Estado do Paraná prolonga subsídios para RIT até dezembro

ônibus

Ônibus metropolitano da RIT – Rede Integrada de Transporte. Governo do Estado propõe prorrogação até dezembro dos subsídios de R$ 7,5 milhões por mês para manter a integração entre os ônibus municipais de Curitiba e os metropolitanos de 13 cidades vizinhas. Foto: Adamo Bazani.

Estado do Paraná prolonga subsídios para a RIT até dezembro
A complementação mensal, de R$ 7,5 milhões, serve para integração entre municipais de Curitiba e metropolitanos
ADAMO BAZANI – CBN
O Governo do Estado do Paraná anunciou nesta quinta-feira, dia 03 de julho de 2014, que propôs a prorrogação até dezembro do acordo com a Urbs- Urbanização Curitiba S.A., gerenciadora municipal, que paga subsídios de R$ 7,5 milhões por mês para a RIT – Rede Integrada de Transporte.
O acordo era válido até agosto . A proposta segue para análise da Prefeitura de Curitiba.
Esse valor é destinado, de acordo com a Comec – Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, órgão estadual, para bancar a integração entre os ônibus municipais da capital paranaense com os intermunicipais que atendem às outras 13 cidades que formam a RIT.
Assim, ainda segundo a Comec, será possível manter a tarifa para o passageiro a R$ 2,70. O órgão diz que a tarifa-técnica, que corresponde ao real custo da integração, é de R$ 3,18.
Os R$ 7,5 milhões são para custear essa diferença de R$ 0,48.
No início do ano, após a campanha salarial dos motoristas e cobradores de ônibus, o Governador Beto Richa, ameaçou romper a integração entre linhas municipais e metropolitanas. O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, também ameaçou interromper a integração dizendo que o sistema necessita de subsídios justamente por causa da transferência de passageiros entre os ônibus da capital e os que vêm da Região Metropolitana.
A RIT permite integração física e tarifária das seguintes cidades: Almirante Tamandaré, Pinhais, São José dos Pinhais, Araucária, Contenda, Colombo, Campo Largo, Campo Magro, Bocaiúva do Sul, Rio Branco do Sul, Itaperuçu, Piraquara e Fazenda Rio Grande.
Em nota, o Governo do Estado Paraná, diz que o Ministério Público do Estado, participou da elaboração do acordo.
“O termo aditivo foi elaborado pelos secretários de Estado do Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega; Planejamento e Coordenação Geral, Cassio Taniguchi; membros do Ministério Público (MP) e diretores da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) e encaminhado para análise da prefeitura da capital”.
ICMS ZERO PARA DIESEL DOS ÔNIBUS TAMBÉM É MANTIDO:
A alíquota zero do ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, que é estadual, sobre o óleo diesel usado pelos ônibus também foi mantida.
A renúncia fiscal é de R$ 40 milhões por ano e abrange 21 cidades paranaenses. Deste total, R$ 20 milhões são para as cidades que integram a RIT.
A isenção do ICMS sobre o diesel dos ônibus engloba os seguintes municípios: Curitiba, Campo Largo, Cascavel, Guarapuava, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa, Paranaguá, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Bocaiúva do Sul, Rio Branco do Sul, Itaperuçu, Campo Magro, Almirante Tamandaré, Colombo, Araucária, Contenda, Pinhais e Piraquara.
Os ônibus urbanos e metropolitanos transportam diariamente 5 milhões de pessoas nestas 21 cidades.
HISTÓRICO DA INTEGRAÇÃO NA RIT:
A integração tarifária na RIT foi implantada gradativamente desde 1996. A última cidade a implantar foi Fazenda Rio Grande, em 2000. Em 2012, Bocaiúva do Sul, que tinha integração desde 1997, passou a ter tarifa unificada com a RIT. Antes da unificação, os passageiros que iam de Bocaiúva do Sul para Curitiba pagavam mais caro. E na volta, de Curitiba para Bocaiúva do Sul, a tarifa era menor, a mesma da RIT.
Confira quando foram implantadas as integrações tarifárias entre a capital Curitiba e 13 cidades da região metropolitana:
05/04/1996: Almirante Tamandaré
11/05/1996: Pinhais
17/07/1996: São José dos Pinhais
20/07/1996: Araucária
20/07/1996: Contenda
21/09/1996: Colombo
06/03/1997: Campo Magro
12/04/1997: Campo Largo
01/07/1997: Bocaiúva do Sul
19/04/1998: Rio Branco do Sul
19/04/1998: Itaperuçu
01/07/1999: Piraquara
02/09/2000: Fazenda Rio Grande
A RIT foi criada inicialmente no município de Curitiba nos anos de 1980. Em 1986, a Urbs passou a gerenciar o sistema de transportes Curitiba.
Segundo a Urbs, na Capital e Região Metropolitana são transportados diariamente 2,3 milhões de passageiros numa frota de 1 mil 920 ônibus. São 355 linhas de ônibus.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Estado do Paraná prolonga subsídios para RIT até dezembro

  1. Isso aí é briguinha à tôa de dois politiqueiros: o prefeito e o governador que sabem fazer politicalha (mistura de política com canalhice como ninguém!). É importante lembrar que o prefeito atual foi eleito em SEGUNDO TURNO com o apoio do governador atual que já foi prefeito de Curitiba no desgoverno passado e portanto essa briguinha é só prá estarem na mídia e nada mais! CADÊ AS INTEGRAÇÕES DOS OUTROS MUNICÍPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA ? Tem municípios que aguardam a integração há apenas 15 aninhos!!! Isso mesmo foi em 1996 que o Estado (quando Lerner era governador!) repassou para a prefeitura de Curitiba (URBS) o gerenciamento dos ônibus! Seria a mesma coisa se o ninho tucano em final de mandato resolvesse passar o gerenciamento dos ônibus de pintura fardada (azulão, da EMTU) para a prefeitura de São Paulo (SPTrans!). Já pensaram então no poder que a prefeitura de Curitiba tem em mãos agora ? Só fazem apenas 15 aninhos e mesmo assim até hoje existem várias linhas NÃO integradas!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: