São Bernardo da Imobilidade

trânsito São Bernardo do Campo

Centro de São Bernardo do Campo travado nesta sexta-feira. Não havia agentes de trânsito em número suficiente e motoristas se arriscavam cruzando as vias de qualquer forma. Foto: Adamo Bazani

São Bernardo da Imobilidade
Centro da cidade travou. Não havia gestão emergencial para controlar o trânsito e veículos ficaram imóveis por mais de duas horas
ADAMO BAZANI – CBN
Obras, acidentes, operações policiais, veículos quebrados sempre trazem transtornos ao trânsito. Isso é comum e tanto motoristas, passageiros e pedestres devem compreender que as intervenções são para melhorias e, enquanto as obras não terminam, o melhor é ter paciência e se reprogramar no dia a dia.
Mas o que ocorreu no final da tarde e no início da noite desta sexta-feira, em São Bernardo do Campo, foi a pura prova da falta de gestão de mobilidade em situações de emergência.
O trânsito na região central da cidade praticamente deu um nó na região do Paço Municipal.
A reportagem do Blog Ponto de Ônibus estava no local. Por pelo menos duas horas, em algumas vias, carros, caminhões, trólebus e ônibus ficaram literalmente estacionados.

trânsito São Bernardo do Campo

Trânsito na região do Paço Municipal de São Bernardo do Campo nesta sexta-feira. Veículos ficaram duas horas completamente parados e vias de Santo André, Diadema e a rodovia Anchieta foram prejudicadas. Foto: Adamo Bazani

As dimensões do congestionamento só aumentavam.
A Avenida Piraporinha, que antes registrava no sentido centro de São Bernardo uma operação policial por volta das 16h30, na região do Jardim Planalto, ficou travada nos dois sentidos.
Por volta das 20 horas, quem estava em Piraporinha, na cidade de Diadema, já sentida os reflexos do trânsito na região central.
A Avenida Pereira Barreto, por volta das 20h30, no sentido São Bernardo do Campo, apresentava congestionamento desde a região do Shopping ABC, ainda em Santo André.
Os serviços de ônibus e trólebus da Metra, no Corredor Metropolitano ABD, foram prejudicados.
Na região do Paço de São Bernardo do Campo, os coletivos não têm exclusividade. Assim, os trólebus e ônibus não conseguiam sair dos trechos do corredor da Avenida Lucas Nogueira Garcez, da Avenida Brigadeiro Faria Lima e da Avenida Pereira Barreto.
Os trólebus e ônibus ficaram por mais de uma hora e meia parados.
Os passageiros, sem alternativa, desciam e caminhavam pelo corredor.

trânsito São Bernardo do Campo

Trólebus e ônibus da Metra foram prejudicados pelo trânsito na região do Paço de São Bernardo do Campo, que não oferece exclusividade aos coletivos. Assim, os veículos não conseguiam sair do corredor ABD para continuar viagem. Filas imensas de ônibus e trólebus se formaram e passageiros decidiram descer e caminharam pelo corredor. Foto: Adamo Bazani.

Os serviços dos ônibus municipais comuns da SBCTrans e intermunicipais também foram afetados. Viagens foram canceladas e os coletivos ficaram presos no trânsito.
Com tapumes e cercas na região do Paço por causa das obras do piscinão, os pedestres, muitos passageiros que abandonaram os ônibus, não tinham calçada para circular e se arriscavam entre os carros. Motoboys passavam entre os veículos colocando em risco os pedestres.
O trânsito afetou a rodovia Anchieta, que registrou congestionamento no sentido São Bernardo do Campo pelo menos desde o quilômetro 23 até os acessos para a região central da cidade.
A reportagem constatou que havia poucos agentes de trânsito da Prefeitura de São Bernardo do Campo.
Encontros de vias importantes, como as do entorno do Paço e a Avenida Pereira Barreto, estavam sem nenhuma fiscalização.
Os carros e motos não respeitavam os semáforos para os pedestres. Entre as pessoas que abandonaram os ônibus, estavam idosos, portadores de deficiência e gestantes.
Quem estava de carro ficou ainda mais refém da situação e o medo era em relação à possibilidade de assaltos.
Não havia agentes de trânsito orientando possíveis desvios.
A reportagem também constatou que, em alguns cruzamentos, a situação não foi pior porque agentes da empresa de ônibus e trólebus Metra orientavam a circulação no local.

trânsito São Bernardo do Campo

Trólebus e ônibus no Corredor ABC que vinham de Santo André e de São Mateus também formavam longas filas. Foto: Adamo Bazani.

Pelo menos nesta sexta-feira, a Prefeitura de São Bernardo do Campo deu a nítida prova que não soube gerir o trânsito numa situação atípica.
Transtornos são aceitáveis em algumas situações. Mas carros, ônibus e trólebus parados entre uma e duas horas sem literalmente se mover um centímetro, não é sinal de competência.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

8 comentários em São Bernardo da Imobilidade

  1. Aí estão às causas do DESgoverno do PT em SBC!!

  2. Pois é como noticiado no ABCD maior o inicio de tudo foi uma operação policial. Pois bem após o final da operação, os agentes da Lei simplesmente somem deixando os cidadãos a merce de toda a sorte. A Via Anchieta estava travada desde a Rua Vergueiro no Sacomã em São Paulo. Vim de lá até o KM 19 no planalto e não vi uma única viatura fazendo policiamento ou coibindo os espertinhos de andar pelo acostamento. Imagine quantos motoristas, pedestres não foram assaltados nos congestionamentos, quantas pessoas perderam seus compromissos, quantos não morreram sem socorro pois as viaturas de resgate ou samu ficaram travadas graças a uma desastrosa operação policial que não deve ter surtido nenhum outro efeito senão o caos.

    • Sim, foi essa “A Avenida Piraporinha, que antes registrava no sentido centro de São Bernardo uma operação policial por volta das 16h30, na região do Jardim Planalto, ficou travada nos dois sentidos.” – entre outros pontos. Mas o fogo é que bem depois da operação, continuou tudo travado. Poderia sim haver reflexo, mas não tão duradouro e a falta de preparo do órgão público em contornar rapidamente a situação foi total. E realmente o que você falou foi um fato, não havia policiamento para evitar a ação de oportunistas durante o congestionamento.
      Ruim para todos, mas para quem estava de carro foi pior. Eu desci do trolebus na Lucas e fui caminhando (mesmo entre os carros) até os serviços da Metra começarem a se normalizar e eu embarcar nos primeiros veículos já em outro trecho do corredor.
      Sou favorável às operações policiais, mas elas devem ser feitas com critério e inteligência. Concordando com você digo: Essa operação deve ter mais ajudado que atrapalhado os bandidos.

  3. professor pardal revoltado // 26 de abril de 2014 às 01:48 // Responder

    Amigo Adamo Bazani

    O que falta aqui em São Bernardo são tecnicos e tecnologos em transportes se você soubesse dos absurdos que acontecem também na região do DEMARCHI é terrivel, prioridade ao transporte público deveria de ter, deveria ter restrições aos caminhões, deveriam ter menos semáforos,sem contar os outros equivocos.
    A grande verdade é o seguinte: Quando o lado politico fala mais alto, na qual o politico tem que agradar gregos e troianos, a técnica é colocado no último plano e o que acontece?? O kaos que São Bernardo VIVE e VIVERÁ por muito tempo até ter um PREFEITO de coragem que não tenha medo de LOBBYS no caso dos cegonheiros, e que coloque o lado TÉCNICO em primeiro plano.

  4. Realmente a situação foi caótica. Eu saí da Vl Euro, às margens da Via Anchieta em torno das 18:00h com destino a Santo André. Depois de muitas tentativas a única que restou foi seguir pela Anchieta em direção ao Rodoanel, e seguir no sentido de Mauá. Foi uma volta de quase 50km, para uma distância de 12 km entre o trabalho e a minha residência. Pobres de nós moradores do ABC.

  5. Roberto Ferreira // 28 de abril de 2014 às 10:41 // Responder

    Valeu, Ádamo !!! Você atingiu o âmago da questão. São Bernardo tem parado pelas enchentes e pelo tr}ansito caótico em pleno centro da cidade.

    Da FABUS em Moema , sexta feira passada, até chegar em S.Bernardo do Campo, na Rua Joaquim Nabuco, levei duas horas e meia. Tudo travado na Via Anchieta e no centro. Vários componentes do meu coral “Grupo Vocal União & Harmonia”, não foram ao ensaio por não conseguirem chegar à nossa séde. Ficaram pelo caminho e depois voltaram pra casa. Realmente foi um “caos” !!! Tenho apelidado São Paulo de “São Cáoslo” Que apelido sugerir para São Bernado ? Sería “São Bercáos do Campo ” ? ou São Bernardo do Cáospo ?? Abraço GRANDE !!! Viva DEUS !!! Roberto Ferreira – FABUS – 28-04-2014

  6. Acredito que todo o ABC está despreparado para qualquer eventualidade no fluxo de veículos e nos transporte. Pela falta de estrutura no transporte coletivo, cada vez mais o meio de locomoção acaba sendo o carro, e as cidades não tem capacidade nenhuma de gerir isso. Você pega como exemplo, o trecho Av.dos Estados/Petroquímica/São Mateus. Os semáfaros são desregulados a ponto de que você fica parado em todos eles, sem contar a discrepância de prioridade, existem casos de cruzamento que ficamos parados vendo as moscas cruzarem as avenidas pois não há fluxo suficiente, e isso acontece em todo o ABC, de S.Bernardo a Mauá. Prioridade do transporte coletivo é piada no ABC. Não há integração, corredores ou empresas decentes, vejam o exemplo das empresas modelos do ABC. Enfim, o ABC é o inferno da mobilidade urbana…

  7. É de fundamental importância a metra tirar a parada Santo André junto ao paço municipal. Um trolebus pára e carrega muitos passageiros (linhas 287, 287P e 284M) e o outro trolebus não pode ultrapassá-lo, aí o transito pára! Estes engenheiros que ganham muito bem, devem melhorar o transito da região do paço, criando uma parte exclusiva para ônibus, pois é um gargalo para a metra.

    Na região do wal mart, eles colocaram uma fase a mais de semáforo para quem vai para a anchieta e demoro 5 min a mais no mínimo por dia para chegar a rodovia anchieta, assim não pode, assim não dá!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: