Haddad pede à Mercadante mais corredores de ônibus no OGU

ônibus

Ônibus em São Paulo. Haddad diz que São Paulo não pode ficar refém do ritmo do Congresso nacional sobre a lei que modifica a negociação das dívidas dos estados e dos municípios e pede à Casa Civil a inclusão de novos corredores de ônibus no OGU – Orçamento Geral da União. Foto: Adamo Bazani

Haddad quer mais corredores de ônibus no Orçamento Geral da União
Proposta foi apresentada ao ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante que prometeu analisar a ideia
ADAMO BAZANI – CBN
Mesmo com a decisão da justiça paulista impedindo a expedição pela prefeitura de São Paulo dos licenciamentos ambientais, o que deve atrasar a construção de corredores de ônibus, e com as dificuldades da aprovação pela Câmara Municipal do projeto que deve realinhar 66 vias para os espaços exclusivos, o prefeito Fernando Haddad declarou nessa quinta-feira, dia 10 de abril de 2014, que não vai recuar nas propostas de mobilidade para a cidade e disse que quer maior participação do Governo Federal para a construção de mais corredores de ônibus.
Em reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, Haddad pediu que as novas obras de corredores de ônibus sejam incluídas no OGU – Orçamento Geral da União. Isso faria com que os recursos não se limitassem a financiamentos ou programas cuja liberação de verbas é mais difícil. Para se ter uma ideia, para que os recursos federais dos 150 quilômetros de novos corredores previstos até 2016 sejam liberados, a Câmara deve aprovar o Projeto de Lei 17/2014 que prevê os realinhamentos das 66 vias, o que incluiria desapropriações.
Com muita dificuldade, o governo municipal conseguiu aprovar o projeto em primeira votação no dia 19 de março e para a segunda votação, a proposta se arrasta.
Pressionados por seus redutos eleitorais, vereadores, inclusive os de situação, propõem uma série de mudanças no projeto. Principalmente comerciantes, com medo de desapropriações e pela dificuldade de os clientes estacionarem os carros à porta de seus estabelecimentos, realizaram protestas na Câmara. A Avenida Nossa Senhora do Sabará, por exemplo, foi excluído do projeto de lei.
Além disso, para receber mais financiamentos federais para as obras de mobilidade, a prefeitura de São Paulo depende da aprovação pelo Congresso Nacional de uma lei que estabeleça um novo modelo de renegociação das dívidas dos estados e dos municípios para com a União.
A matéria também tramita lentamente.
Haddad diz que se os corredores novos fossem incluídos no Orçamento da União, São Paulo não ficaria refém do ritmo do Congresso Nacional e as obras não atrasariam.
Caso a lei sobre a renegociação fosse aprovada, o retorno dos investimentos federais nas obras em São Paulo seria definido já dentro da capacidade de endividamento da cidade.
“Dos nossos 150 km de corredores, uma parte era do Orçamento-Geral da União (OGU) e a outra parte, programa de ajuste fiscal. Nós pedimos para incluir mais obras no OGU, mesmo que seja para o ano que vem. Para nós é mais importante garantir OGU para os próximos anos do que tentar viabilizar o programa de ajuste fiscal agora, que exige uma série de providências para as quais nós não estaríamos preparados, até porque teria que ter votado já a lei da dívida (renegociação da dívida de Estados e municípios) e isso não foi feito” – disse Haddad à imprensa.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

4 comentários em Haddad pede à Mercadante mais corredores de ônibus no OGU

  1. Espero q de tdo certo…

  2. Cadê a segunda votação da lei que permitiria os realinhamentos/desapropriações das ruas e avenidas?? Estes vereadores são mesmos uns mesquinhos. Olham só para o próprio umbigo. Se esquecem que estão lá para representar o povo. E que devem trabalhar em pró do bem comum da coletividade. Mas não, com medo de represália de meia dúzia de comerciantes que deixarão de financiar suas futuras reeleições ou novas candidaturas ficam atrasando e/ou modificando os projetos dos corredores. É por isso que o trânsito de nossa cidade encontra-se travado, eu acho engraçado que as pessoas reclamam do trânsito caótico de São Paulo. Reclamam que os ônibus são demorados, que ficam parados no trânsito, que andam superlotados, etc., E que se melhorasse com certeza deixariam o carro em casa e utilizariam o ônibus. Mas na hora que se tem um projeto que com certeza melhoraria o transporte coletivo, minimizando os transtornos e as deficiências existentes, muitos são contra. Sinceramente não entendo. É tudo da boca pra fora, na hora do vamos ver, os vereadores e parte da sociedade recua.

  3. ESPERO Q A “PETRALHADA” PARE DE NEGLIGENCIAR HADDAD…NEGLICIANDO O MESMO, NOS NEGLIGENCIA, A NÓS!! A POPULAÇÃO DA MAIOR CIDADE DA AMÉRICA LATINA E CORAÇÃO FINANCEIRO DA MESMA…SEM CONTAR Q É O DESTINO HJ EM DIA, MAIS VISITADO POR TURISTAS…PASSAMOS O RJ! E TALVEZ JÁ A SEGUNDA MAIOR DO MUNDO TODO! ACORDA PT!

  4. Na parte dos corredores estou vendo que o Haddad realmente esta tantando acelerar,mais se depender da camara de SP fica tudo como esta,ja que nenhum la anda de transporte publico ne pra que se preocupar,espero que isso de certo ja que esse ano parece que nao sai essas obras infelizmente,engraçado que isso nao sai na midia bem claro pra populaçao ficar ciente que o prefeito nao esta parado,mais claro que nao sai ne ja que ninguem que pega onibus cheio todo dia precisa saber pra na hora do voto fazer merda como sempre fez,veremos o que vai dar esses corredores de SP,em outros estados so vejo noticias do BRT e aqui nada.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: