Acidentes com bicicletas e ônibus: respeito, bom senso e informação podem evitar tragédias

ônibus e biciletas

Ciclista na contramão ao lado de ônibus na Avenida Brigadeiro Luis Antônio no cruzamento com a Avenida Paulista, em São Paulo. Desrespeito à lei de trânsito e perigo. Foto-flagrante: Adamo Bazani.

Acidentes com bicicletas e ônibus: é possível evitar com respeito, bom senso e informação
Saiba os pontos nos ônibus onde a visualização de ciclistas e pedestres fica mais difícil
ADAMO BAZANI – CBN
Hoje é consenso de que a solução para os problemas de mobilidade urbana está na ampliação das redes de transportes coletivos e no uso de meios não motorizados, como as bicicletas.
No entanto, os dois tipos de transportes que deveriam se complementar acabam disputando o espaço urbano.
Claro que num acidente entre ônibus e bicicleta, é o ciclista que sofre os maiores danos físicos. Mas há muitos motoristas de ônibus que ficam traumatizados e até se afastam da profissão depois de se envolverem nestas colisões.
Na verdade, ônibus e bicicletas podem conviver muito bem no espaço urbano. Basta haver respeito e também um tentar se colocar no lugar do outro.
E para isso, informação é fundamental.
Preocupadas com o crescimento do número de bicicletas e de acidentes com este tipo de veículo, empresas de ônibus têm abordado o tema nos treinamentos para os motoristas.
O Grupo Leblon Transporte de Passageiros, que opera as empresas Leblon e Viação Nobel, no Paraná, preparou uma série de imagens, a pedido de nossa reportagem, para ilustrar aos ciclistas as áreas dos ônibus que devem ser evitadas sempre que possível, e aos motoristas sobre quais momentos deve-se redobrar atenção quanto à presença de ciclistas e pedestres.
“O motorista de ônibus é o profissional, deve prever as possibilidades de acidentes. Trata-se de direção defensiva. É necessário manter a distância em relação aos ciclistas e só buzinar se houver mesmo necessidade, já que isso pode assustar o ciclista. Já o ciclista, se possível, deve evitar andar muito junto ao ônibus e uma dica é sempre se posicionar de uma maneira que consiga enxergar o rosto do motorista do ônibus” – explicou o instrutor do Grupo Leblon Transporte, Altair de Lima Mazur.
O instrutor preparou uma série de fotos que podem ajudar motoristas de ônibus e ciclistas entenderem melhor as dificuldades um dos outros. Acompanhe.
PONTOS-CEGOS DOS ÔNIBUS – São áreas que, por melhor que seja a disposição e a regulagem dos retrovisores, a visualização de motos, ciclistas e pedestres fica mais difícil. Estas áreas existem em qualquer automóvel, mas em veículos muito grandes, como ônibus e caminhões, elas tendem a ser maiores. Acompanhe:

LATERAL DIRETA:

Na área entre a região onde fica o cobrador (ou até duas janelas após a porta) um ciclista, motociclista ou pedestre quase ficam ocultos.

acidentes ônibus e bicileta

acidentes ônibus e bicileta

LATERAL DIREITA EM CRUZAMENTOS:
O ciclista deve estar atento e evitar aproximação da área do encontro das folhas das portas quando se fecham e também da coluna que une a lateral e a parte dianteira do ônibus.

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

LATERAL ESQUERDA:
Do lado esquerdo do ônibus, a visão em relação aos ciclistas é mais difícil da área entre a metade da janela do motorista (ombro do condutor) até dois metros e meio para trás. Retrovisores que não possuem o espelho “convexo” exigem mais atenção do motorista do ônibus.

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

CUIDADO COM A CONTRAMÃO:
Muitos ciclistas e pedestres se iludem ao pensar que andando na contramão vão ser melhor visualizados pelos motoristas de ônibus. Além de contrariar a lei de trânsito, há pontos como a coluna que une a dianteira e a lateral do ônibus, em ambos os lados, nos quais a visualização é mais difícil. Quanto mais próximo o ciclista estiver do ônibus na contramão, menos ele pode ser visto pelo motorista.

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

PEDESTRES:
Os motoristas de ônibus devem ter cuidado em relação aos pedestres, que na verdade, são prioridades no trânsito pela lei. Mas o pedestre também tem suas regras no trânsito, como atravessar nas faixas e manter uma distância segura dos veículos.
LADO ESQUERDO
Do lado esquerdo do ônibus, o pedestre quase fica imperceptível também da região da metade da janela do motorista até dois metros e meio para trás.

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

LADO DIREITO:
O pedestre deve ter cuidado ao atravessar a rua. A coluna que une a dianteira e a lateral do ônibus também pode encobrir quem está na via. Quanto mais junto ao ônibus, pior é a visualização.

acidentes bicicletas e ônibus

acidentes bicicletas e ônibus

SEJA VISTO:
Ver e ser visto evita acidentes entre pedestres, ciclistas e ônibus. O ciclista e o pedestre devem manter distância segura dos veículos e vice e versa. Em geral, esta distância é de 1,5 metro, mas o bom senso deve prevalecer. Quanto maior a velocidade da via, maior deve ser a distância também.

acidentes bicicletas e ônibus

Todas estas fotos servem como uma forma de conscientização e informação para motoristas, ciclistas e pedestres. No entanto, deve-se levar em conta que no trânsito tudo ocorre de uma maneira muito rápida e estas imagens passam pelos retrovisores e para-brisas em questão de segundos.
Ônibus, bicicletas e pedestres podem conviver harmoniosamente. Basta cada um pensar um pouco no próximo.
Adamo Bazani, jornalista da rádio CBN, especializado em transportes

8 comentários em Acidentes com bicicletas e ônibus: respeito, bom senso e informação podem evitar tragédias

  1. Lucas de Santana // 22 de Março de 2014 às 02:08 // Responder

    Parabéns ao reporter Adamo, que ouço todo o dia na CBN, por esta matéria.
    Não adianta só colocar o problema sem passar informação de utilidade como esta.
    Os cilicstas devem ser respeitados, mas é interessante eles saberem destes pontos mais crírticos dos ônibus para evitarem ficar perto. Prevenção de acidentes.
    Também quero dar parabéns a esta empresa de ônibus do Paraná pela iniciativa.

  2. Nós ciclistas precisamos de mais materiais assim.
    Conheci este Blog hoje e gostei.
    Muito legal mesmo essa matéria.

  3. Caro Adamo, respeito seu trabalho em relação a defesa dos ônibus em uma sociedade que só sabe denegrir esse veículo. Acompanho a muito tempo seu site mesmo sem comentar. Mas sejamos justos: o ciclista não está na contramão, até porque não tem espaço nessa faixa para ele. O comentário da legenda passa uma idéia tendenciosa como acontece justamente contra os ônibus. A midia sempre tem essas pegadinhas para defender uma causa usando sensacionalismo, como por exemplo chamar um ônibus articulado de biarticulado em situação de acidente ou crise. O desrespeito a lei que ele pratica é nítido em relação a falta de equipamento de segurança, não a posição dele em relação ao ônibus. Desculpe a critica, mas não acho justo.
    Essa mistura de veículos grandes com pequenos nunca deu certo mesmo, seja entre caminhões e carros; ônibus e motos/ciclistas etc.

    • Sim André, mas eu estava lá e ele veio na contramão sim, dobrando o sentido Consolação, mas na direção do Paraíso, acessando a brigadeiro . Só entrou na faixa certa por causa da presença do ônibus e veja como ele está praticamente na linha divisória de mãos. Além disso, seu posicionamento não apresentava segurança mesmo voltando ao fluxo, No mais, tirando a legenda, achou interessante toda a matéria?

  4. É, se ele começou o trajeto na contra mão não dá!
    Interessante a matéria. Não apenas ciclistas, mas todos meios pequenos devem ter essa noção limitada dos veículos grandes.

    • Valeu André. Realmente no trânsito se cada um pensar um pouco no outro, o motorista no ciclista, o ciclista no motorista, e até o ciclista no pedestre, muitos problemas seriam evitados.
      Uma vizinha minha foi derrubada na faixa de pedestre por um ciclista. Ele parou e ajudou chamando socorro, mas idosa, se machucou bastante na queda. O semáforo estava aberto para os pedestres. Lembro que era uma via de duas faixas. Na direita um ônibus estava parado e na esquerda alguns carros. Era mão-única. Ela travessava da esquerda para a direita e o ciclista veio com tudo pelo lado direito do ônibus, entre o coletivo e a guia.
      Abraços amigo.

  5. Saudades da Leblon em Maua

  6. Enquanto empresas como a Leblon e pessoas como o Adamo estão tratando de assuntos que demonstram a busca pela excelência na prestação de serviços de transporte coletivo. Empresas como a Barão e pessoas como o Prefeito de Mauá Doni$ete Braga dão uma bela banana para a população e estão mais preocupada em QUAIS empresas estão rodando ao invés de se preocupar em COMO esta empresas estão rodando na cidade.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Frota de ônibus caiu em São Paulo, expansão do Metrô não dará conta e ciclovias somam 1% nas Capitais | Blog Ponto de Ônibus
  2. Motoristas de ônibus se colocam no lugar de ciclistas em treinamento especial | Blog Ponto de Ônibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: