTM Dom Bosco) Imagina você pegar essa linha em horario de pico, passando na Avenida Santos Dummont (aquela que você fotografou a sprinter da RTO abarrotada) viajando socado com os passageiros em cima do motorista, ele cobrando e dirigindo ao mesmo tempo. A 139TRO – Guarulhos (Circular) – São Paulo (São Miguel Paulista) se for ônibus comum dá para tentar a sorte, mas paciência!!!

    077 TRO – São Paulo (Metrô Brás) – Guarulhos (Jardim Any) a EMTU alterou a frequência de horário da linha de 1 em 1 hora não fica atrás.

    As unicas que se salvam são:
    319TRO – São Paulo (Metrô Itaquera) – Guarulhos (Vila Any)
    596TRO – São Paulo (Estação CPTM São Miguel Paulista) – Guarulhos (Jardim Any)
    elas não são muito lotadas de passageiro mas são demoradas as chegadas e partidas.

    597TRO – São Paulo (Metrô Brás) – Guarulhos (Jardim Any) Via Ayrton Senna
    Como a maioria são comerciantes que atuam na Região do Brás, é tranquila não tem muitas paradas. Porém o que estressa é o transito bem na chegada a Marginal Tiete, perto do CT do Palmeiras.

    Agora falando da E.O.Vila Galvão, os Sveltos e os Apaches operam mais na linhas do Metrô Tucuruvi, Parada Inglesa e Tiete aos bairros de Guarulhos proximo do Centro, não me lembro de todas mas as:

    110TRO – Guarulhos (Jardim Bela Vista) São Paulo (Metrô Tucuruvi)
    003TRO – Guarulhos (Taboão) São Paulo (Metrô Tucuruvi)
    163TRO – Guarulhos (Continental – Palmira) São Paulo (Metrô Parada Inglesa)
    103TRO – Guarulhos (Pq. Continental) São Paulo (Metrô Parada Inglesa)
    105TRO – Guarulhos (Palmira) São Paulo (Metrô Parada Inglesa)
    532TRO – Guarulhos (Jardim Acacio) São Paulo (Metrô Parada Inglesa)
    337TRO – Guarulhos (Jardim Acacio) São Paulo (Metrô Tiete)

    Vivem lotados, os usuários que costumam embarcar na Vila Galvão na divisa de Guarulhos com São Paulo sofrem; na região dos bairros da Vila Nilo, Jaçaná onde o trecho da Fernão Dias, mesmo que tenha ônibus convencional não dá conta, alguns motoristas passam direto ou apanham os usuários. Adamo, você pode ver com os seus próprios olhos como é feito o embarque nestas estações e na Armênia, Penha; São Miguel, Itaim Paulista; Itaquera e Tatuapé. O Sistema de Transporte que a EMTU oferece a Guarulhos é Podre, por isso que optei em usar a bicicleta, não me estressa com quanto ao transito, me exercito apesar da distancia ser curta; o caminho que eu faço e alça de acesso a Ayrton Senna. Vou com segurança; porém quando eu chego na Estação da CPTM Itaim Paulista ai complica, mas consigo contornar a situação.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: