Ônibus atende mulheres que sofrem violência em São Paulo

ônibus mulher

Ônibus de atendimento às mulheres que sofrem violência vai circular pela Capital, ABC Paulista e outros regiões da Grande São Paulo. Veículo vai aonde ocorrem as ações violentas. Foto: Fernando Pereira – Prefeitura de São Paulo.

Ônibus na Capital, ABC e Grande São Paulo vai atender mulheres que sofrem violência
Veículo vai circular em bairros onde são altos os índices de ações contra mulheres, como no extremo Sul da Capital Paulista e em municípios da Região Metropolitana
ADAMO BAZANI – CBN
A região metropolitana de São Paulo recebeu nesta segunda-feira, dia 24 de março de 2014, um ônibus preparado para atender mulheres que sofrem violência de diversos tipos.
O “micrão” Caio Foz Super – Volkswagen/MAN – 15-190 foi cedido pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM) para a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres e faz parte do programa “Mulher, Viver sem Violência”.
A partir da primeira quinzena de abril, o veículo vai percorrer bairros onde a s prefeituras da região metropolitana e a Polícia Civil detectaram maior número de ações violentas contra as mulheres, como Parelheiros e Engenheiro Marsilac, no extremo Sul da Capital Paulista.
O veículo possui salas internas com equipes multidisciplinares, como da área da saúde, de segurança e de direito.
Em nota, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse que um ônibus é essencial para tornar os atendimentos mais próximos das mulheres.
“A vantagem de ser uma unidade móvel é que você pode levar as autoridades até onde a violência ocorre. Você não fica, passivamente, em uma delegacia da mulher ou no equipamento público, aguardando que a denúncia chegue. Você vai ao encontro do problema para superá-lo. Você vai onde ele está e coloca as autoridades competentes para resolver aquela situação” – disse Haddad em nota emitida pela prefeitura de São Paulo.
Além da Capital Paulista, este ônibus vai circular em cidades como de Carapicuíba, Cotia, Diadema, Embu das Artes, Franco da Rocha, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jandira, Osasco, Poá, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Taboão da Serra.
No país, são 54 ônibus deste tipo. O Governo do Estado de São Paulo deve receber mais dois ônibus para o interior.
“Quando as mulheres sobem os degraus desses ônibus, sem dúvida elas estão deixando para trás o medo, o pacto do silêncio. Estão rompendo um dos maiores paradigmas e uma das maiores muralhas, que é o medo de denunciar o homem que ela escolheu para viver. Ela se torna um sujeito de direitos”
MEDIDAS CONTRA O ASSÉDIO NO TRANSPORTE PÚBLICO:
A secretária municipal de Políticas para Mulheres de São Paulo, Denise Motta Dau, disse que a prefeitura estuda duas medidas para minimizar os atos de assédio sexual nos ônibus da Capital Paulista.
O poder público negocia com as empresas a instalação de câmeras nos ônibus que filmem o corredor do veículo e deve treinar funcionários da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) para detectarem os casos e chamarem ajuda policial.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em Ônibus atende mulheres que sofrem violência em São Paulo

  1. Era só o que faltava! Câmeras no interior dos ônibus! Um completo atestado de incompetência do chamado poder público! As câmeras no interior dos ônibus deveriam existir apenas em linhas onde é grande o número de assaltos mesmo porquê existe um determinado número de ônibus fixos nestas linhas e não haveria necessidade de implantar na frota inteira mesmo porquê isso é custo e esse custo acaba sendo repassado ao sistema via tarifa ou mesmo através de subsídios embora até nisso a prefeitura está tentanto reduzir o repasse caso contrário não estaria extinguindo tantas linhas e até agora foram 141 linhas extintas que graciosamente a SPTrans-torno chama de 141 linhas substituídas! Falam ainda que criaram 73 linhas! Mentira! Quero o nome e número de todas elas pois se é que elas realmente nasceram estão operando em trechos seccionados! As linhas seccionadas estão sobrecarregando o metrô, só a petralhada e o ninho tucano que NÃO usam ônibus e nem metrô viram isso ainda! Que o prefeito Haddad e o governador Alckmin determinassem que todos os funcionários públicos (inclusive os cargos de cabide) passassem a usar ônibus e metrô para o seu trabalho (?) SP de cara já resolveria uma pequena parte de:
    – seus congestionamentos
    – e diminuição da poluição do ar e garantiria um número maior de usuários ao sistema que insatisfeitos irão se queixar e exigir da SPTrans e EMTU criação de:
    – todas essas linhas que foram extintas e ainda a ampliação de frota nas linhas existentes (se não me engano são atualmente 1.302 !)
    O transporte de SAMPA só iria melhorar de verdade a partir do momento que toda essa massa trabalhadora (?) do funcionalismo público municipal e estadual FOSSEM OBRIGADOS A USAR ÕNIBUS e METRÔ ! Alguém duvida que o transporte não melhoraria com essa exigência da prefeitura e do governo estadual de ninho tucano ? O que essa turma das secretarias de transportes estadual e municipal iriam rebolar para trabalhar e planejar novas rotas não estaria no gibi! Coloquem a SPTrans nas mãos de um busólogo experiente e vejam o que vai ocorrer! Ou então acatem essa dica de obrigar o funcionalismo a abandonar seus carros luxuosos (alguns nem tanto!) e usar metrô, trem e ônibus durante a semana! Não dou 3 meses, GARANTO que o transporte iria melhorar de verdade e em toda a cidade por exigência desses funcionários !!! Pena que não temos governantes corajosos e audaciosos como nos saudosos anos 60 ! E esses microônibus de atendimento móvel é pura politicalha federal! É mais simples fazerem-se delegacias mais próximas das periferias e direcionadas não somente a mulher mas também a todos! Estas políticas segregacionistas são de dar nojo !!! Ou se faz uma delegacia para atender a todos ou não se faz nada!

1 Trackback / Pingback

  1. Ônibus atende mulheres que sofrem viol&ec...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: