Curitiba instala “faixas tipo Haddad” só que melhor

ônibus faixas

Berço do BRT (corredores de ônibus), Curitiba adota a implantação de faixas exclusivas como solução de mobilidade. Diferentemente do que ocorre na Capital Paulista, onde as faixas são pintadas na estrutura já existente, em Curitiba, antes da demarcação, o pavimento será preparado para receber o fluxo maior de ônibus, que são veículos mais pesados. Foto: Prefeitura de Curitiba – Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Curitiba instala “faixas tipo Haddad” só que melhor
Na primeira fase, serão 20 quilômetros de vias com faixas para ônibus. Trechos receberão obras especiais
ADAMO BAZANI – CBN
A prefeitura de Curitiba, no Paraná, anunciou nesta segunda-feira, dia 28 de abril de 2014, o início de implantação da primeira faixa exclusiva para ônibus.
As obras começaram na Rua XV de Novembro, no centro da cidade, e o trecho vai ter 2,5 quilômetros de extensão entre a Avenida Nossa Senhora da Luz e a Rua João Negrão, a uma quadra do início do calçadão. Até junho os ônibus devem trafegar com exclusividade entre estas vias.
De acordo com nota da prefeitura de Curitiba, “a obra vai beneficiar diretamente os 45 mil passageiros transportados diariamente pelas 11 linhas de ônibus que passam pela avenida: Rua XV/Barigui; Detran/Vicente Machado;Capão da Imbuia/Parque Barigui; Menonitas; Tarumã; Alto Tarumã; Sagrado Coração; Pinhais/Guadalupe; Interhospitais; Curitiba/Piraquara (parador) e Curitiba/Piraquara (direto)”.
Com isso, Curitiba que é considerado o berço mundial do BRT – Bus Rapid Transit – corredores de ônibus de alta velocidade, adere à solução das faixas para diminuir o tempo de deslocamento de passageiros do transporte público.
A medida é uma das bandeiras do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, na área de mobilidade urbana. Desde janeiro de 2013, segundo a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo, foram implantados na capital paulista 326,9 quilômetros de faixas. Ainda de acordo com a CET, hoje a velocidade média dos ônibus nas faixas é de 20,4 km/h e nos corredores (que deveriam ter ônibus mais rápidos) é de 16.6 km/h.
Outras cidades de São Paulo também seguiram o exemplo da Capital. É o caso de Santo André, no ABC Paulista.
No entanto, diferentemente de São Paulo, Curitiba quer fazer faixas de ônibus mais elaboradas.
Em todas elas, inclusive na primeira, na Rua XV de Novembro, o pavimento por onde os coletivos terão exclusividade será reforçado para a via suportar o peso dos ônibus, maior em relação a outros veículos.
Além disso, são realizados estudos para definir quais vias devem receber os espaços exclusivos e o principal critério para isso é a demanda. Na Rua XV de Novembro, a média nos horários de pico é de um ônibus por minuto.
A primeira fase de implantação de faixas exclusivas para ônibus em Curitiba deve contemplar 20 quilômetros.
Todos passarão por obras e vão contar, inclusive, com recursos do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento.
O governo federal liberou para obras gerais de mobilidade na capital paranaense R$ 5 bilhões.
De acordo com nota da prefeitura de Curitiba, a linha Inter II, que é a mais lotada do sistema, também vai contar com faixas exclusivas.
“Há duas semanas, a União liberou recursos para a primeira etapa do projeto de requalificação do Ligeirinho Inter 2 , que também será beneficiado pelas faixas exclusivas. A linha Inter II, que isolada é a mais carregada do sistema, com quase 80 mil passageiros por dia, também vai ganhar faixas exclusivas, estações mais amplas e novos ônibus articulados, com capacidade para 160 passageiros. Atualmente, dos 70 ônibus da frota, 40 são articulados e 30 são ônibus comuns, com capacidade para 100 passageiros. Esta primeira etapa do projeto de melhoria do Inter II inclui a implantação de dois binários, formados pelas ruas Padre Germano Mayer com Camões, no bairro Cristo Rei; e Olga Balster e Nivaldo Braga, no Cajuru e a construção de uma trincheira na Avenida Nossa Senhora Aparecida, no cruzamento com as avenidas Arthur Bernardes e Mário Tourinho, um dos pontos de maior lentidão no trajeto do Inter II em horário de pico. O projeto também prevê que 7,4 quilômetros do trajeto do Inter II sejam feitos em trechos das canaletas já existentes nas avenidas Paraná, João Gualberto e República Argentina, Padre Anchieta e Linha Verde. Além do Inter II, foram incluídos no PAC da Mobilidade o projeto de ampliação da capacidade e velocidade das linhas de ônibus BRTs (com R$ 273 milhões destinados pelo governo federal) e a conclusão da Linha Verde, que receberá R$ 268,5 milhões”.
As outras vias com faixas exclusivas ainda vão ser definidas depois de estudos da prefeitura.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

5 comentários em Curitiba instala “faixas tipo Haddad” só que melhor

  1. Amigos, boa noite.

    “Faixas tipo Hadad”; não.

    “Faixas a lá Paulo Gil”.

    Esta sugestão eu já enviei a décadas para a PMSP, SMT e fiscalizadora.

    Lembrando que novos corredores em Sampa, são quase impossíveis, pois em Sampa não há
    espaço físico suficiente e nem verba pra tal.

    A saída do futuro será o “AEROBUS”.

    Mais uma previsívellllllllllll.

    Att,

    Paulo Gil

  2. As faixas de SP são extreitas e mau pintadas, sem fiscalização, e so rodar pela radial leste e ver que as vezes so tem um fiscal, e muitas vezes nenhum, quanto a Curitiba, la e melhor porque as empresa que cuidar do transporte visa favorecer o passageiro e não as empresa de onibus como ocorre com a Sptrans, que enceram linhas ou alteram itinerarios a pedido das empresa nunca a pedido dos passageiros, como ocorreu com a linha 3032 circular, que mudaram o itinerario a pedido da empresa, prejudicando a todos os passageiros da avenida aricanduva, fora o benficio que deu a empresa consorcio plus que esta renovando a frota com os pessimos apaches motor dianteiro e piso alto, quando antes so era permitido piso baixo motor traseiro.

  3. Ewerton Santos Lourenço (PNE Guarulhos) // 29 de abril de 2014 às 11:41 // Responder

    Isso mostra que o Haddad é um verdadeiro incompetente, todas as Gestões que já passaram por aqui isso sim! A Diferença está em quem a Administra, quanta roubalheira que existe dentro da Prefeitura de São Paulo; que só não enxerga quem não quer!!!!!! Eramos pra estar em melhores Condções de Infrastrutura iguais as Cidades de Barueri, São Caetano entre outras Metropoles..

    A Evolução dos Transportes eram para ter começado há muito tempo; ainda quando circulavam os Caios Amelias; Vitorias; Gabrielas; Marcopolo San Remo; Turinos; etc:Quem administrou a Prefeitura optou por dar prioridades a Pontes e Estradas que O Metrô ficou em Segundo Plano.
    Moral da História, passamos grande parte de nossas vidas viajando em coletivos superlotados; enquanto o PSDBOSTA administra o Estado há anos é nada fez. Se fez procura induzir a Midia a ostentar as POUQUISSIMAS Obras e Projetos que sairam do papel.

  4. FORA HADDAD! FORA VEREADORES SAFADOS DE SP/SP, FORA ALCKMIN E FORA DILMA!! O GOVERNO DO ESTADO GASTOU UM ENORME DINHEIRÃO NAS OBRAS DE DUPLICAÇÃO DA MARGINAL TIETÊ…E ESSAS OBRAS SE MOSTRARAM INEFICIENTES…SEMPRE DÁ TRANSITO “MONSTRO” LÁ…AGORA VEM AÍ MAIS UM FERIADÃO…E A MERDA CONTINUARÁ…AO INVÉS DE INVESTIR EM CORREDORES EXCLUSIVISSIMOS BRT DA EMTU-SP LIGANDO GUARULHOS A OSACO POR EXEMPLO, E PASSANDO PELAS ZONAS NORDESTE, ZONA NORTE E INICIO DA CENTRAL DA CIDADE DE SP…ATÉ A ZONA OESTE E CENTRAL…DIVISA COM OSASCO…FEZ ESSA MERDA AÍ…INFELIZMENTE NÃO ESTÁ CHOVENDO…SENÃO SERIA PIOR…MAS ELE TÁ FELIZ…AGORA, ALÉM DE UM TRANSPORTE PORCARIA NA CIDADE E REGIÃO METROPOLITANA…TEMOS FALTA DE AGUA TMB…MUITO BOM VIU!! FORA TODOS!!

  5. O corredor Guarulhos-Osasco é um plano antigo idealizado antes de janeiro de 1995 quando o ninho tucano assumiu o comando do Estado de SP ainda na época do saudoso e inesquecível Covas na qual tinha como vice, o aprendiz de governador Alckmin. PQP! Já fazem exatamente 20 anos pessoal que será completado em janeiro de 2015 caso o ninho tucano ganhe como presente o início de seu 21o.ano de desgoverno! Lembro que em 1993 em visita à EMTU o presidente daquele órgão Sr Antônio se não me engano havia me mostrado esse projeto que segundo ele se tornaria realidade no início de 2000! Naquela época não havia a intenção de fardar a frota metropolitana de 4.000 ônibus da Grande SP e sim apenas inserir a inscrição Metropolitano de forma estilizada na lataria dos ônibus e sem qualquer inscrição usando símbolo, brasão ou bandeira do Estado de SP ou inscrições do tipo governo de…. Foi então que em 1996 alguém descobriu esse projeto e ressuscitou como plano tucano tempos depois e no meio desse período resolveram idealizar uma pinturas fardada que fosse o símbolo do império tucano no Estado de SP e que hoje está enraizado em outras 4 regiões pelo Estado com os ônibus AZUIS (lembrando que azul é um das cores da bandeira tucana que agora na região de Campinas somam-se ao amarelo dos ônibus articulados). Então eu pergunto: porquê azul em tudo quanto é canto do Estado de SP ??? São pelo menos quase 9.000 atualmente sendo que uns 4.500 devem ser só da RMSP.
    O comentarista Pedro também tem razão em seus questionamentos e acrescento que nem sempre a extinção de linhas é vontade de uma empresa. Lembrem-se as coopetivas também mandam em SP e como mandam e quanto mais linhas das empresas e consórcios a SPTrans for extinguir melhor para as cooperativas que criam novos serviços e acreditem: já existem muitas linhas piratas dentro das cooperativas que nem a SPTrans sabe ou finge não saber!!! Horrível também é ver as malditas ORCAs que o ninho tucano rebatizou de RTO passando na frente do Terminal Tietê e saindo com portas abertas. PQP! Que ZONA que tá o transporte heim pessoal? Quando essas malditas RTOs e ORCAs à serviço do crime continuarão operando? Aguardo reportagens sobre o assunto neste blog e pela CBN que escuto quando estou em Florianópolis pois infelizmente os moradores da maior c idade de SC estão reféns de uma programação jornalistica de qualidade pois não temos CBN aqui.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: