Termina greve de ônibus em Mauá

ônibus

Ônibus da Viação Cidade de Mauá que começa voltar aos poucos. Foto: Adamo Bazani.


Viação Cidade de Mauá começa a voltar aos serviços
Em reunião entre prefeitura, empresa e sindicato, foi acertado que multas e homologações serão pagas até sexta-feira, dia 15
ADAMO BAZANI – CBN
A Viação Cidade de Mauá, que opera ainda 17 linhas municipais, volta a começar a circular.
Após reunião entre o Sintetra, sindicato dos rodoviários e a prefeitura, ficou decidido que as homologações e o pagamento das verbas rescisórios de ao menos 185 funcionários da empresa serão realizados até esta sexta-feira, dia 15 de agosto de 2014.
Os funcionários da empresa, pertencente a Baltazar José de Sousa, entraram em greve nas primeiras horas desta segunda-feira, dia 11 de agosto de 2014. A EAOSA – Empresa Auto Ônibus Santo André, que atende ligações intermunicipais também foi paralisada pela greve, mas não foi descredenciada pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos.
Toda a situação teve como origem a mudança nos transportes feita pelo prefeito Donisete Braga e pelo ex-secretário de Mobilidade Urbana, Paulo Eugênio Pereira, em outubro do ano passado.
Ambos acusaram a Viação Cidade de Mauá e a Leblon Transporte de Passageiros, que não opera mais na cidade desde 29 de dezembro de 2013, de supostas consultas indevidas ao sistema de bilhetagem eletrônica.
A acusação teve posições contrárias dentro da própria prefeitura. Em 27 de junho de 2013, a procuradora do município, Thaís de Almeida Miana, considerou insuficiente a sindicância e recomendou uma nova sindicância.
Donisete Braga e Paulo Eugênio Pereira não seguiram a recomendação e continuaram o processo de descredenciamento.
Eles prometeram que a cidade teria duas empresas diferentes ou mais na operação dos transportes. Mas depois, através de licitação, adotaram o modelo de monopólio com apenas a Suzantur, empresa que tinha sido contratada emergencialmente, sendo responsável por todas as linhas da cidade.
Os funcionários da Viação Cidade de Mauá reclamam que o empresário Baltazar José de Sousa não pagou as verbas rescisórias dos trabalhadores demitidos por causa da mudança promovida pela administração Donisete Braga.
Segundo o sindicato dos rodoviários, a Leblon pagou as rescisões.
Segue nota da prefeitura de Mauá sobre as negociações da manhã desta segunda-feira:
“A Prefeitura de Mauá informa que na manhã desta segunda-feira (11), em reunião realizada no Paço Municipal, intermediou as negociações entre representantes do Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC, funcionários da empresa Viação Cidade de Mauá – que opera 17 das 49 linhas municipais — e o empresário Baltazar José de Souza. No encontro, o empresário se comprometeu a acertar as verbas rescisórias e completar a homologação dos funcionários demitidos, reivindicação que havia motivado a paralisação. Após a reunião, o sindicato realizou assembleia em que apresentou o acordo, que foi aprovado pelos trabalhadores. Os funcionários voltarão ao trabalho imediatamente, e a circulação dos ônibus deve voltar ao normal nas próximas horas.”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: