Obras da Copa do Mundo em São Paulo: Mobilidade e aspecto social ficam em segundo plano. Carros e turistas recebem mais atenção.

Obras Copa

Ex jogador Ronaldo, ministro do Esporte Aldo Rebelo, e o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, em apresentação do estádio em Itaquera, que vai ser um oásis em meio a um deserto de infraestrutura. Obras para carros e turistas serão entregues a tempo. Transporte público e intervenções que beneficiariam a vida de moradores foram colocados em segundo plano. As obras também ficaram 15% mais caras. Foto: AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA.

Mobilidade Urbana e moradores são esquecidos pelas obras da Copa em São Paulo
Obras para a circulação de automóveis ganharam prioridade. Custos já estão 15% maiores
ADAMO BAZANI – CBN
Legado da Copa?
Em São Paulo este termo que virou mantra entre os administradores públicos para justificar os gastos com os diversos tipos de intervenções é, no mínimo, contestável.
De 32 obras previstas na região do estádio em Itaquera, zona Leste, que vai abrigar a abertura do evento esportivo e outros jogos, pelo menos 12 não serão entregues até a Copa.
As obras também estão mais caras. A previsão inicial era de gastos pelo estado de São Paulo e pela capital Paulista na ordem de R$ 478 milhões. Agora este valor deve ficar até o mundial em R$ 548 milhões. Ou seja, a população vai gastar 15% a mais. Este gasto vai ser para servir turistas e motoristas.
As obras que recebem maior atenção vão beneficiar mais os torcedores que devem ficar na cidade menos de um mês e a circulação de automóveis do que moradores do entorno do estádio e a mobilidade urbana.
Prefeitura e Estado garantem até a abertura da Copa: a Nova Radial, entre a Avenida Itaquera e a Avenida José Pinheiro Borges, a ligação entre a Nova Radial e a Avenida Miguel Inácio Curi, o túnel na Radial em frente à estação Itaquera de trens e metrô, o alargamento da Avenida Miguel Inácio Curi no cruzamento com a Avenida Engenheiro Adervan Machado, a sinalização temporária para a Copa e a alça de acesso, sentido aeroporto entre a Avenida Jacu Pêssego e Nova Radial, além da passarela sobre os trilhos no sentido centro perto da estação Artur Alvim, do Metrô.
Mas as intervenções que poderiam melhorar os transportes coletivos na região e a vida dos moradores, que foram prometidas até a Copa, vão atrasar ou já foram abandonadas.
É o caso do Terminal Rodoviário de Itaquera. Anunciado como revolução nos transportes da região, facilitando a vida de quem precisa fazer viagens, foi cancelado. No lugar, a prefeitura faz obras de ampliação no Terminal Urbano que dá acesso ao Metrô Itaquera.
A prefeitura se justifica dizendo que o objetivo é priorizar a mobilidade urbana. Mas não diz que a presença da nova rodoviária também ampliaria a área dos transportes municipais e evitaria que milhares de passageiros utilizassem os já lotados trens, metrô e ônibus urbanos que servem a região para se dirigirem ao Terminal Rodoviário do Tietê, Terminal Rodoviário Barra Funda ou Terminal Rodoviário do Jabaquara.
Para o Litoral Paulista, muitos moradores da região preferem utilizar uma espécie de parada da Viação Cometa, no bairro de São Mateus.
Até as vias que recebem carros tiveram prioridade em relação aos acessos que registram tráfego maior de ônibus. Não há previsão para o alargamento da Rua Amazonas que fica na região do terminal urbano e que é usada por parte das linhas de ônibus e lotações.
A região de Itaquera, em relação à mobilidade urbana, não necessitaria de grandes intervenções para a Copa.
Já existe uma estrutura das linhas 11 Coral e 12 Safira da CPTM, que atendem à região, e da linha 3 Vermelha do Metrô.
Era só modernizar esta estrutura de maneira satisfatória. Mas nem isso o poder público conseguiu.
A troca de sinalização da linha 3 Vermelha do Metrô só deve ser finalizada em 2015. A mudança para o sistema CBTC, que em inglês significa Controle de Trens Baseado em Comunicação, pode aumentar em 20% a fora em circulação na linha 3 vermelha, reduzindo o intervalo entre os trens de 105 segundos para 90 segundos.
O corredor de ônibus da Radial Leste já está elaborado. Mas a prefeitura não consegue seguir com os projetos por causa de entraves políticos, com os vereadores não aprovando a readequação de 66 vias para os espaços temendo perder votos em redutos por causa das desapropriações provocadas pelas obras, e devido a problemas administrativos e jurídicos. O TCM – Tribunal de Contas do Município ainda não deu aval para a licitação de 128 quilômetros de corredores e Cetesb, prefeitura e Ministério Público Estadual estão numa queda de braço jurídica, que foi parara em Brasília, sobre a liberação de licenças ambientais.
Para se ter uma ideia, apenas a linha da empresa VIP – Unidade Imperador 4310/10 – Itaquera- Parque Dom Pedro II, que trafega por uma faixa exclusiva (e não corredor) deixou o tempo de viagem entre ônibus e metrô muito semelhantes. Chamado de linha de ouro, a estimativa da SPTrans é que nos horários de pico, este serviço atraia em torno de 10% da demanda da linha 3 Vermelha do Metrô que já opera próximo ao limite de saturação.
Um corredor BRT – Bus Rapid Transit, com exclusividade de fato para os ônibus e pontos de ultrapassagem permitindo linhas expressas e com estações que oferecem mais conforto para os passageiros, poderia auxiliar ainda mais nos deslocamentos da zona Leste para o Centro e na queda da superlotação da linha 3 Vermelha do Metrô.
Confira matéria em: http://blogpontodeonibus.wordpress.com/2014/02/11/onibus-ja-leva-praticamente-o-mesmo-tempo-que-metro-entre-itaquera-e-centro/
Se os transportes públicos não foram levados em conta na priorização das obras para a Copa, o aspecto social não será levado em consideração.
A repórter Tatiana Cavalcanti, do jornal Agora São Paulo, fez o levantamento das intervenções que beneficiariam os moradores, mas que não foram encaradas com prioridade pelo poder público.
Entre as promessas que estavam no pacote do mundial e que sequer tiveram um tijolo assentado ainda estão o Parque Linear Verde, Canalização do Córrego Verde e partes do Córrego Chá de Jesuítas, Museu da Criança, Instituição Social Dom Bosco, Remoção de moradores da favela Viela da Paz para área urbanizada na região, construção de uma unidade do Senai Itaquera (Serviço Nacional de aprendizagem Industrial), Centro Cultural, Incubadora e laboratórios para as áreas de tecnologia e informação.
A Fatec – Faculdade de Ciências Administrativas e de Tecnologia deve ficar pronta antes do mundial, mas a Etec – Escola Técnica Estadual deve ser entregue com atraso, somente no segundo semestre.
As obras previstas no pacote da Copa para São Paulo são a prova ainda do caráter dos investimentos do poder público em todo o País. O transporte individual e a imagem para os turistas parecem ser considerados mais importantes que as necessidades do dia a dia da população.
A questão é: Se antes do mundial, estas obras que fazem parte do pacote da Copa não focaram prontas, depois elas devem receber menos prioridade e agilidade ainda.
A frase não é “Imagine na Copa”,mas “Imagine depois da Copa”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

9 comentários em Obras da Copa do Mundo em São Paulo: Mobilidade e aspecto social ficam em segundo plano. Carros e turistas recebem mais atenção.

  1. NÃO SE FAZ COPA DO MUNDO COM METRÔ, CORRDORES DE ÔNIBUS, TRENS DA CPTM, HOSPITAIS, UBSs, MÉDICOS…NÉ SR. RONALDO MASCARADO E SEM VERGONHA NA CARA? O SR. NEM PARECE Q VEIO DE UMA COMUNIDADE POBRE DO RJ…

  2. professor pardal revoltado // 27 de Abril de 2014 às 20:53 // Responder

    concordo plenamente com a reportagem primeiro vem o agora a todo custo e o depois que o povo se lasque é bem por aí, bom, vamos aguardar e assistir o kaos que está por vir….

  3. professor pardal revoltado // 27 de Abril de 2014 às 20:55 // Responder

    Ah sim e porque a dona COMETA não cria uma linha partindo da PENHA de França ao lado do Metrô Penha até SANTOS AO MENOS????? A Zona Leste agradece.

    • LEDRAJ SARCE DOPRA // 3 de Maio de 2014 às 05:49 // Responder

      Por que a dona COMETA prefere priorizar somente a população de JUNDIAÍ aonde a VIAÇÃO COMETA tem a garagem do lado da estação da CPTM e da onde saí ônibus para Aguas de Prata, Ariranha, Catanduva, Curitiba, Ibira, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Pindorama, Santa Adelia, Região do ABC, São João da Boa Vista, Rodoviarias Tietê e Barra Funda e Urupes agora aqui para ZL nada. a ZL agradece se a Viação COMETA criar uma linha de ônibus partindo de Itaquera ao Lado da Estação Dom Bosco da CPTM até a Praia Grande.

  4. É um fato lamentável que as prioridades dos munícipes sejam colocadas em segundo plano.
    E olhe que você só escreveu sobre o assunto transporte terrestre em determinado local. Imagine somar todas as outras despesas relativas ao aludido evento.
    abrs

  5. Ewerton Santos Lourenço (PNE Guarulhos) // 28 de Abril de 2014 às 13:10 // Responder

    Vou fazer uma Adaptação com aqueles Comercial do SUS onde apareçe o Slogam dizendo:

    “BRASIL – Um Pais de Todos”
    “BRAZIL – Um Pias dos Ricos e da Impunidade”

    Esse Chupeta de Vulcão deixou o Poder Subir a Sua Cabeça, isso sim!!! Agora que tudo bem pra Ele nós Brasileiros que se F*&%$, ele deveria ser mais humilde e parar pra pensar no Próximo. Pois a Midia deu a Moral é nos demos valor pra individuo desse, agora eu vejo bem nitidamente o quanto o Povo Brasileiro é tão alienado. Se eu fosse famoso eu não tirava o Chapéu pra esse Desgraçado!!!1

  6. É aquilo… Levaram os jogos para Itaquera com o argumento de que o viário e os transportes públicos já existentes seriam suficientes… Daí a pontualidade das intervenções… Na Copa veremos o resultado…

  7. Acho que está havendo exagero. A Fatec está ai. Ampliar o terminal de ônibus está sendo feita e isso é sim importante. A disputa jurídica dos corredores não tem nenhuma relação com a copa. Temos problemas, mas tem coisa boa também.

  8. Ewerton Santos Lourenço (PNE Guarulhos) // 29 de Abril de 2014 às 11:46 // Responder

    Enquanto o Haddad empurra pra debaixo do tapete as “Cagadas” que ele fez; tipico de politico!!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: