Sorocaba testa ônibus elétrico chinês da BYD

BYD

Ônibus elétrico chinês da BYD será testado por cerca de 30 dias em Sorocaba, no interior Paulista. Fabricante que deve ter planta no Brasil já realizou operações experimentais em outras cidades. Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Sorocaba.

Sorocaba testa ônibus elétrico chinês da BYD
Veículo deve circular por 30 dias na cidade do interior de São Paulo
ADAMO BAZANI – CBN
A BYD – Build Your Dreams, fabricante chinesa de veículos, vai testar seu modelo de ônibus 100% elétrico, movido apenas com baterias, em mais uma cidade brasileira.
A partir desta quinta-feira, dia 27 de março, o ônibus que não emite poluentes em sua operação começa a circular às 8h30 na linha 100 – Expresso, que liga o Terminal Santo Antônio ao Terminal São Paulo, no município de Sorocaba, interior paulista.
A linha é operada pelo Consor – Consórcio Sorocaba e os testes vão ter supervisão de técnicos da Urbes – Empresa de Desenvolvimento Urbano e Social de Sorocaba, responsável pelo gerenciamento do trânsito e dos transportes coletivos na cidade.
Segundo a Urbes, o ônibus deve circular em Sorocaba pro cerca de 30 dias.
A BYD, que anunciou a intenção de investir US$ 100 milhões para construir uma fábrica de ônibus elétricos no Estado de São Paulo, já circulou com o modelo em diversas cidades, entre elas, São Paulo, Brasília, Salvador e Palmas
Após a conclusão da planta paulista, a BYD espera chegar até 2016 a uma produção de 4 mil ônibus elétricos por ano para o Brasil e países vizinhos da América Latina.
. A empresa tem como um dos sócios o bilionário norte-americano, Warren Buffett, quer crescer em todo o mundo com a produção de ônibus não poluentes.
Em novembro do ano passado, a BYD deu início a produção de ônibus elétricos em uma fábrica inaugurada em Lancaster, na Califórnia. Os investimentos nessas instalações são de US$ 30 milhões na fase inicial, segundo a empresa.
A BYD foi criada em 1995 e hoje tem plantas e escritórios em Hong Kong, Taiwan, Índia, Coréia do Sul, Japão e Europa.
Só na China e nos escritórios, são empregadas 150 mil pessoas.
Com 12 metros de comprimento, 2,55 metros de largura, 3,36 metros de altura e carroceria com padrões chineses, o veículo terá o desempenho operacional avaliado em Sorocaba, a exemplo do que ocorreu nas demais cidades. O veículo é acessível, com piso baixo e rampas.
O ônibus é dotado de baterias de fosfato de ferro que precisam de cinco horas para ser recarregadas. A autonomia do elétrico chinês da BYD é de 250 quilômetros a 320 quilômetros, dependendo das condições de operação e da lotação.
Há dois motores elétricos no eixo de tração, o que segundo a BYD, aumenta a força do veículo e permite um melhor desempenho, com redução inclusive no nível de ruído, ampliando o conforto dos passageiros.
Assim como ocorreu nas outras cidades, em Sorocaba o elétrico recebeu adesivos referentes ao município e as inscrições de que o ônibus não emite nenhum tipo de poluente.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

3 comentários em Sorocaba testa ônibus elétrico chinês da BYD

  1. Roberto Ferreira // 27 de Março de 2014 às 12:07 // Responder

    De: FABUS

    Prezado amigo Ádamo Bazani, o ônibus elétrico da BYD, está em teste por várias cidades e agora irá para Sorocaba. Ele está transportando passageiros ou somente pessoal da equipe que o analisa ??? Voce tem como saber e me informar ?? Grato ! Abraço GRANDE !!! Roberto Ferreira- 27-03-2014

  2. Conceito é muito interessante.
    Pouco comentam que 100% elétricos não poluem com ruído – bem incômodo em diesels, por exemplo – e não usam catenárias, que enfeiam o ambiente urbano.

    E baterias de fosfato de ferro nem são as mais eficientes/leves/[rápidas na recarga], ou seja, o desempenho de 250km tem espaço para melhorar.

    Para rotas centrais em cidades grandes é ótima solução.

    Gostaria de saber mais sobre autonomia e desempenho em velocidades baixas, muitas paradas e locais com ladeiras fortes. Por exemplo: energia de frenagem é reaproveitada?

    Para nossa realidade, seriam desejáveis modelos “mais altos” (com maior espaço livre da carroceria ao solo, para vencer valetas). Será que resistem bem a pavimentos ruins? Aceitam bem trepidação?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: